quarta-feira, 6 de março de 2013

GUAXUPÉ - CAMINHO DAS ABELHAS





















BEM VINDO A CIDADE DE GUAXUPÉ. CIDADE DO CAFÉ.
foto - Leonardo Pinelli
GUAXUPÉ TEM 49.430 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM GUAXUPÉ EH: GUAXUPEANO
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 01 DE JULHO E FOI EMANCIPADA EM 1.912
ORIGEM DO NOME 

"Caminho das Abelhas", significado indígena da palavra Guaxupé, é a versão mais aceita para a denominação que ficou até hoje. Tomou esse nome, por volta de 1814, o ribeirão e mais tarde o arraial, denominado Dores de Guaxupé.
HISTÓRIA

Até o começo do século passado, o território em que se situa Guaxupé era mata virgem. As mais antigas referências dão conta de que somente em 1813 pés de homens civilizados pisaram a região que era habitada pelos primitivos
O documento mais antigo sobre posse de terras até agora conhecido tem a data de 28 de outubro de 1818: É uma escritura passada em Jacuí e pela qual João Martins Pereira e sua mulher Maria de Jesus do Nascimento vendiam a Antônio Gomes da Silva "terras de cultura de matos virgens e serrados"na paragem do Ribeirão do Peixe vertente para o Rio Pardo. Junto a terras do próprio Gomes da Silva, que foi então ao que tudo indica o segundo proprietário das terras em que depois surgiu a cidade.
Mais tarde, as terras foram transferidas a Paulo Carneiro Bastos, que doou 24 alqueires para a fundação da Capela de Nossa Senhora das Dores. Essa área era parte da Fazenda Nova Floresta, e nela em 1837, celebrou-se a primeira missa, num ato que pôde corresponder ao ato de fundação de Guaxupé. Paulo Carneiro Bastos, Francisco Ribeiro do Valle, o licenciado José Joaquim da Silva e o tenente Antônio Querubim de Rezende, são os nomes que os anais registram como fundadores de Guaxupé.
A capela foi construída em 1839 e ao redor dela construíram-se as primeiras casas, exatamente no local onde está hoje a Avenida Conde Ribeiro do Valle, de onde derivava o "caminho de Santa Barbara das Canoas", atual Rua Barão. Por volta de 1850, o Arraial de Nossa Senhora das Dores de Guaxupé já contava com 180 casas, 07 ruas e engenhos.
A Comarca foi criada em 1925, pela lei 879 de 25 de janeiro. Eis, pois, os traços essenciais da bela história de Guaxupé, a "Cidade das Abelhas ".
AQUI AS CAIXAS D'ÁGUA DA COPASA
foto - Alexandre Bonacini

AGÊNCIA DOS CORREIOS E TELÉGRAFO
foto - Alexandre Bonacini
ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA
foto - O. R. N. B.
SEDE DO PODER JUDICIÁRIO - FÓRUM DE JUSTIÇA
Fórum da Comarca de Guaxupé – Projeto arquitetônico neoclássico Construído na década de 1920. Possui belíssimo pórtico com dez imponentes colunas greco-romanas encimadas  por  artísticos capitéis, constituindo um conjunto arquitetônico de inegável valor histórico. É um dos principais cartões postais da cidade.
foto - Alexandre Bonacini

SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA -
Os italianos construíram este prédio entre os anos de 1920 e 1923. Foi edificado para abrigar o Banco do Brasil. Apresenta estilo romano com colunas encimadas por capitéis, lembrando o período renascentista. O prédio em excelente estado de conservação abriga  a sede do governo Municipal desde a década de 1970.
foto - Alexandre Bonacini
ALCOÓLICOS ANÔNIMOS
foto - Alexandre Bonacini

SEDE DO PODE LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES E TEATRO MUNICIPAL
Prédio inaugurado em 1923, o antigo Hotel Cobra, hospedou grandes personalidades; Maestro Villa Lobos, Roberto Carlos e tantos outros. Durante a Revolução Constitucionalista, soldados se abrigaram nele. Em estilo eclético foi construído por mão de obra italiana e sua fachada principal é obra do artista italiano Felício Genga. Atualmente está sendo para abrigar o Teatro Municipal no térreo. No andar superior já está funcionando a nova sede da Câmara Municipal.
foto - Cigano SP
CASA DE FAZENDA
foto - O. R. N. B.
CATEDRAL DE NOSSA SENHORA DAS DORES E NO CONTEXTO DA PRAÇA
foto - Vicente A. Queiroz
foto - O. R. N. B.
A CIDADE

Nossa cidade tem na sua arquitetura, predominantemente, traços marcantes da cultura trazida pelos imigrantes  italianos. Este povo, que aqui se entregou à execução de vários ofícios, trouxe do velho continente a beleza e o arrojo das construções romanas e influências da arte grega. É possível ver em Guaxupé algumas destas construções: o prédio do antigo Hotel Cobra, o Fórum da Comarca, o prédio da Prefeitura, a fachada da Cadeia Pública, alguns casarões do início do séc. XX e tantos outros de estilos neoclássicos e algumas sedes de fazendas em estilo colonial. Uma das mais interessantes, curiosas e intrigantes  construções, são: O Palácio das Águias e a Casa dos Elefantes. Construções edificadas na década de 30 por seu proprietário – "Fito" – imigrante italiano de origem austríaca. Apesar de estar em ruínas, ainda é objeto de curiosidade, pela arquitetura eclética que apresenta e originalidade.
O Conselho do Patrimônio Histórico de Guaxupé, criado em 1997, vem desenvolvendo uma política de tombamentos, educação patrimonial, preservação, localização de fontes históricas e inventários, sempre buscando o  resgate de nossa memória histórica. Acreditamos assim estar contribuindo para que nossa  população  desconheça menos nossa identidade cultural.

Historiador Marcos David
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE GUAXUPÉ
foto - ?
foto - ?
foto - Alexandre Bonacini
foto - ?
foto - Cigano SP
foto - ?
foto - Alexandre Bonacini
foto - O. R. N. B.
foto - Vagner Sansão
foto - O. R. N. B.
foto - Alexandre Bonacini
foto - O. R. N. B.
foto - Alexandre Bonacini
foto - ?
foto - ?
foto - Alexandre Bonacini
foto - ?
foto - Vagner Sansão
ENTORNO DA CIDADE
foto - O. R. N. B.
foto - Vagner Sansão
foto - Vagner Sansão
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minas são muitas, Todas são gerais