Pular para o conteúdo principal

SÃO JOSÉ DA BARRA / MG






BEM VINDO A CIDADE DE SÃO JOSÉ DA BARRA. A CIDADE MAIS RICA DA REGIÃO SUDOESTE DAS MINAS GERAIS.
AQUI A CONGREGAÇÃO CRISTÃ DO BRAZIL
foto - Thymonthy Becker Comunicação
SÃO JOSÉ DA BARRA TEM 7.155 HABITANTES (ESTIMATIVA IBGE 2.013)
QUEM NASCE EM SÃO JOSE DA BARRA EH: BARRENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 21 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.995
ORIGEM DO NOME
O NOME BARRA EH UMA REFERÊNCIA À BARRA DO SAPUCAÍ E SÃO JOSÉ AO SANTO PADROEIRO DO ARRAIAL.
HISTÓRIA
São José da Barra, ou simplesmente Pontal da Barra era um vilarejo situado às margens do encontro dos Rios Grande e Sapucaí, distante 94 Km da cidade de Passos. Pertencente ao município de Alpinópolis, sua população vivia nos anos cinquenta da pesca e agricultura. Até a construção da represa de Furnas, o cotidiano da vida dos moradores permanecia inalterado. Porém a partir do início das obras, foi iniciado o processo de retirada dos habitantes em 1958 concluindo-se em 1963, época do enchimento do reservatório de Furnas que cobriu totalmente aquela comunidade. Boa parte dos moradores transferiu-se para os municípios próximos ou para a nova cidade criada, próximo ao canteiro de obras da represa.
Com o início das obras da Usina Hidrelétrica de Furnas em 1958 e o eminente fim da Barra, inicia-se o processo de mudança dos moradores da região. A partir daí, Furnas realizava indenizações, muitas das vezes de valor irrelevante, que gerou a permanência de moradores até a completa inundação do local. O Pároco Ubirajara Cabral convida o então bispo Dom Inácio Dalmont para o ato de encerramento das missões e transferência de sede da Paróquia de São José da Barra, no dia 15 de julho de 1962, para o novo local denominado Água Limpa, próximo ao canteiro de obras da barragem que viria a ficar conhecido mais tarde como Barra Nova. A última Missa iniciou-se às 10:30 horas com a presença do bispo, dos frades capuchinhos Justino Prado e Ludovico Gomes e representantes de Furnas. Às 15:00 horas foi realizado o translado da imagem de São José para a capela provisória em carro aberto e acompanhada pelos moradores. Era o início do fim.
Em 1963 o reservatório de Furnas começa a ser formado, em poucas horas as águas tomam conta do casario da Barra Velha, e lentamente a cidade desaparece. É o fim da Barra Velha, o fim da visão da Barra do Sapucaí, restando apenas a memória dos seus moradores.
A nova cidade de São José da Barra foi planejada e construída a pedido do Padre Ubirajara Cabral, pároco local, em forma de "banjo". Na mudança da cidade muitas pessoas se mudaram para a nova cidade e ao chegar todos ficaram meio depressivos, pois tiveram de largar suas casas e terras e vendê-las por preços muito baixos pois a água iria cobrí-las. As novas ruas não tinham asfalto nem saneamento básico, a eletricidade da cidade era de um motor a diesel. Por ironia a 3 Km dali havia uma usina hidrelétrica funcionando e em seu acampamento havia hospital, clube, cinema e saneamento básico.
CONHEÇA UM POUCO MAIS DESTA PRIVILEGIADA CIDADE QUE FICA PRÓXIMA A REPRESA DE FURNAS.
foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
IGREJA PENTECOSTAL
foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
ENTORNO DA CIDADE
foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
IGREJA MATRIZ DE SÃO JOSÉ
foto - Alexandre Bonacini
RODOVIA DE ACESSO À CIDADE
foto - Alexandre Bonacini
 foto - Alexandre Bonacini
BAIRRO CACHOEIRA
foto - Câmara municipal de São José da Barra
BAIRRO CAN-CAN
foto - Câmara municipal de São José da Barra
BAIRRO FURNAS
foto - Câmara municipal de São José da Barra
VISTA AÉREA DO CENTRO
foto - Câmara municipal de São José da Barra
 foto - Alexandre Bonacini
POLIESPORTIVO
foto - Alexandre Bonacini
PRAÇA
foto - Alexandre Bonacini
SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA -
foto - Alexandre Bonacini
RUA
foto - Alexandre Bonacini
ECONOMIA
A economia da cidade é baseada na produção de energia elétrica de Furnas, produção de milho, café, pimenta, criação de gado, produção de frangos e suínos e no turismo ainda nascendo pelo Lago de Furnas.

O município conta com uma escola técnica em eletrotécnica que forma 140 técnicos por ano, escola esta que é uma referência no Brasil pois a maioria dos técnicos que aqui se diplomam estão trabalhando em empresas como Cemig, Copel, Eletronorte , Eletrosul, Eletroleste , Eletroeste , Eletromarzinho, Farmarília, Tibata Eletricista, Celg, Brasil500, Rosicarlos, Eletrobras, Eletronuclear, Funai, Eletropaulo, Elektro, CPFL, Transpetro e Petrobras.
REPRESA DE FURNAS
foto - Thymonthy Becker Comunicação
LAGO DE FURNAS NO ENTORNO DA CIDADE
foto - Thymonthy Becker Comunicação
 foto - Thymonthy Becker Comunicação
NATUREZA VIVA
A natureza da região é muito rica, a região possui muitos pássaros e animais como suçuaranas, lobos-guarás, jaguatiricas, tamanduás, ouriços, veados-campeiros, quatis, pacas, capivaras e diariamente são vistos atravessando as estradas do município.
foto - Thymonthy Becker Comunicação
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

MANHUAÇU / MINAS GERAIS - Rodeada por belezas naturais como o Pico da bandeira, belíssimas paisagens como as plantações de café, além de construções centenárias

LINHA DO TEMPO DE "MANHUAÇU" / MINAS GERAIS / BRASIL
Situada na zona da mata de Minas Gerais, Manhuaçu é o maior e mais desenvolvido município da região. Sua localização estratégica possui acesso a diversas rodovias estaduais e federais, estando rodeada por belezas naturais que você não pode deixar de conhecer. Manhuaçu também se destaca pela economia, que gira principalmente na produção de café. A produção regional é a maior do Brasil, sendo produtos de consumo nacional e internacional. Existem muitas fazendas de café na região, que além do impulso econômico, proporcionam uma belíssima paisagem.  Cafezal com pés carregado de café foto - ? Alguns dos maiores atrativos da cidade estão no Ecoturismo. Os principais pontos são a Pedra Furada, reservas Monte Alverne, Sítio Graciema e Mata do Sossego e os balneários Recanto no Paraíso e Cachoeira Sette. A cidade também é rica em patrimônio histórico. A Igreja Matriz São Lourenço, localizada no Centro, é o principal ponto da cidade, co…

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…