Pular para o conteúdo principal

CORONEL XAVIER CHAVES / MG - UM LUGARZIM DE MINAS, APAIXONANTE


















BEM VINDO A HISTÓRICA, BONITA E ACONCHEGANTE CIDADE DE CEL. XAVIER CHAVES.
foto - Francisco Assis Rodrigues
CORONEL XAVIER CHAVES TEM 3.301 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM CEL. XAVIER CHAVES EH: XAVIERENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 01 DE MARÇO E FOI EMANCIPADA EM 1.962
ORIGEM DO NOME
A origem do topônimo é uma homenagem que os munícipes, com muita razão e justo orgulho, prestaram ao seu eminente e emérito patrono. O Coronel Francisco Rodrigues Xavier Chaves.
HISTÓRIA
O primeiro morador da região, era descendente da família Gonçalves Lara, tendo de fixado, no lugar denominado Mosquito. Segundo dados que nos conta a tradição, este primitivo habitante se dirigiu para aquelas paragens e se estabeleceu em uma aguada para gado e terrenos para cultura. Nesta época, foi eregida a primitiva Capela de Nossa Senhora da Conceição. No albores ainda do século XIX, outro forasteiro procedente do Rio de Janeiro, se deslocou para a região do antigo Mosquito, hoje Coronel Xavier Chaves, fugindo a perseguições políticas, não se sabendo qual seria o seu nome e o de sua família. Este forasteiro fixou-se na região e lá se casou com membros da família Gonçalves Lara, estabelecendo-se na Fazenda do Retiro, tronco da família Mendonça, que mais tarde era numerosa na região. Naquela época, a localidade contava apenas com a fazenda do Mosquito e fazenda do Retiro. Apenas três casas, casa da Pedra, uma casa hoje, já demolida, que pertencia ultimamente a Valentim Chaves de Mendonça e a fazenda Grande, situada no perímetro urbano da atual cidade de Coronel Xavier Chaves.
Os primitivos habitantes, até o início do século XIX, segundo nos foi dado concluir através de registros do arquivo da Prefeitura Municipal, foram as famílias Gonçalves Lara, Chaves e Mendonça. Segundo nos parece e a conhecedores da história de Coronel Xavier Chaves, a região permaneceu estagnada em suas atividades econômicas quando lá chegou por volta dos fins do século XIX, procedente da fazenda do Jacaré, município de Lagoa Dourada, o Coronel Francisco Rodrigues Xavier Chaves, denominado o Comendador. Era ele o homem de sólida formação religiosa, austero, de coração magnânimo e possuidor de vastas extensões de terra e de grande tino administrativo e político. Tornou-se herdeiro da fazenda do Mosquito e das terras do atual município de Coronel Xavier Chaves. Este homem, dinâmico e progressista, deu início à formação da povoação para lá trazendo muitas famílias, fixando-as ao meio através de trabalho nas lavouras, engenhos e na fabricação de manteiga. A sua vocação política levou-o a muito trabalhar para o desenvolvimento daquela região. 
AQUI UM ALAMBIQUE
foto - ?
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO
Não existem registros sobre a história da "Igrejinha do Rosário". Data de construção ou nome de seus construtores é desconhecida. Segundo Cida Chaves "havia ou há na atualmente chamada Igrejinha do Rosário uma pedra datada de 1717. A capela pertencia a Fazendo do Mosquito que, como era costume no Brasil, possuía, na sua intimidade, outra capela para devoção das pessoas e escravos da casa". Deve-se registrar que a Fazendo do Mosquito foi uma das três fazendas cujas terras foram divididas entre parentes do Coronel Xavier Chaves, o que deu origem à cidade. Segundo seus moradores, a capela era originalmente revestida por reboco, tanto interna, quanto externamente e as paredes internas decoradas com pinturas. O reboco foi removido em 1973 e hoje a edificação é totalmente em pedra à vista. Observando atentamente o acabamento das paredes, a perfeição das vergas das portas aparente e só foi revestida tempos depois. Esta é apenas uma opinião e não um parecer conclusivo. A devoção inicial da Igreja era N. Senhora da Conceição. Com a construção da Igreja Matriz dedicada a mesma devoção a igreja passou a ser dedicada a Nossa Senhora do Rosário.
foto - André Luís Vieira
foto - André Luís Vieira
MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO
A Matriz de Nossa Senhora da Conceição foi construída em 1920 em estilo neo-gótico. Ao longo dos anos, sofreu algumas alterações, sobretudo em seu interior.
foto - André Luís Vieira
ENGENHO BOA VISTA
Sabe-se da existência do engenho Boa Vista desde o ano de 1755, no entanto, a data e os responsáveis por sua construção são desconhecidos. Em 1755 era de propriedade de Vicente Luís Loureiro, que mais tarde o vendeu para Manoel de Barros, pardo e forro, casado com Antônia Teles. Que venderam o engenho para Maria da Conceição Xavier, casada com Lourenço Coutinho que por sua vez fez a doação para Domingos Silva Xavier, em 1763 "para efeito de se tornar padre". Ordenou-se sacerdote, era afilhado do inconfidente Pare Toledo e foi vigário de São João Del Rei. Participante da Inconfidência Mineira foi perseguido, fugindo para Cuiabá, onde exercia o ofício de rábula, sendo preso em 1791. Padre Domingos da Silva Xavier era irmão mais velho de Tiradentes. O engenho nunca deixou de pertencer à família Xavier. Entre 1950 e 1960, pertencia a uma filha do Coronel Xavier Chaves e em 1978, o atual proprietário Sr. Rubens Resende Chaves o adquiriu. Em 1995 suas instalações foram ampliadas e a partir de 1997, o fabrico de cachaça foi retomado.
foto -  PMCXC
JEQUITIBÁ
O exemplar de jequitibá aqui focalizado, tipo branco,  nasceu nas proximidades de um local chamado "Cava Amarela". Existem nas proximidades várias dessas cavas que na realidade são caminhos cercados por barrancos cuja densa vegetação lateral se encontra no alto formando um "teto" sobre o caminho. A Cava Amarela é muito visitada e nela também passam competidores de enduros e competições de motociclismo. O exemplar em questão cresceu numa área coberta por pastagem, localizada cerca de 6 km da sede do município. Segundo técnicos especializados, este local deve ser sido anteriormente coberto por mata densa. Este exemplar tem cerca de 30m de altura, um tronco que segundo moradores da cidade, necessita do concurso de cinco homens para abraçá-lo e sua copa tem aproximadamente 40 m de diâmetro.
Pode atingir 35 a 45 m de altura, com tronco de 90 a 120 cm de diâmetro. É uma das maiores árvores da flora brasileira. Especula-se que o jequitibá tem ciclo vital de 1000 anos. O Jequitibá tem duas espécies, branca e rosa e ocorre desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Sul, na Mata Atlântica e subtropical. É rara no cerrado ou em Terrenos secos.
foto -  PMCXC
foto - Francisco Assis Rodrigues
TRILHA DO CARTEIRO
A Trilha do Carteiro atravessa a parte mais baixa do maciço da Serra de São José, a 1200 metros e altitude. Em todo o seu percurso existem várias nascentes, o que também indica conforto para o seu usuário, pois em vários pontos as pessoas e animais podem se abastecer.
O nome da trilha tem origem na pessoa ou pessoas que trabalhavam na distribuição de correspondência entre os povoamentos e arraias da região, existindo até um monumento de pedras empilhadas, chamada pela população de túmulo.
O carteiro, com sua atividade profissional, procurava caminhos mais curtos para facilitar seu trabalho. Se não cortasse a serra o percurso seria muito mais para chegar à vila de São José. Foram os carteiros os primeiros a traçar a rota e percorrê-la regularmente. Tornou-se caminho oficial e mereceu trabalhos de execução de sua infra estrutura.
Partindo da vila de São José, após um percurso plano tem-se início da Trilha do Carteiro (Via Principal), que é o caminho calçado em boa parte, contornando a primeira montanha, subindo em direção ao topo da Serra de São José. Vencido este trecho de um quilômetro chega-se ao túmulo do carteiro, personagem que dá nome à trilha, onde a superstição é que cada um que passe por ali, coloque um pedra sobre o túmulo, esta pode ser de qualquer tamanho
foto -  PMCXC
foto -  PMCXC
foto - ?
CASAS DE FAZENDA
foto - Francisco Assis Rodrigues
foto - Francisco Assis Rodrigues
CONHEÇA UM POUCO MAIS DESTA BELÍSSIMA CIDADE
foto - Adeilson César
foto - Francisco Assis Rodrigues
foto - André Luís Vieira
foto - ?
OS BANCOS DA PRAÇA SÃO ASSIM
foto -  PMCXC
foto - Francisco Assis Rodrigues
foto -  PMCXC
foto -  PMCXC
foto - ?
A MATA NO ENTORNO DA CIDADE
foto - Francisco Assis Rodrigues
foto - Francisco Assis Rodrigues
A BELA E RIQUÍSSIMA CIDADE DAS ESCULTURAS.
foto - ?
foto -  PMCXC
foto -  PMCXC
AS ESCULTURAS DE PEDRAS SÃO A ATRAÇÃO PRINCIPAL. MAS A CIDADE TEM MUITO MAIS PARA VOCÊ ADMIRAR-SE.
OS ANJOS TOCHEIROS ESCULPIDOS EM PEDRA SABÃO SÃO DO ESCULTOR DAVID FUZATTO (https://plus.google.com/u/0/106894819292889373363/videos) ACESSE O VÍDEO E VEJA OUTRAS ESCULTURAS DE DAVID FUZATTO.
foto - ?
foto - ?
foto -  PMCXC
foto -  PMCXC
SHOW DEMAIS ESTA PRAÇA
foto -  PMCXC
foto -  PMCXC
foto - ?
foto - ?
foto - ?
AS CACHOEIRAS SÃO UMA ATRAÇÃO A MAIS PARA VOCÊ
foto -  PMCXC
O RIO MOSQUITO
foto - Francisco Assis Rodrigues
A SERRA SÃO JOSÉ NO ENTORNO DA CIDADE
foto - Francisco Assis Rodrigues
OS MUROS DE PEDRA CORTANDO A SERRA
foto - Francisco Assis Rodrigues
foto - André Luís Vieira
foto - Francisco Assis Rodrigues
ESTE EH O BRASÃO DA CIDADE


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CARACARAÍ / RORAIMA - A "Cidade Porto" tem Corredeiras, Hotel de Selva, Estação Ecológica, Parques Ambientais e grande Potencial Agrícola

LINHA DO TEMPO DE "CARACARAÍ" / RORAIMA / BRASIL Caracaraí é conhecida como “Cidade-Porto” por ter o maior movimento fluvial do estado de Roraima. A cidade nasceu como um local de embarque de gado para a capital amazonense. Os animais desciam até a boca da estrada, onde se iniciam as Corredeiras do Bem-Querer. Ali eram desembarcados e tangidos até um curral no porto municipal, onde eram embarcados para Manaus. As mercadorias vindas de Manaus, que tem como destino Boa Vista faziam este caminho em sentido inverso, e isso desenvolveu o lugar. O Aeroporto de Caracaraí possui a quarta maior pista de pouso da Amazônia Ocidental, com 2.500 metros de extensão, concluída pela Comissão de Aeroportos da Amazônia. A navegabilidade de Caracaraí a Manaus pelo baixo rio Branco é maior do que em outros pontos a Norte (ainda que grandes embarcações tenham dificuldades durante as fortes secas). As duas maiores e principais estradas federais de Roraima (BR-174 e BR-210 - "Perimetral Norte&…

IPUIUNA / MG - CAPITAL NACIONAL DA BATATA

BEM VINDO A CIDADE DE IPUIUNA. A CAPITAL NACIONAL DA BATATA foto - Thymonthy Becker Comunicação IPUIÚNA TEM 9.521 HABITANTES - IBGE 2010 - QUEM NASCE EM IPUIÚNA EH: IPUIUNENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 12 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.953 ORIGEM DO NOME Ipuiuna, palavra de origem indígena, que  significa “olho de águas turvas” ou “olho de águas escuras”, uma referência a nascente do Rio Pardo que está no município. HISTÓRIA Presume-se que os seus primeiros habitantes tenham sido pessoas que já habitavam povoados vizinhos, como Caldas-MG e Santa Rita de Caldas-MG. É sabido que em 20 de janeiro de 1891, José Francisco Lopes e João Bernardes de Souza fizeram doação de 10 alqueires de terras para formação de um povoado que teria o nome de Santa Quitéria e São João Batista. Posteriormente, veio a edificação de uma capela que, na verdade foi o marco inicial do novo povoado a sombra da qual cresceu o novo núcleo. AQUI A MATRIZ DE SANTA QUITÉRIA foto -  Marçal Carboneri IGREJA DE SÃO BENEDITO foto …

DIVINÓPOLIS / MINAS GERAIS - COMO A CIDADE COMEÇOU - CEM ANOS ATRÁS NASCIA A CIDADE QUE SERIA REFERÊNCIA EM QUALIDADE DE VIDA E EDUCAÇÃO, NAS MINAS GERAIS

DIVINÓPOLIS / MINAS GERAIS / BRASIL - 100 ANOS ATRÁS foto - Thymonthy Becker AQUI PODEMOS VER O CENTRO DA CIDADE, COM O SANTUÁRIO, O COLÉGIO DOS PADRES E ABAIXO A PONTE QUE LIGA O CENTRO AO BAIRRO PORTO VELHO. foto - Colombo
NESTA PÁGINA, IREMOS MOSTRAR COMO DIVINÓPOLIS COMEÇOU. ALGUMAS FOTOS SÃO RARAS. E POSSUEM MAIS DE CEM ANOS. ESTE FOI O SEGUNDO LOCAL ONDE FUNCIONOU A CÂMARA MUNICIPAL. AQUI NA RUA SÃO PAULO. foto - ?
AQUI  ANTIGA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA. HOJE EH O HOTEL DAS VOVÓS. foto - ?
ESTA EH A RUA SÃO PAULO. REPARE QUE OS POSTES DE LUZ FICAVAM NO MEIO DA RUA. foto - ?
AQUI A MESMA RUA SÃO PAULO, ENTRE ANTÔNIO OLÍMPIO DE MORAIS (ANTIGA AVENIDA DA INDEPENDÊNCIA) E AVENIDA VINTE E HUM DE ABRIL. foto - ?
ESTE VÍDEO FOI FEITO QUANDO DIVINÓPOLIS TINHA 20.000 HABITANTES, HOJE TEM 225.000. QUANDO DA INAUGURAÇÃO DA PONTE CENTRO/PORTO VELHO.
AQUI A AVENIDA PRIMEIRO DE JUNHO ESQUINA COM RUA SÃO PAULO. REPARE AS BOMBAS DO POSTO DE COMBUSTÍVEL. foto - ?
O PRIMEIRO PRÉDIO DA CIDADE. EDIFÍCIO HERCÍLIO. …

ABADIA DOS DOURADOS / CIDADE ONDE SE ENCONTRA ENTERRADO O BAU DE TIRADENTES

BOM DIA. BEM VINDO A ABADIA DOS DOURADOS. UMA CIDADE HOSPITALEIRA, DE UM POVO ACOLHEDOR, VÁRIOS PONTOS TURÍSTICOS ECOLÓGICOS E RELIGIOSO, COMIDA MINEIRA DE PRIMEIRA QUALIDADE. E COM UMA HISTÓRIA QUE FALE A PENA VOCÊ CONHECER. copyrigth "Léo/MPB/Gustavo"
Abadia dos Dourados tem uma população de 6.704 habitantes. (IBGE 2010) Sendo 3.586 do sexo masculino e 3.118 do sexo feminino. QUEM NASCE EM ABADIA DOS DOURADOS É:  ABADIENSE ABADIA DOS DOURADOS FAZ ANIVERSÁRIO EM 27 DE DEZEMBRO. FOI FUNDADA EM 1948. HISTÓRICO IMPORTANTE DE ABADIA QUE MERECE INVESTIGAÇÃO: Segundo o Sr. Laerte Esteves dos Santos, bisneto do fundador da cidade, Manoel Esteves dos Santos, o seu bisavô era amigo íntimo de Tiradentes e veio foragido de Sao Joao Del Rei para Abadia dos Dourados e com ele trouxe inumeras CARTAS  DE TIRADENTES. Estas cartas estavam em um bau de metal que foi enterrado por volta do ano de 1965, pela avó do sr Laerte, em um local próximo a cidade. Esteveram no local, juntamente com o sr…

ENTRE RIOS DE MINAS / MINAS GERAIS - "BERÇO DO CAVALO CAMPOLINA", TEM RUAS CALMAS, BELOS CASARÕES, CACHOEIRAS E MUITA BELEZA NA SERRA DO GAMBÁ

LINHA DO TEMPO DE "ENTRE RIOS DE MINAS" / MINAS GERAIS / BRASIL A CIDADE A economia é baseada na agropecuária, sendo grande produtora de leite, milho e de uma cachaça artesanal muito famosa na região. O município é conhecido como berço do Cavalo Campolina e local aonde nasceu Santa Manoelina dos Coqueiros. A atmosfera aconchegante de Entre Rios é proporcionada pelas ruas calmas com casarões conservados, além das lindas arquiteturas da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Brotas que tem influências neogóticas, datada de 1928, e do belo prédio do Hospital Cassiano Campolina, construído em 1910.
O TURISMO O município possui belezas naturais como cachoeiras e serras, e é um lugar propício para a prática de esportes ao ar livre como escalada, voô livre, mountain bike, trekking entre outros. Dentre os monumentos naturais destacam-se as cachoeiras do Gordo (18 km. da cidade), dos Faleiros (10 km. da cidade), Coqueiros (12 km. da cidade), do Diniz (12 km. da cidade), da mata (17 km. da c…

ITU / SÃO PAULO - SEMPRE DE BRAÇOS ABERTOS PARA RECEBER QUEM QUER SE DIVERTIR, PASSEAR, APRECIAR UMA BOA COMIDA OU APENAS DESCANSAR. QUEM GOSTA DE TURISMO, PRECISA CONHECER ITU. E NÃO EH EXAGERO

LINHA DO TEMPO DE "ITU" / SÃO PAULO / BRASIL  Graças ao saudoso comediante Francisco Flaviano de Almeida, o Simplício, artista conhecido em todo o Brasil, Itu ficou conhecida como a terra dos exageros. Em um programa de televisão, nos idos dos anos de 1960, Simplício, durante suas piadas, criou o mito de que em Itu tudo era grande. A partir disso, os turistas voltaram seus olhos para a cidade que, por sua vez, começou a comercializar objetos em tamanho gigante e colocou em sua praça central um telefone público enorme e um semáforo de proporções ampliadas.  Essa bem humorada brincadeira ainda é o maior chamariz de visitantes para Itu, mas, ao chegarem, os turistas descobrem que as opções vão muito além da divertida lenda dos gigantismos.  Com uma infinidade de atrativos, o município está entre as 67 estâncias turísticas de São Paulo, sendo considerado um dos destinos obrigatórios para quem viaja pelo Estado. Com mais 400 anos, Itu reúne em seu território atrações de cunho histór…

BRASILÉIA / ACRE - Rica em Biodiversidade, Singular em seus múltiplos aspectos, realista a respeito dos óbices que se antepõem, mas acreditando na persistência e trabalho de um povo singular

LINHA DO TEMPO DE "BRASILÉIA" ACRE / BRASIL  População estimada 2016 (1) - 24.311  Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.916,502  Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,46  Código do Município 1200104  Gentílico - Brasileense  Gentílico: brasileense  HISTÓRICO  Brasília, como era chamada Brasiléia, foi fundada nas terras dos índios Catianas e Maitenecas, no Seringal Carmem, quando o Acre já era território do Brasil.  Foi criada por homens da classe dominante da sociedade acreana da época, seringalistas e autoridades constituídas, que habitavam no Alto Acre, vinculados à exportação de borracha para Belém e Manaus.  No Seringal Carmem foi escolhida uma área para instalação da justiça do 3º Termo Judiciário da Comarca de Xapuri e do Juiz Fulgêncio de Paiva, que já havia sido expulso das terras do Seringal Nazaré. Eram os primeiros passos da fundação de Brasília, que contou com a participação de brasileiros como João Cordeiro Barbosa, José Antônio de Almeida, Olegário de A…

SENADOR GUIOMARD / ACRE - Cercada de histórias e culturas que herdaram na consolidação da cidade, reunindo etnias e tradições diversas, mantém acesa a centelha formadora do desenvolvimento

LINHA DO TEMPO DE "SENADOR GUIOMARD" / ACRE / BRASIL foto - ? População estimada 2016 (1) - 21.369 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 2.321,454  Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 8,69  Código do Município 1200450  Gentílico - guiomaense 
ORIGEM DO NOME
O nome da cidade, Senador Guiomard, eh uma homenagem ao seu fundador. Porém, grande parte da população continua usando o antigo nome da cidade, Quinari, que eh de origem indígena, por não concordar com a mudança do nome da cidade. Gentílico: guiomaense  HISTÓRICO A história de Senador Guiomard começa em 1930, com formação da colocação Quinarizinho, durante o auge do extrativismo.  Foram 32 famílias oriundas do Nordeste do país que iniciaram o povoamento daquela região, tendo sido aberta a estrada até Rio Branco em 1947. Foi elevado à categoria de vila em 1956, sendo seu primeiro subprefeito nomeado em 1957, passando então a se chamar Vila Grande Quinari.  Seu nome, segundo os moradores mais antigos, está associado à uma árvore …

RORAINÓPOLIS / RORAIMA - Com inúmeras praias, corredeiras, arquipélago de rara beleza com viveiro de tartarugas, um verdadeiro paraíso ecológico no Sul do estado

LINHA DO TEMPO DE "RORAINÓPOLIS" / RORAIMA / BRASIL População estimada 2016 (1) - 27.756  Área da unidade territorial 2015 (km²) - 33.596,525  Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 0,72  Código do Município 1400472  Gentílico - Rorainopolitano  HISTÓRICO A cidade foi criada com a instalação de uma sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), às margens da BR-174, a mais importante do Estado, isso na década de 1970. O INCRA implantou um programa para distribuir terras, isso atraiu pessoas de todo o Brasil.  Foi elevado à condição de município em 17 de outubro de 1995.  Avenida Ayrton Senna, principal avenida de Rorainópolis, Roraima foto - Tiago Orihuela A região central de Rorainópolis, Roraima foto - Tiago Orihuela Datas festivas e históricas  Festival de verão – 01 e 02 de janeiro  A festa junina eh uma tradição na cidade de Rorainópolis, Roraima foto - ? Igreja de Nossa Senhora da Assunção Dia da Padroeira Nossa Senhora da Assunção - 05 de agosto - A cidade faz um…

PIRAPORA / PORTAL DO RIO SÃO FRANCISCO

BEM VINDO A CIDADE DE PIRAPORA. A CIDADE PROGRESSO
imagem - Jadir F.
PIRAPORA TEM 53.368 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM PIRAPORA EH: PIRAPORENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 01 DE JUNHO E FOI EMANCIPADA EM 1.912
ORIGEM DO NOME
O topônimo de origem tupi significa “salto de peixe” ou “onde o peixe salta” - pira (peixe) e poré (salto).
HISTÓRIA

O São Francisco foi, durante o ciclo da mineração, importante meio de transporte para o abastecimento da região das minas. As mercadorias saíam da Bahia subindo o rio e, quando terminava o trecho navegável, seguiam por terra até os centros mineradores. A cidade nasceu justamente no ponto da baldeação, na margem direita do rio, a jusante da cachoeira de Pirapora. Parte da tribo dos índios Cariris, em época remota, teria subido o Rio São Francisco. Movida pelo temor à aproximação dos brancos pelo litoral brasileiro e acossada pelas tribos vizinhas. Aportando na área hoje compreendida pelo município de Pirapora, fixaram-se defronte à corredeira, esta…