Pular para o conteúdo principal

BENTO GONÇALVES / RIO GRANDE DO SUL - Na cidade marcada por vales e escarpas serpeadas por arroios, encontram-se dezenas de vinícolas - das maiores do país




LINHA DO TEMPO DE "BENTO GONÇALVES" / RIO GRANDE DO SUL / BRASIL
Se a Serra Gaúcha é a maior região vinífera do país, o Vale dos Vinhedos é o seu principal corte – e 60% dele fica em Bento Gonçalves. Na cidade marcada por vales e escarpas serpeadas por arroios, mais de 600 m acima do nível do mar, encontram-se dezenas de vinícolas – das maiores do país, como Casa Valduga e Miolo, às pequenas e artesanais, guardiãs da tradição dos imigrantes vindos da Itália no final do século 19. 
Mas há muito mais a percorrer em Bento. Para citar dois exemplos: o roteiro Caminhos de Pedra preserva boas compras e casas típicas dos colonos, e o Vale do Rio das Antas reúne vinícolas e um alambique. Há comida farta aqui também. O galeto, tradicional prato, está sempre acompanhado de massa ou polenta – macia e crocante.
RAIO X
Bons sonhos Na romântica pousada Borghetto Sant'Anna, todos os chalés têm vista para o Vale dos Vinhedos. Mas é a unidade chamada Casa das Fronteiras que exibe o visual mais incrível: a cama, no mezanino, fica de frente para uma ampla janela. Quando você deita, tudo o que enxerga é um campo repleto de parreiras.
Lugarzinho Pequenina e familiar, a Terragnolo é um achado no Vale dos Vinhedos. Os próprios donos recebem os turistas, apresentam os parreirais e explicam sobre o processo de fabricação do vinho feito com a uva Merlot. Além da bebida, há venda de geleias e sucos de uva, tudo orgânico e feito aqui.
Encha a mala (ou o porta-malas) com as delícias do sul. Além dos tradicionais vinhos e espumantes, há os Queijos Valbrenta, os Biscoitos Itallini, sucos de uva e comidinhas gostosas nas diversas paradas do roteiro Caminhosde Pedra, como as casas do Tomate, da Erva- Mate e Salumeria.
ONDE FICAR
Em Bento, a tradição de vinícolas está presente também nas hospedagens. Algumas inclusive ficam dentro delas, como ocorre nas pousadas Villa Valduga e Don Giovanni. Também está em Bento a Laghetto Viverone.
É comum ainda encontrar os sucos e vinhos locais no frigobar, e tratamentos estéticos que utilizam uva. Os endereços no Vale dos Vinhedos convivem mais com esse clima, como a Spa do Vinho Caudalie, Villa Mchelon e Pousada Borghetto Sant’anna. Quem opta pelo Centro tem a vantagem de estar perto de outros passeios interessantes, como o de Maria-fumaça até Garibaldi e Carlos Barbosa e o Caminhos de Pedra.
ONDE COMER
Refeições fartas, com sequências de pratos de carnes e massas, são frequentes por aqui. A principal atração gastronômica é o estrelado Casa di Paolo, que serve um dos melhores galetos do país. No roteiro Caminhos de Pedra, é possível garantir boas compras de comidinhas em lugares como a Casa do Tomate e Salumeria.
Comida TípicaGaleto (rodízio) As galeterias são uma espécie de instituição gastronômica gaúcha. As casas do gênero servem o chamado galeto italiano, originalmente feito com pombos ou aves de caça. No Brasil, eles foram substituídos por frangos, a maioria abatida al primo canto (ao primeiro canto), ou seja, entre o 23º e o 30º dia de vida. O galeto, temperado com sálvia, salsinha, sal e vinho branco, é assado em brasa de carvão. O rodízio da ave acompanha sopa de agnolini (capelete), maionese, radicce (almeirão) com bacon, polenta e massas caseiras, como o tortei (recheado com abóbora).
Vinícolas Os melhores tintos do país são produzidos aqui – a casta merlot é o grande expoente da região. Algumas vinícolas também produzem vinhos de mesa, mais doces e menos complexos. no armazém do restaurante Canta Maria você encontra os rótulos locais a preços parecidos com os das vinícolas. 
Entre gigantes do setor e empresas familiares, o roteiro é o mesmo: tour nos parreirais e pelo processo de elaboração, seguido de degustação. Enólogos acompanham os passeios. Algumas casas cobram pela visita, mas o valor pode ser revertido em compras. Além do vale dos vinhedos, há vinícolas em Pinto Bandeira, Faria Lemos, Tuiuty e no próprio Centro de Bento Gonçalves, caso da Aurora.
COMO CIRCULAR
A RS-470 cruza a cidade. Por ela também é fácil chegar aos distritos de Tuiuty (onde está a vinícola Salton) e Faria Lemos (sede da Dal Pizzol) e à chamada Estrada do Vinho (RS-444), que leva ao Vale dos Vinhedos. Quem está sem carro pode embarcar no tour de van. Ônibus não é uma boa: há poucos, com trajetos longos. O aplicativo Turismo Bento, disponível para iOS e Android, têm mapas com a localização das atrações.
SUGESTÕES DE ROTEIROS
1 dia – Aproveite para iniciar o tour pela cidade visitando o que a distingue: as vinícolas famosas, como a Miolo e a Casa Valduga, e também as pequenas, como a Terragnolo, onde a ausência de uma megaestrutura é compensada pelo atendimento familiar. No almoço, prove o rodízio de galeto no estrelado Casa di Paolo. Depois, no Centro, que tal assistir à apresentação Epopeia Italiana, sobre a história dos imigrantes no estado?
3 dias – No distrito de Tuiuty, visite a Vinícola Salton e almoce no Pignatella, que serve receitas da região do Tirol, na Itália. Siga para o roteiro Caminhos de Pedra, na zona rural, e aprecie a vista da estrada, com casas de pedras centenárias e paradas divertidas, como o Parque da Ovelha. No dia seguinte, o passeio de Maria-Fumaça até Garibaldi e Carlos Barbosa inclui degustação de vinhos.
6 dias – Não faltam passeios em cidades próximas. Entre Bento e Garibaldi estão a Chandon, famosa pelos espumantes, e o restaurante Valle Rústico, na Estrada do Sabor. Em Carlos Barbosa, a 15 quilômetros, o varejo da Tramontina, traz descontos de 20%. Outra pedida é esticar a viagem até outras estrelas da Serra Gaúcha: Gramado e Canela.
QUANDO IR
A alta temporada é no inverno, principalmente nas férias de julho, quando as diárias dos hotéis sobem bastante. O verão é a época da colheita das uvas, quando os turistas podem acompanhar e participar do processo.
Por Renata Matromauro
foto - ?
SEJA MUITO BEM VINDO AO MAIS BELO E IMPORTANTE ROTEIRO TURÍSTICO DO RIO GRANDE DO SUL.
AQUI O MIRANTE DO CAMPANÁRIO
imagem - Almir Dupont
População estimada em 2015 (1) - 113.287
Área da unidade territorial 2015 (km²) 274,069
Densidade demográfica em 2010 (hab/km²) - 280,86
Código do Município 4302105
Gentílico - Bento-Gonçalvense 
HISTÓRIA
Em 1875 inicia a imigração italiana na Encosta Superior do Nordeste, originando as Colônias de Dona Isabel (hoje Bento Gonçalves), Conde D’Eu (hoje Garibaldi) e Nova Palmira (hoje Caxias do Sul).
A Colônia Dona Isabel (Bento Gonçalves), criada em 1870, já era conhecida como Região da Cruzinha, devido a uma cruz rústica, cravada sobre a sepultura de um possível tropeiro ou traçador de lotes coloniais. Era época do escambo, da troca de mercadoria por mercadoria. A Colônia Dona Isabel sediava um pequeno comércio no qual os tropeiros faziam paradas para descanso.
Em 24 de dezembro de 1875, os núcleos do Planalto começaram a receber novos imigrantes e em março de 1876, o Presidente do Estado José Antonio de Azevedo Castro, anunciava a existência de 348 lotes medidos e demarcados e uma população de 790 pessoas, sendo 729 italianos. Simultaneamente pioneiros oriundos do Tirol Austríaco e Vêneto chegaram à esplanada onde hoje está situada a Igreja Matriz Cristo Rei.
A troca, compra e venda de produtos era feita na sede da colônia, após longas caminhadas por estreitas picadas (trilhas abertas no meio da mata) demarcadas pelos próprios imigrantes. Entre os imigrantes havia ferreiros, sapateiros, marceneiros, alfaiates, carpinteiros, entre outros profissionais que estabeleceram seus negócios dentro de suas especialidades, atendendo às necessidades locais. O surgimento das construções das casas, os instrumentos de trabalho e o mercado foram acompanhando o desenvolvimento de Colônia Dona Isabel e também as exigências que se apresentavam. Frente ao desenvolvimento, as condições das estradas foram melhorando e surgiram as primeiras carretas. Em cinco anos, houve um acréscimo de quatro mil habitantes, entre nascimentos e novos imigrantes.
Em 1881 inicia a abertura da primeira estrada de rodagem ligando a Colônia Dona Isabel a São João de Montenegro (hoje Montenegro). O início do povoamento foi marcado por inúmeras dificuldades. Em 1877 a Colônia Dona Isabel sediava três casas comerciais, duas padarias, uma fábrica de chapéus e um total de 40 casas comerciais que ofereciam serviços e produtos diversos em todo o território da colônia.
ORIGEM DO NOME
O nome foi dado em homenagem ao general Bento Gonçalves da Silva, chefe da Revolução Farroupilha, ocorrida no Rio Grande do Sul de 1835 a 1845.
AQUI UMA RUA DA CIDADE
imagem - Thiago Dambros
ESTE EH O CALÇADÃO
imagem - ?
ESTA EH UMA IGREJA EM FORMA DE PIPA (NÃO SE REFERINDO A PAPAGAIO)
imagem - ?
AQUI A IGREJA DE SÃO BENTO
imagem - ?
AQUI NO CAMINHO DE PEDRAS
imagem - Nestor Foresti
UMA PAISAGEM QUE PARECE CENA DE CINEMA
imagem - Irineo Dall'Agnol
AQUI O PARQUE DE EVENTOS
imagem - Fabiano Mazzotti
ESTE EH O RESTAURANTE NONA LUDIA
imagem - Almir Dupont
PONTO DE ÔNIBUS
imagem - ?
TORRE DA IGREJA
imagem - Almir Dupont
PRAÇA
imagem - Almir Dupont
ESTA EH A AVENIDA PRINCIPAL
imagem - ?
VISTA AÉREA DA CIDADE
imagem - Barriga Verde
REGIÃO CENTRAL DA CIDADE
imagem - Barriga Verde
AQUI A SEDE DO BANCO DO BRASIL
imagem - ?
MAIS UMA RUA DA CIDADE
imagem - Thyago Dambros
CASA DELE PECORE (CASA DA OVELHA)
imagem - Marcelo parise petazoni
CASA DI TESSITURA (CASA DE TECER)
imagem - Marcelo parise Petazoni
UMA CASA TÍPICA DA REGIÃO
imagem - Marcelo parise Petazoni
UM BELO CASARÃO
imagem - ?
REGIÃO CENTRAL
imagem - Almir Dupont
HISTÓRIA DA UVA E VINHO
O COLONO ITALIANO, RECÉM CHEGADO EM 1875, AINDA NÃO TINHA AS MUDAS DE VIDEIRAS PARA INICIAR O CULTIVO NAS TERRAS QUE FOI DESBRAVANDO. O QUE TOMOU CONTATO COM AS VIDEIRAS (VARIEDADE ISABEL) QUE OS AGRICULTORES ALEMÃES CULTIVAVAM HÁ ALGUM TEMPO PARA SEU PRÓPRIO CONSUMO.
O CULTIVO DA VIDEIRA ISABEL TOMOU EXPRESSÃO ACENTUADA APÓS A CHEGADA DOS IMIGRANTES ITALIANOS.
OS COLONOS INICIARAM A COMERCIALIZAÇÃO DO VINHO ISABEL PARA A CAPITAL DO ESTADO E OUTRAS CIDADES. O TRANSPORTE ERA FEITO EM LOMBO DE BURRO.
A PARTIR DO MOMENTO EM QUE SE INICIOU O COMÉRCIO DO VINHO SURGIU A FIGURA DO TANOEIRO. O CONSTRUTOR DOS BARRIS.
COM O AUMENTO DA PROMISSORA CULTURA DA VIDEIRA, TORNOU-SE NECESSÁRIA E POSSÍVEL A CONSTRUÇÃO DE NOVAS CASAS, COM MAIOR ESPAÇO E MAIS COMODIDADE. AÍ SURGEM AS CASAS COM PORÃO E ALGUMAS COM SÓTÃO. O PORÃO TEVE COMO UMA DAS CAUSAS PREPONDERANTES DO SEU SURGIMENTO A ELABORAÇÃO, ENVELHECIMENTO E GUARDA DO VINHO NAS PIPAS, O QUAL DEVERIA DURAR E ABASTECER O CONSUMO DA FAMÍLIA ATÉ A COLHEITA DO ANO SEGUINTE.
AQUI NA COLHEITA DAS UVAS
imagem - Almir Dupont
ESTA EH A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE BENTO GONÇALVES
imagem - Almir Dupont
EM UM DIA DE GEADA
imagem - Almir Dupont
ESTA EH A IGREJA DO CRISTO REI
imagem - Pheylmann
CHEGANDO NA CIDADE
imagem - Marcelo parise Petazoni
A MARIA FUMAÇA
imagem - Almir Dupont
ESTA EH A IGREJA MATRIZ
imagem - Vilson Flores
OLHE QUE BELEZA A PAISAGEM  NO ENTORNO DA CIDADE
imagem - Vilson Flores
ESTE EH O MONUMENTO AO IMIGRANTE
imagem - Fabiano Mazzotti
VISTA PARCIAL DA CIDADE
imagem - Vilson Flores
VISTA PARCIAL DE OUTRA REGIÃO DA CIDADE
imagem - Vilson Flores
AQUI AS PARREIRAS DE UVA NO OUTONO
imagem - Almir Dupont
AQUI O PÓRTICO DE ENTRADA NA CIDADE.
imagem - Almir Dupont
OLHE QUE PRAÇA MAIS BONITA
imagem - Fabiano Mazzotti
CHAFARIZ DA PRAÇA
imagem - Fabiano Mazzotti
ESTA EH A PRAÇA MATRIZ
imagem - Pheylmann
OUTRA PARTE DA PRAÇA DA MATRIZ
imagem - Pheylmann
ESTA EH A SEDE DO GOVERNO MUNICIPAL
imagem - Vilson Flores
AVENIDA PRINCIPAL
imagem - ?
OUTRA AVENIDA
imagem - Thiago Dambros
A CASA DA ESQUINA
imagem - Thiago Dambros
RUA DE UM BAIRRO
imagem - Thiago Dambros
VISÃO DOS PRÉDIOS
imagem - Thiago Dambros
AQUI O VALE DO RIO DAS ANTAS - COMPLEXO FERRADURA - 
imagem - Almir Dupont
AQUI O VALE DOS VINHOS
imagem - Fabiano Mazzotti
MAIS DO VALE DOS VINHOS
imagem - Fabiano Mazzotti
VISÃO DA IGREJA
imagem - Vilson Flores
AQUI A FLOR OFICIAL DO MUNICÍPIO
AZALÉIA, COR VINHO. INSTITUÍDA PELA LEI MUNICIPAL Nº 1.619, DE 03 DE JULHO DE 1989.
imagem - PMBG
AQUI TAMBÉM O COMPLEXO DA FERRADURA
imagem - ?
AQUI OS BARRIS ONDE SE CURTE OS VINHOS
imagem - ?
UMA VISÃO GERAL DA CIDADE
imagem - Barriga Verde
MAIS UMA VISTA PARCIAL
imagem - PMBG
PARREIRAL
imagem - PMBG
AQUI A BANDEIRA DA CIDADE
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO

VALEU PELA VISITA 

fonte / fotos - Thymonthy Becker / viajeaqui.abril.com.br / Portal da Prefeitura de Bento Gonçalves / Divulgação / IBGE / 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…

BRAGANÇA / PARÁ - A cidade respira Fé, Tradição e Cultura, nas belezas de suas praias, manguezais, rios, igarapés e ilhas

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "BRAGANÇA" / PARÁ / BRASIL  Bragança, localizada na região nordeste do Pará, a 210 quilômetros de Belém, capital do Estado, é um dos municípios mais procurados pelos turistas ao longo do ano, em especial durante as férias escolares.
Lar da Marujada, manifestação cultural que reúne milhares de pessoas no município para festejar São Benedito, Bragança tem praias oceânicas belíssimas, pra quem quiser aproveitar em qualquer época do ano.

A cidade, de origem portuguesa, guarda na sua cultura características religiosas marcantes e também festeja São Sebastião e Nossa Senhora de Nazaré.
Suas fronteiras são estratégicas. Assim, o município oferece o maior número de opções aos turistas: ao Norte está o oceano Atlântico, ao Sul, o município de Santa Luzia do Pará, a Leste os municípios de Augusto Corrêa e Vizeu e a Oeste, Tracuateua.

Na língua tupi, Caeté quer dizer 'mato grande' e, por estar localizada à margem esquerda do rio Caeté, Bragança é c…