Pular para o conteúdo principal

PARINTINS / AMAZONAS - Cidade do maior espetáculo folclórico da terra - Boi Garantido ou Boi Caprichoso, um deles vai conquistar você




LINHA DO TEMPO DE "PARINTINS" / AMAZONAS / BRASIL 
O Boi Garantido, com o seu tradicional coração vermelho na testa, desfila durante a 50ª edição do Festival Folclórico de Parintins, em 2015
Acessível de avião ou pelo Rio Amazonas, a segunda maior cidade amazonense é palco do Festival de Parintins, no último fim de semana de junho, que opõe as agremiações do Garantido (vermelho) e Caprichoso (azul). A rivalidade extrapola os limites da festa. Casas, bares, postes, orelhões: tudo é vermelho ou azul. 
Até mesmo o boi é julgado durante o desfile de Parintins. O tripa do boi, dançarino responsável por dar movimentos ao boneco, precisa imitar os movimentos reais de um boi, e dançar com leveza, interagindo com os outros integrantes do desfile no Bumbódromo
As apresentações ocorrem numa arena e os temas visam sempre preservar o folclore e a diversidade cultural dos povos da Amazônia. Danças de influência indígena, personagens, toadas e carros alegóricos contam a história do boi-bumbá e o cotidiano dos habitantes da região – 21 itens, como a participação da torcida, são avaliados pelos jurados. 
Durante o Festival de Parintins, as ruas ficam enfeitadas e as casas e os muros são pintados com as cores de Caprichoso e Garantido
COMO CHEGAR 
A Trip Linhas Aéreas tem voos diários, de uma hora, a partir de Manaus (no período do festival, a TAM e a Gol também voam para cá). De barco pelo Rio Amazonas, são 20h desde Manaus (Porto: 92/3522-4787), ou Santarém (Cooperativa de Transporte de Passageiros: 93/3522-4787), e quatro dias partindo de Belém (AR Transportes: 91/3224-6885).
CIDADE DO MAIOR ESPETÁCULO FOLCLÓRICO DA TERRA
BEM VINDO A CIDADE DE PARINTINS. TERRA DO MAIOR ESPETÁCULO FOLCLÓRICO DA MAIOR FLORESTA DA TERRA.
imagem - Janguilo Ferreira
PARINTINS TEM 102.033 HABITANTES - IBGE 2010 -QUEM NASCE EM PARINTINS EH: PARINTINENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 15 DE OUTUBRO E FOI FUNDADA EM 1.852
ORIGEM DO NOME
Até 1832, a localidade era oficialmente denominada Vila Nova da Rainha, topônimo depois mudado para Vila Bela da Imperatriz e, mais tarde, para Parintins.   Que eh uma Variação abreviada de parintintins. Parintins, cuja origem vem de uma aldeia dos índios Parintintins.
HISTÓRIA
O município de Parintins, como quase todos os demais municípios brasileiros, foi, primitivamente, habitado por indígenas. Sua descoberta ocorreu em 1749, quando, descendo o rio Amazonas, o explorador José Gonçalves da Fonseca notou uma ilha que, por sua extensão, se sobressaía das outras localizadas à direita do grande rio.
A fundação da localidade só foi realizada em 1796, por José Pedro Cordovil, que veio com seus escravos e agregados para se dedicar à pesca do pirarucu e à agricultura, chamando-a Tupinambarana.
Ao sair dali, algum tempo depois, ofertou a ilha à rainha. Tupinambarana foi aceita e elevada à missão religiosa, em 1803, pelo capitão–mor do Pará, o Conde dos Arcos, que incumbiu sua direção ao frei José das Chagas, recebendo a denominação de Vila Nova da Rainha.
No início do século XIX, Vila Nova da Rainha apresentava aspecto de progresso e prosperidade. Sob o comando do Capitão de Milícias Antônio Vieira Correia da Maia, para ali se transferiu o Registro Fiscal, com a incumbência de inspecionar as embarcações que transportavam mercadorias, fugindo à cobrança dos dízimos. Dois anos depois, o Registro mudou-se para as faldas da serra de Parintins, por ordem da Junta Governativa da Capitania do Rio Negro e aí funcionou até 1824, ao que se presume.
Em 1818, sob o governo de Antônio José de Souza Manuel de Meneses, Conde de Vila Flor, Vila Nova reivindicou sua autonomia do Rio Negro, então vinculado à Capitania do Grão-Pará. A 3 de setembro ou outubro daquele ano, requereu os habitantes a elevação do lugar à categoria de Vila.
AQUI A SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA -
imagem - Janguilo Ferreira
CATEDRAL DE NOSSA SENHORA DO CARMO
imagem - Vicente A. Queiroz
INTERIOR DA CATEDRAL DE NOSSA SENHORA DO CARMO
imagem - Antônio Carlos Buriti
IGREJA
imagem - Joseph Cro
IGREJA RIBEIRINHA
imagem - Ari Vicente
A cidade é dividida por uma linha imaginária que vai da Catedral de Nossa Senhora do Carmo ao Centro de Convenções Amazonino Mendes (Bumbódromo), criando duas zonas: uma Azul (Boi Caprichoso) e outra Vermelha (Boi Garantido).
O visitante da ilha nota essa divisão de cor, olhando para as pinturas das casas, placas turísticas indicativas, faixas de pedestres e até os orelhões da cidade. Do lado Azul ficam: Centro, Palmares, Francesa, Santa Clara, Santa Rita, Macurany e Castanheira.
Do lado vermelho localizam-se os seguintes bairros: São José, Djard Vieira, Itaúna, Lady Laura, Distrito Industrial, Paulo Corrêa, São Benedito, João Novo e Emílio Moreira.
VEJA AGORA ALGUMAS IMAGENS DA CIDADE.
imagem - Eiji Matsumoto
DAQUI SE PARTE DE BARCO PARA OUTRAS CIDADES
imagem - Eiji Matsumoto
imagem - Ari Vicente
imagem - Joseph Cro
imagem - Joseph Cro
PORTO DE PARINTINS ADMINISTRADO PELO DNIT
imagem - K Dealy
imagem - Eiji Matsumoto
imagem - Ari Vicente
imagem - Joseph Cro
imagem - Eiji Matsumoto
imagem - Joseph Cro
AQUI UM HOTEL
imagem - Janguilo Ferreira
imagem - Joseph Cro
imagem - ?
imagem - ?
imagem - Joseph Cro
imagem - Joseph Cro
imagem - Ari Vicente
imagem - ?
FESTIVAL FOLCLÓRICO DE PARINTINS
Durante o último fim de semana de junho, os bois-bumbás Garantido (vermelho) e Caprichoso (azul) atraem uma verdadeira multidão a Parintins. É tanta gente que uma verdadeira cidade flutuante, repleta de barcos, se forma às margens do Rio Amazonas. A rivalidade entre os blocos, que vem desde 1913, é tão grande que os participantes de um nunca dizem o nome do outro: referem-se a ele somente como "boi contrário".
A festa ocorre na cidade de Parintins, localizada a uma hora de avião a partir de Manaus (AM)
A festa costuma ser comparada ao Carnaval, mas a estrutura, a dinâmica e os objetivos são bem diferentes do desfile de uma escola de samba. Aqui, as apresentações ocorrem numa arena e os temas visam sempre preservar o folclore e a diversidade cultural dos povos da Amazônia. Danças de influência indígena, personagens, toadas e grandes alegorias contam a história do boi-bumbá e o cotidiano dos habitantes da região.
Desfile do Caprichoso no 44º Festival Folclórico de Parintins (AM), em 2009
Quem pretende acompanhar de perto o espetáculo deve planejar a viagem em fevereiro, com a compra das passagens, ingressos e hospedagem (Tucunaré Turismo, 3234-5071).
Telões e palcos espalhados pela cidade garantem a animação de quem não conseguiu uma vaga na arena. parintins.com.
Nas primeiras edições do Festival, o boi bumbá vencedor era o mais aplaudido. Hoje, os requisitos para definir o campeão do ano são mais técnicos

O Festival Folclórico de Parintins sempre acontece na última semana de junho
São intermináveis os preparativos para o espetáculo mais esperado da maior floresta do planeta. O Festival Folclórico de Parintins acontece anualmente nos dias 28, 29 e 30 de junho. Mas a festa do boi, como é chamada pelo povo, acontece todos os dias no coração dos amazonenses. Os ensaios, a confecção das alegorias, fantasias e coreografias têm início dois meses antes do grande evento celebrado no bumbódromo, o templo do festival, com capacidade para 35 mil expectadores.
Mais de 100 mil pessoas são atraídas anualmente para o Festival de Parintins: a cada noite, o resultado dos ensaios nos QG’s de Caprichoso e Garantido é apresentado através do conjunto folclórico, inspirado em lendas de pajelanças indígenas de várias tribos, e costumes caboclos da amazônia.
Na foto do festival, o boi Garantido desfila no bumbódromo de Parintins
Marcada pelas impressionantes alegorias representadas por carros confeccionados por artistas parintinenses. A disputa baseia-se em lendas locais, as quais, ano após ano, voltam a povoar o imaginário popular, representando a história do homem amazônico através de uma grande festa, a qual contagia com suas toadas tanto os brincantes quanto o público nas arquibancadas.
imagem -  ?
imagem - Wikipédia
imagem - ?
imagem - ?
BOI GARANTIDO
Inicialmente o menino de 11 anos, que brincava com a garotada de fé (turma de amigos) em seu quintal, confeccionou seu boi com curuatá, e batizou-o de "Garantido".
Por mais sete anos o quintal de Dona Xanda (Alexandrina Monteverde, mãe de Lindolfo) foi o palco para a festa desse Boi.
Após algumas discussões com Dona Xanda, Lindolfo conseguiu convencer a mãe a ajudá-lo a fazer os primeiros chapéus e camisas vermelhas, para sair às ruas. A resistência de sua mãe não era gratuita, uma vez que naquela época, as batalhas entre contrários eram coisa séria. Tanto que nem as mulheres podiam participar.
Mas foi aos 18 anos que a brincadeira de quintal de Lindolfo se tornou motivo de promessa, e transformou Garantido em um "Boi de promessa".
Durante uma viagem ao Pará, Lindolfo teve sérios problemas de saúde e fez uma promessa a São João Batista: se ele ficasse curado, faria seu Boi brincar durante toda sua vida. Graça alcançada, promessa cumprida.
Daí para frente o Boi foi conquistando ao longo de várias décadas o coração de milhares de vermelhos no Brasil e no mundo, mantendo vivas as raízes do amazonense através de sua música e dança.
( Surgido a 13 de junho de 1913, o Boi Garantido apareceu nos sonhos do curumim Lindolfo Monteverde, que sempre sentava ao colo de sua avó maranhense para ouvir as lendas do boi de pano que dançava nas noites de São João. )
A festa popular é a maior do estado do Amazonas; são três dias de desfiles que mostram toda a riqueza folclórica da Amazônia
Para consagrar-se campeão, o boi bumbá deve ser o melhor pontuado nos seguintes quesitos: apresentador; levantador de toadas; batucada; ritual; porta-estandarte; amo do boi; sinhazinha da fazenda; rainha do folclore; cunhã poranga; boi bumbá (evolução); toada (letra e música); pajé; tribos indígenas ; tuxauas; figuras típicas regionais; alegorias; lenda amazônica; vaqueirada; galera; coreografia e organização do conjunto folclórico
A Porta Estandarte é importante durante o desfile, e sua performance também é julgada para definir o vencedor do ano
Uma das personagens mais fotografadas no Festival é a Sinhazinha da Fazenda, que representa a filha do dono da fazenda
imagem - Joseph Cro
imagem - Antônio Carlos Buriti
BOI CAPRICHOSO
Vindos de Crato, Ceará, os irmãos Cid chegaram à região à procura de trabalho, mulher e filhos, e fizeram uma promessa a São João Batista: se alcançassem essas graças, reverenciariam o santo com um boi de pano. E assim aconteceu.
Como bons cristãos, juntaram-se ao ilustre filho de Parintins José Furtado Belém, advogado que fez carreira na política amazonense, e chegou a Vice-governador do Estado.
Certo dia, os três estavam frente à Praça 14 em Manaus, quando viram um Boi pertencente à família Antares, com o nome de Caprichoso.
Caprichoso: feito por capricho, excêntrico; variável; teimoso; obstinado.
Com todos estes atributos, o trio fundou um Boi homônimo em Parintins. Surge então em 20/10/1913 o Boi Caprichoso de Parintins, na Travessa Sá Peixoto.
Inicialmente com uma marujada de 20 pessoas, com um instrumental feito de madeira oca com peles de animais, surge o Boi, cujos personagens eram a Estrela Maior, o Amo e A Vaqueirada.
Ano após ano a paixão pelo "diamante negro" cresce e arrebata mais apaixonados pela metade azul da Parintins. Sejam eles parintinenses de nascimento, ou de espírito.
Lendas e rituais dos indígenas do Amazonas também viram tema do desfile, que acontece todos os anos, na última semana de junho
Lendas indígenas e a cultura local, dos ribeirinhos, são intensamente exploradas nas alegorias dos desfiles do Festival
O Festival é muito popular nos estados de Amazonas e Pará, e a cidade recebe milhares de visitantes - que também têm os seus bois favoritos
Desfile da 50ª edição do Festival Folclórico de Parintins, realizada em junho de 2015
imagem -  Antônio Carlos Buriti
imagem - ?
imagem - ?
imagem - Janguilo Ferreira
imagem - Joseph Cro
imagem - Antônio Carlos Buriti
imagem - ?
imagem - ?
ONDE FICAR
HOTEL AMAZON RIVER
Tem quartos espaçosos e café da manhã com produtos regionais. Durante o Festival Folclórico, as diárias incluem ingressos para o bumbódromo. Os pacotes são fechados com a Tucunaré Turismo (3234-5071).

Lagoa da Francesa, 697
Santa Rita
(92) 3533-1342 (Telefone)
(92) 3533-6303 (Reservas)
www.amazonriver.com.br/
COMPRAS DE PRODUTOS DO FESTIVAL
Miniaturas dos bois, bonecas, DVDs, camisetas, e souvenires em geral.
Boulevard 14 de Maio, 1800
Centro
(92) 3533-2990 (Telefone)
O desfile dos bois bumbás mostram figuras típicas regionais e personagens de lendas da Floresta Amazônica
Durante a apresentação de um boi, a torcida a favor manifesta-se fazendo muito barulho. Em contrapartida, a "galera" opositora não emite um pio
Horário de funcionamento:
Segunda a sábado, das 8h às 12h e das 14h às 18h
A primeira edição do Festival Folclórico ocorreu em 1965, mas ainda não haviam os bois Caprichoso e Garantido
Formas de pagamento:
Cartões de Crédito: American Express, Diners, Elo, Mastercard, Visa; Cartões de Débito: Maestro, Rede Shop, Visa Electron
AQUI O AEROPORTO
imagem - Janguilo Ferreira
RUA BEIRA RIO
imagem - Joseph Cro
CENTRO DA CIDADE
imagem - Janguilo Ferreira
imagem - Joseph Cro
CRUZEIRO
imagem - Eiji Matsumoto
imagem - Joseph Cro
imagem - Ari Vicente
imagem - Joseph Cro
LOJA DE ARTESANATO
imagem - Antônio Carlos Buriti
MERCADO PÚBLICO
imagem - Janguilo Ferreira
imagem - Joseph Cro
imagem - Joseph Cro
imagem - Joseph Cro
imagem - Joseph Cro
imagem - Joseph Cro
imagem - Joseph Cro
ROTATÓRIA
imagem - Joseph Cro
imagem - Antônio Carlos Buriti
imagem - Ari Vicente
imagem - Antônio Carlos Buriti
População: 103.828 habitantes
DDD: 92
Estado: Amazonas
Distância de outras cidades: Manaus, 1h15 de avião ou 26h de barco, Santarém, 1h20 de avião ou 20h de barco, Belém, 60h de barco
Em 1967, começou a competição entre os bois Garantido e Caprichoso - que foi acirrando-se cada vez mais e ganhando proporções carnavalescas, como na foto
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO

VALEU PELA VISITA, SEMPRE VOLTE

fonte / fotos = Wikipédia / Thymonthy Becker / viajeaqui.abril.com.br / IBGE / Divulgação / Portal de turismo de parintins / 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MARECHAL DEODORO / ALAGOAS - A primeira capital de Alagoas, Patrimônio Histórico Nacional, numa simpática viela de colorido casario colonial, nasceu Marechal Deodoro da Fonseca

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "MARECHAL DEODORO" / ALAGOAS / BRASIL
O centro histórico de Marechal Deodoro em Alagoas tem muitas construções antigas, mas nem tudo está preservado A primeira capital de Alagoas ganhou, em 2006, o título de Patrimônio Histórico Nacional. Reúne um conjunto de dez igrejas, a maioria em ruínas. Entre elas estão a Senhor do Bonfim (1755), no bairro de Taperaguá, a N.S. do Amparo (1757), na Rua Ladislau Neto, e o importante complexo (atualmente em restauração, fechado para visitas) onde ficam o Museu de Arte Sacra, o Convento de São Francisco e a Igreja de Santa Maria Madalena. A casa onde o Marechal Deodoro da Fonseca viveu até os 16 anos é um museu, na rua que leva o seu nome (uma simpática viela de colorido casario colonial). Você pode estacionar o carro ali e, com um guia do museu, conhecer os arredores. foto - ? População estimada 2016 (1) - 51.715
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 332,140
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 138,62
Código…

CARATINGA / CIDADE ESPERANÇA / TERRA DAS PALMEIRAS

SEJA SEMPRE BEM VINDO A CIDADE DE CARATINGA. A CIDADE DO MENINO MALUQUINHO
copyrigth "?" ORIGEM DO NOME
A denominação do município Caratinga, de origem indígena, (cará / tinga = branco) é devido à falta de alimentação diversificada, o que fazia com que os primeiros habitantes da região se alimentassem de um tubérculo muito encontrado na região na época do povoamento, um cará-branco que servia de alimento para os índios CARATINGA TEM ATUALMENTE, 85.322 HABITANTES. QUEM NASCE EM CARATINGA É: CARATINGUENSE. O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,754 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 24 DE JUNHO. FOI FUNDADA EM 1848 EM CARATINGA, FORAM REALIZADOS EM 2010, 513 CASAMENTOS 056 SEPARAÇÕES 079 DIVÓRCIOS. HISTÓRIA
Em 1841 aportou por estas terras o grande desbravador Domingos Fernandes Lana, que aqui permaneceu até 1847.
No final desse ano, João Caetano do Nascimento, João Antônio de Oliveira e João José, bravos pioneiros, vieram de mudança, trazendo suas famílias,…

CORONEL FABRICIANO / CIDADE DA SERRA DOS COCAIS

BOM DIA. BEM VINDO A CORONEL FABRICIANO.
copyrigth "pmcf" CORONEL FABRICIANO TEM 103.797 HABITANTES. QUEM NASCE EM CORONEL FABRICIANO É: FABRICIANENSE. O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,789 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A ÁREA DA CIDADE É DE APENAS 221 QUILÔMETROS QUADRADOS. DEVIDO A ISTO, A DENSIDADE DEMOGRÁFICA É ALTA. SÃO 470 HABITANTES POR QUILÔMETRO QUADRADO. Destemidos desbravadores, muitos dos quais heróis anônimos que arrostando o endêmico impaludismo, em meio selvagem e hostil, abriram picadões, rasgaram clareiras, mata virgem adentro sertões afora, para que a ferrovia Vitória a Minas pudesse estender as suas paralelas de aço em direção a Itabira, em demanda do riquíssimo minério de ferro do fabuloso Cauê, hoje fonte principal de uma das maiores divisas acarretadas para a Pátria Brasileira. Foi do arroio daqueles heróicos operários, que surgiu a atual cidade Coronel Fabriciano, que até o princípio de 1922 não passava de uma floresta virgem, não violada p…

QUARTEL GERAL / MINAS GERAIS - Paisagens naturais, Trilhas do Indaiá, Cachoeiras, esportes Radicais, Jipeiros, Construções Históricas. Aventure-se nesta jornada

LINHA DO TEMPO DE "QUARTEL GERAL" / MINAS GERAIS / BRASIL
Quartel Geral faz parte do circuito turístico caminhos do Indaiá. Quartel Geral uma cidade tão especial e peculiar para os mineiros. Eugênia, esposa de Tiradentes, depois de sua morte morou na cidade com seu filho em uma fazenda. A mineração dos diamantes também foi um ponto marcante para a criação do povoado e posteriormente, da cidade. São aspectos que permeiam a história de Quartel Geral e que somente entrando nas verdes matas para descobrir os caminhos do Indaiá, o Rio que atravessa vários municípios e que deu nome ao circuito turístico. Para quem gosta de esportes radicais, os trilheiros, jipeiros e de cachoeiras, Quartel Geral pode proporcionar muitas aventuras.
Academia da Saúde em Quartel Geral, Minas Gerais,  tem por objetivo manter a população saudável
foto - Câmara Municipal Conhecer Quartel Geral também é uma aventura por tudo que o município tem a oferecer com suas paisagens naturais. Aventure-se nessa jornada. Q…

PATOS DE MINAS

BOM DIA. BEM VINDO A PATOS DE MINAS. A CIDADE DA MAIOR FESTA DO MILHO DO BRAZIL E POLO ECONÔMICO REGIONAL copyrigth "maira" PATOS DE MINAS TEM ATUALMENTE, 138.836 HABITANTES. QUEM NASCE EM PATOS DE MINAS É: PATENSE. O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,813, CONSIDERADO ELEVADO PELOS INDICADORES DA ONU. PATOS DE MINAS É O MAIOR POLO ECONÔMICO E A MAIOR CIDADE DO ALTO PARANAÍBA. EM MAIO, ACONTECE NA CIDADE, A MAIOR FESTA DO MILHO DO BRAZIL. Origem do nome do Município provém da enorme quantidade de patos que existiam no território, encontrados habitualmente em uma grande lagoa, a três quilômetros da margem do rio Paranaíba. Atraídos pela caça abundante e variada, os tropeiros que levavam suas tropas pelo interior de Minas Gerais faziam pouso a beira dessa lagoa, construindo ranchos em que se abrigavam. Neste tempo, todo o oeste de Minas estava coberto de matas, atravessadas apenas por estreitas trilhas, que tinham em alguns pontos, a léguas de distância, vestígios de civilização. Com o correr …

OLIVEIRA / MINAS GERAIS - A terra Natal do Cientista "Carlos Chagas" eh repleta de belíssimos casarões que contam a história da cidade

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "OLIVEIRA" / MINAS GERAIS / BRASIL BEM VINDO A OLIVEIRA. TERRA DO CIENTISTA DESCOBRIDOR DA DOENÇA DE CHAGAS copyrigth "PMO" Esta Figueira se desenvolveu abraçada a um coqueiro, derivando daí o nome “coqueiro abraçado”, o fenômeno biológico não é único, mas bastante raro  e em Oliveira se transformou no maior símbolo da cidade, pois está ligado aos sentimentos de carinho e amor, além de ensejar a harmonia indispensável a uma comunidade urbana, sendo um exemplo da natureza para o Homem. O coqueiro abraçado está localizado na região central da cidade. AQUI, O MORRO DO CRISTO
copyrigth "PMO"
População estimada 2016 (1) - 41.739 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 897,294 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 43,98 Código do Município 3145604 Gentílico - oliveirense
ORIGEM DO NOME O topônimo registra duas versões: segundo uns, originou-se da presença de oliveiras entre as árvores frutíferas…

VARZEA DA PALMA - NO CAMINHO DA BAHIA

BEM VINDO A CIDADE DE VARZEA DA PALMA. 
foto - Alonso Alves dos Reis Neto
VARZEA DA PALMA TEM 35.809 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM VARZEA DA PALMA EH: VÁRZEA PALMENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 12 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.953
ORIGEM DO NOME

SÃO JOSÉ DA VARGINHA

BEM VINDO A CIDADE DE SÃO JOSÉ DA VARGINHA. A TERCEIRA MAIOR PRODUTORA DE FRANGOS DAS MINAS GERAIS. UMA DAS MELHORES PARA SE VIVER E INVESTIR copyrigth "André Luiz Silva" SÃO JOSÉ DA VARGINHA TEM 4.198 HABITANTES (IBGE 2010) QUEM NASCE EM SÃO JOSÉ DA VARGINHA EH: VIRGINENSE DE SÃO JOSÉ A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 1º DE MARÇO E FOI FUNDADA EM 1963 ORIGEM DO NOME O padre Antônio Moreira Barbosa incentivou os novos habitantes a criar o povoado numa linda vargem que existia as margens do Ribeirão de Lages. Devido a sua devoção à São José e a linda vargem que lá existia, a localidade recebeu o nome de São José da Varginha. HISTÓRIA Os primeiros habitantes da região, onde hoje se localiza o Município de São José da Varginha, vieram em busca de ouro na região de Pitangui. Porém, como na localidade se cobrava o imposto do quinto, o bandeirante Domingos Rodrigues do Prado resolveu se estabelecer em outra localidade, trazendo consigo outros paulistas, iniciando assim a ocupação das terras do …

RIO GRANDE DO SUL / BRASIL - As lembranças, as emoções que ficam, as histórias para contar, os pequenos prazeres que só tem valor quando a gente vive o momento

LINHA DO TEMPO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL / BRASIL Como não se render à beleza e os encantos de cada pedacinho de chão desse Rio Grande do Sul? Alguns destinos onde a natureza encanta por sua serenidade, e se apresenta por trilhas ecológicas, belas cascatas, cachoeiras, grutas, cânions e montanhas. E assim nos recebe esse Rio Grande... Conversando com nossa gente, com um mate bem cevado às mãos e a tradição gaúcha no coração... Aventure-se! Existem várias formas de conhecer o Rio Grande do Sul. Você pode optar pela rota metropolitana, onde estão as principais cidades mais próximas de Porto Alegre, o Litoral, onde poderá conhecer as melhores praias, a Serra Gaúcha, um dos destinos mais procurados por turistas que visitam o Estado, e ainda a Rota Central e Interior, onde cidades atrativas esperam a sua visitação. Ser gaúcho é motivo de muito orgulho para cada um dos 10,5 milhões de habitantes do Rio Grande do Sul. Mais dia menos dia, mesmo quem não é nascido no estado, mas ali vive, co…

DIVINÓPOLIS / MINAS GERAIS - COM O 5º MELHOR IDH, 10ª MELHOR PARA INVESTIR E CONSIDERADA A METRÓPOLE DO FUTURO SEGUNDO A REVISTA "VEJA"

LINHA DO TEMPO DE DIVINÓPOLIS / MINAS GERAIS / BRASIL  HISTÓRIA Os índios que habitavam Divinópolis, mais de quatro mil, eram um povo pacífico. A Legião da Conquista (cerca de 1400 homens fortemente armados sob o comando do Mestre de Campo Inácio Correia de Pamplona), pelos idos de 1785, expulsou a comunidade indígena na região que partiu em direção à Floresta Amazônica (Alto Xingu). Segundo o pesquisador Flávio Flora, os índios que habitavam Divinópolis eram os índios da Nação Caipó, da tribo Candidés. Manoel Fernandes Teixeira marca sua chegada em 1684, as margens do rio Itapecerica, habitadas pelos índios Candidés, o começo da cidade. Conta – se que ele era de origem portuguesa. Mais tarde em 1770, quando se tornou próspero fazendeiro doou à Mitra Arquidiocesana de Mariana um terreno de “40 alqueires de terra e um lote de casas”, onde se construiu uma capela destinada ao Divino Espírito Santo e a São Francisco de Paula, iniciando o povoado do Divino Espírito Santo do Itapecerica. A cida…