Pular para o conteúdo principal

ESPÍRITO SANTO / BRASIL - Dunas, Praias, enseadas, águas mornas, areia monazítica, surf, wind surf, wakeboard, mergulho, enfim, o Espírito Santo eh um ponto turístico




LINHA DO TEMPO DO ESTADO DO "ESPÍRITO SANTO" / BRASIL / WORLD
ESPÍRITO SANTO / BRASIL 
O Espírito Santo é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Sudeste. É o quarto menor estado do Brasil, maior apenas que Sergipe, Alagoas e Rio de Janeiro. Sua capital é o município de Vitória, e sua cidade mais populosa, o município de Serra. O Espírito Santo é, ao lado de Santa Catarina, um dos únicos entre os estados do Brasil no qual a capital não é a maior cidade. Outros importantes municípios são Aracruz, Cariacica, Cachoeiro de Itapemirim, Colatina, Guarapari, Linhares, Nova Venécia, Pinheiros, São Mateus, Viana e Vila Velha. O gentílico do estado é capixaba ou espírito-santense.
HISTÓRIA
Em 1535, os colonizadores portugueses chegaram na Capitania do Espírito Santo e desembarcaram na região da Prainha. Naquela época, teve início a construção do primeiro povoado que recebeu o nome de Vila do Espírito Santo. Por causa dos índios terem atacado a Vila do Espírito Santo, o líder Vasco Fernandes Coutinho fundou outra vila, naquela vez em uma das ilhas. Esta vila passou a ser chamada de Vila Nova do Espírito Santo (Vitória). Enquanto isso, a antiga recebeu o nome de Vila Velha. Houve um tempo, que poucas pessoas conhecem, em que houve a anexação do Espírito Santo à Bahia. Então, a capital da extinta Capitania do Espírito Santo passou a ser Salvador.
Atualmente, a capital Vitória é um importante porto exportador de minério de ferro. O estado também possui festas famosas. Entre elas podemos citar: a Festa da Polenta em Venda Nova do Imigrante, a Festa da Penha em Vila Velha e o Festival de Arte e Música de Alegre. 
ORIGEM DO NOME
O nome do estado é uma denominação dada pelo donatário Vasco Fernandes Coutinho que ali desembarcou em 1535, num domingo dedicado ao Espírito Santo. Como curiosidade dessa etimologia, merece destaque o Convento de Nossa Senhora da Penha, símbolo da religiosidade capixaba que abriga em seu acervo a tela mais antiga da América Latina, a imagem de Nossa Senhora das Alegrias.
Gentílico: capixaba, espírito-santense
(“capixaba significa terra limpa para plantação, roçado, roça”. Os índios da região chamavam a suas plantações de milho e mandioca de capixaba e “com isso, a população de Vitória passou a chamar de capixabas os índios que habitavam a região e depois o nome passou a denominar todos os moradores do Espírito Santo”.)
Capital - Vitória
População estimada 2016 - 3.973.697
Área 2015 (km²) - 46.089,390
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 76,25
Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (Reais)(1) - 1.074
Número de Municípios - 78
TURISMO
PRAIAS
As praias inesquecíveis são o grande destaque do Espírito Santo. O clima tropical convida a todos a observar as belezas naturais e a saborear a típica moqueca e a torta capixaba. É no litoral que se concentra o maior número de visitantes, desde aqueles que pretendem sentir o vento e ouvir somente o barulho das ondas até os que procuram muita badalação.
As cidades banhadas pelo mar possuem praias diversificadas. Aqui, se encontram dunas, praias desertas e semidesertas, enseadas, águas mornas e cristalinas e também as famosas praias com areia monazítica, muito utilizada para o uso medicinal. Os esportes náuticos também são muito praticados na costa do Espírito Santo. O surf, wind surf, wakeboard, standup paddling, o mergulho, o passeio de escuna e banana boat são grandes atrativos do litoral capixaba.
A Região Metropolitana abriga praias como Guarapari, Curva da Jurema, Camburi, Praia da Costa, Itapoã, Coqueiral de Itaparica, Jacaraípe e Manguinhos. Ao Sul, destacam-se as praias de Piúma, Anchieta, Marataízes e Itapemirim. Ao Norte, as praias de Regência, Barra do Sahy, Pontal do Ipiranga, Coqueiral, Praia dos Padres, Guriri, Itaúnas e Riacho Doce, são algumas das mais procuradas.
REGIÃO SERRANA
Nas montanhas do Espírito Santo temos municípios que fazem parte das seguintes rotas: do Mar e das Montanhas, dos Vales e do Café, da Costa e da Imigração, Caminhos do Imigrante, do Caparaó e Rota Imperial. Entre as cidades localizadas nessas rotas, destacam-se Domingos Martins, Marechal Floriano, Venda Nova do Imigrante, Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Alfredo Chaves, Alegre e Santa Teresa.
Nesses municípios, o turista pode desfrutar do aconchego das montanhas com direito a lindas paisagens, pratos típicos e produtos do agroturismo. Quem gosta de um pouco mais de emoção, pode ainda praticar esportes de aventura como voo livre, rafting, trekking, escaladas, mountain bike, trilhas, entre outros.
A região das montanhas capixabas propõe o resgate histórico e o conhecimento de uma cultura peculiar trazida por imigrantes de distintos países. Os caminhos e a história traçados pelos imigrantes alemães e italianos são apresentados na região. Ao desbravar esse percurso, o visitante encontra cachoeiras, esportes e muita cultura.
PARA VER E SE DIVERTIR:
Rota do Mar e das Montanhas – Formada pelos municípios de Vitória, Viana, Domingos Martins, Marechal Floriano e Venda Nova do Imigrante. Aqui, destacamos:
CIDADE DE DOMINGOS MARTINS
A herança deixada pelos imigrantes alemães e também italianos é marcante na arquitetura e na culinária de Domingos Martins. O município, que acolhe os visitantes com um clima extremamente agradável, foi considerado pela Revista Quatro Rodas como um dos três melhores do mundo. A temperatura máxima é de 18 graus.
ATRATIVOS TURÍSTICOS
Eventos não faltam no calendário do município. Entre os mais famosos estão a Sommerfest, Festa da Imigração Alemã; Encenação da Paixão de Cristo, em Santa Isabel; Corpus Christi, em Paraju; Festival Internacional de Inverno; Encontro Internacional do Vinho e Festa do Morango; Pommerfest – festa pomerana em Melgaço; e Blummerfest – festa das flores.
Igreja Luterana
construída em 1866, é a primeira igreja evangélica do país a ter uma torre.
Museu Histórico e Casa de Cultura: retratam as colonizações alemã e italiana e expõem fotos, mobiliário colonial, quadros e objetos trazidos da Europa. Constam de seu acervo cartas e lembranças da visita do imperador D. Pedro II ao Estado, ligadas ao mártir Domingo José Martins.
Parque Estadual Pedra Azul
reserva natural com 1.240 hectares, compreende várias trilhas, fauna e flora bastante diversificadas. Nele está a Pedra Azul, que se destaca na paisagem com seus 1822 metros de altura. A Pedra Azul foi considerada pela ONU como o 3° melhor clima do mundo. Inclui ainda a Pedra das Flores, com 1.909m de altura e a do Lagarto.
Trem das Montanhas Capixabas
O trem das Montanhas Capixabas parte da estação ferroviária em Viana, passa pelo município de Domingos Martins e termina em Araguaia, no município de Marechal Floriano, em um percurso de 45 km em meio à serra do mar e com duração de mais ou menos 2h30min.
CIDADE DE MARECHAL FLORIANO
Uma cidade cheia de histórias, que foram deixadas pelos imigrantes italianos e alemães. O município tem ótimas opções de lazer como os centros culturais e cachoeiras. A beleza das orquídeas deu a Marechal Floriano o apelido de cidade das Orquídeas. Além disso, as culinárias alemã e italiana são uma atração à parte, com seus deliciosos pratos típicos. A cultura dos povos que colonizaram o município é mantida com os grupos de dança e os corais, mostrando toda a alegria trazida por eles.
ATRATIVOS TURÍSTICOS
Igrejinha de Santo Antônio: construída de madeira em 1891 e reconstruída em 1938 com pedras e tijolos, quando ganhou o atual altar. Os moradores mais antigos contam histórias que até hoje guardam na memória.
Cachoeira do Bem-te-vi
Queda d’água com 40m de altura e 10m de largura. No local, há um jequitibá secular, medindo 50m de altura e 8m de diâmetro, com orquídeas e bromélias.
Gruta de Nossa Senhora de Lourdes
Com, aproximadamente, 1,7m de altura e 4m de largura, é uma espécie de “marquise” onde os fundadores de Santa Maria dormiam no ano de 1879. A gruta guarda a estátua da Santa de Lourdes.
CIDADE DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE
Em Venda Nova do Imigrante, conhecida como capital nacional do agroturismo, as propriedades produzem queijos, licores, cachaça, socol e café. O município se destaca, também, pela realização da Festa da Polenta, a maior festa da imigração italiana no Estado. O município é um refúgio para quem busca tranquilidade, lazer e diversão em meio à Mata Atlântica. Quem gosta de esportes radicais pode curtir as trilhas para jipes e motos, pedras ideais para rapel e escalada e diversas rampas para salto de asa-delta e parapente.
Atrativos turísticos:
Casa da Cultura: Museu com mais de 600 peças que contam a saga da colonização italiana, iniciada em Venda Nova do Imigrante em 1892.
Propriedades de Agroturismo: opção para conhecer o cotidiano da vida rural. As propriedades, algumas abertas à visitação, produzem queijos, licores, cachaça, socol e café. Na cidade, há também lojas de agroturismo, que fornecem informações sobre o segmento para os turistas.
Rota dos Vales e do Café
Formada pelos municípios de Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Muqui e Mimoso do Sul. Aqui, destacamos:
CIDADE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM
O município está situado no Sul do Espírito Santo, às margens do rio Itapemirim. É considerado o segundo pólo econômico mais importante do Estado, depois da Grande Vitória. Cachoeiro possui uma das maiores jazidas de mármore do Brasil e é um centro internacional de rochas ornamentais, sendo o responsável pelo abastecimento de 80% do mercado brasileiro de mármore. É também a cidade onde o cantor Roberto Carlos nasceu e viveu até os 13 anos.
Atrativos turísticos:
Casa da Cultura Roberto Carlos: onde morou o cantor. A casa reúne fotos, discos, quadros e instrumentos musicais do artista.
Casa dos Braga
considerada patrimônio histórico municipal e onde viveu o escritor Rubem Braga
Rota da Costa e da Imigração
Formada pelos municípios de Alfredo Chaves, Anchieta, Iconha, Piúma, Itapemirim, Marataízes e Presidente Kennedy. Aqui, destacamos:
CIDADE DE ALFREDO CHAVES
Lugar de descanso e adrenalina. Esse contraste é a marca de Alfredo Chaves. Localizado a apenas 81 km de distância da capital, o município transmite aconchego a todos os que passam por lá. A região montanhosa permitiu o surgimento de cachoeiras belíssimas que hoje são muito utilizadas para a prática de esportes. Cachoeiras como Matilde, Iracema, Tororoma, Daroz e vovó Lúcia atraem aqueles que pretendem praticar o trekking, o off-road, e o voo livre de parapente, muito procurado por aqueles que gostam de adrenalina. Apesar de ter uma das melhores rampas de voo livre do país, a cidade também é palco perfeito para outros esportes, como o motocross, o bicicross, o rapel e as caminhadas ecológicas. Com belezas naturais e povo acolhedor, Alfredo Chaves agrada a todos os que visitam o local.
Rampa Natural de voo livre
para a prática de asa delta e parapente.
Cachoeira Engenheiro Reeve ou Cachoeira de Matilde: De rara beleza, tem 300m de trilha e queda de 70m. É a maior do Estado em queda livre.
Estação Ferroviária: Prédio tombado pelo Conselho Estadual de Cultura.
Rota Caminhos do Imigrante
Formada pelos municípios de Cariacica, Santa Teresa, Fundão, Itaguaçu, Santa Maria de Jetibá, Santa Leopoldina e São Roque do Canaã. Aqui, destacamos:
CIDADE DE CASTELO
Castelo está localizado no Sul do Espírito Santo. Cercado de montanhas e cachoeiras, possui clima ameno, que varia entre 23º e 5ºC no inverno. Sua população é formada em sua maioria por descendentes de italianos.
Atrativos turísticos:
Santuário de Aracuí/Santuário Imaculada Esposa do Espírito Santo. 
No local já teriam acontecido três aparições de Nossa Senhora. O santuário recebe mais de três mil visitantes por mês, mas a data de maior movimento é o dia 13 de maio. Lá existem vários monumentos em mármore. A imagem de Cristo em um tablado de madeira, a imagem da Imaculada e um terço gigante de madeira na árvore onde teria acontecido o milagre.
Rampa de Ubá
localizada a 27 km da sede do município, possui 902 metros de altitude, cujo acesso está parcialmente pavimentado, proporcionando uma belíssima paisagem. Os voos de parapentes sobre as imponentes montanhas e precipícios, o pico do Forno Grande, a Pedra do Dedo e a Cachoeira da Prata, se fundem num só cenário. Ubá pode ser considerada uma das melhores e mais belas rampas de voo do mundo.
Fazenda da Prata
é um centro agropecuário. Além de explorar jazidas de calcário, seu principal atrativo natural é uma cachoeira de mais de 100 metros de queda dágua, que forma uma imagem deslumbrante e transforma o local em um dos principais cartões postais da cidade.
Gruta do Limoeiro
situada a 15 quilômetros do centro de Castelo, possui vários salões internos e é considerada a mais importante do Estado, por causa de sua profundidade e de suas formações rochosas de beleza inconfundível. Em 1984, foi tombada como Patrimônio Histórico do Espírito Santo, pelo Conselho Estadual de Cultura. Considerada um sítio arqueológico, foi alvo de vários estudos. Uma das equipes, formada por pesquisadores da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e coordenada pelo antropólogo Celso Perota, encontrou 11 esqueletos de homens que viveram há, aproximadamente, 4.500 anos. Descobriu-se que desde o ano de 1.200 a Gruta do Limoeiro foi habitada por índios. No período colonial, teria sido habitada pela tribuno Puris.
Parque Forno Grande
criado em 31/10/60 como Reserva Florestal, passou a Parque Estadual do Forno Grande em 1998, objetivando a conservação da fauna e flora locais. O Parque Estadual do Forno Grande (PEFG) protege o segundo maior ponto culminante do Espírito Santo, o Pico do Forno Grande, com 2.039m, que compreende uma área de 730 hectares. O local possui grande riqueza biológica. Sobre os musgos das pedras proliferam espécies raras de orquídeas e bromélias. No local vivem espécies de animais em extinção, tais como a jaguatirica e o macaco mono carvoeiro.
Trilhas
as trilhas da Cachoeira, da Gruta da Santinha, dos Poços Amarelos e do Mirante da Pedra Azul cortam a Mata Atlântica e levam aos mirantes naturais, pontos de elevadas altitudes, onde se tem uma ampla vista panorâmica. No percurso, o visitante poderá banhar-se nas cachoeiras e piscinas naturais.
TURISMO RELIGIOSO
A religiosidade do povo capixaba é muito forte e se faz presente durante o ano todo com grandes manifestações. A maior delas é a Festa da Penha, uma homenagem a Nossa Senhora da Penha, padroeira do Estado, que é comemorada com romarias e missas no Convento da Penha, em Vila Velha.
O Convento da Penha, um dos ícones do Espírito Santo, é um santuário construído pelos escravos em 1558 em cima de um grande rochedo. De lá é possível ter uma linda vista da baía de Vitória, de Vila Velha e de belas praias.
Outra manifestação religiosa muito popular é a Festa de São Benedito, tradicional evento realizado em janeiro e comemorado em vários municípios do Estado.
São muitos os identificadores da religiosidade capixaba. Entre eles podemos destacar a igreja Tirol, em Santa Leopoldina, construída em 1988, em estilo neogótico; a Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha, no município de Alegre, feita de barro e madeira, em 1851; a Igreja Nossa Senhora das Neves, construída em meados do século XVII, na Praia das Neves, em Presidente Kennedy; e a Igreja Nossa Senhora do Amparo, o principal marco histórico do município de Itapemirim, inaugurada em 1885.
VITÓRIA - A ILHA DO MEL
Vitória, capital do Espírito Santo, é o ponto de partida para a maioria das rotas turísticas do Estado. A cidade, uma das três ilhas-capitais do país, tem o desenvolvimento sustentável como uma de suas marcas e desponta entre as que mais crescem em termos econômicos no Brasil. Entretanto, as grandes oportunidades de negócios estão sempre alinhadas com a preservação de sua história, cultura e seus ecossistemas.
Com uma população de 327.801 habitantes, Vitória é um ótimo lugar para se viver. Extremamente aconchegante, a cidade está entre as dez melhores do Brasil para trabalhar. Comparativamente às demais capitais do país, está em segundo lugar no ranking de desenvolvimento municipal, possui o terceiro melhor índice de desenvolvimento humano e o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita.
Sua economia está baseada nas atividades portuárias, no comércio e na prestação de serviços. Com uma posição geográfica estratégica, a capital é um dos principais pontos de escoamento da produção nacional. Para isso, conta com uma excelente infraestrutura logística. Suas vias de acesso compreendem, além de rodovias, dois grandes portos – o de Vitória e o de Tubarão, considerados importantes complexos portuários do país –, ferrovia e um aeroporto que, atualmente, está em fase de ampliação.
Outro segmento econômico de Vitória, que vem registrando crescimento acima da média nacional, é o turismo de negócios. Para suprir essa demanda, a cidade investe no aumento da infraestrutura da rede hoteleira, dos espaços para eventos, dos restaurantes e dos demais serviços ligados ao segmento. No entanto, o turismo de lazer também vem seguindo essa tendência, apresentando índices de crescimento importantes nos últimos anos.
Fundada em 1551, Vitória conserva vários exemplares arquitetônicos da época. São casarios, igrejas, palácios e escadarias. A maior parte desse acervo está no Centro da cidade. A riqueza de sua história, a beleza de seus parques e de suas praias – muito visadas para esportes náuticos – e suas características econômicas atraem turistas de várias partes do mundo, interessados em lazer e em oportunidades de negócios, o que faz da capital capixaba um local de grande vocação turística.
Atrativos turísticos
Catedral Metropolitana
Em estilo neogótico, com vitrais valiosos, foi construída no século XX. Em seu subsolo há uma capela onde estão enterrados os bispos do Espírito Santo.
Santuário de Santo Antônio
Construído na década de 1960, possui três cúpulas. A arquitetura é em estilo barroco, sendo uma réplica de um templo italiano do século XVI consagrado a Maria, na cidade Todi.
Palácio Anchieta: Construção jesuítica do século XVI, abriga desde o século XVIII a sede do governo Estadual. De frente para o mar, com vista para o Porto de Vitória, o prédio guarda o túmulo do Padre José de Anchieta e é uma das sedes de governo mais antigas do Brasil.
Teatro Carlos Gomes
Construído em 1927 e projetado pelo arquiteto italiano André Carloni, que se inspirou no teatro Scala de Milão, Itália. A cúpula de estilo neorenascentista italiano foi feita pelo artista plástico capixaba Homero Massena.
Praia de Camburi: mais conhecida da cidade, com cerca de 5km, é ideal para a prática de esportes, como vela, kitesurf e pesca oceânica.
Curva da Jurema
Ao longo dos 800m de sua faixa de areia, o visitante pode admirar a paisagem, confortavelmente instalado em um dos muitos quiosques com áreas cobertas, que servem deliciosos petiscos da culinária capixaba.
Parque Municipal Pedra da Cebola: Ótimo para caminhadas e contato com a natureza. No local funcionava uma pedreira, transformada em parque graças a uma ação da comunidade. O parque também conta com um espaço cultural, casa de meditação, jardim oriental e mirante sobre um paredão rochoso, utilizado para alpinismo.
Ilha das Caieiras
Cercada por manguezais, a localidade abriga pescadores, catadores de caranguejos, marisqueiros e as desfiadeiras de siri. Em sua orla, além da bela paisagem da baía de Vitória, há restaurantes onde se pode experimentar pratos tradicionais da gastronomia do Espírito Santo, como a moqueca e a torta capixaba.
Panela de Barro: Melhor representação do artesanato capixaba de origem indígena. Uma tradição passada de mãe para filha há pelo menos 400 anos. Torna mais saborosos os pratos típicos à base de frutos do mar, como a moqueca e a torta capixaba. A Associação das paneleiras funciona no bairro de Goiabeiras e comercializa as panelas.
CIDADE DE VILA VELHA
A história do Espírito Santo começou em Vila Velha, a cidade mais antiga do Estado, que se destaca pelas belezas dos seus 32 km de praia. Fundada em 1535, por Vasco Fernandes Coutinho, quando ainda era uma capitania, hoje o município tem nas atividades portuárias sua principal base econômica. Nas belas praias da cidade, é possível passear pelo calçadão e provar deliciosos pratos nos quiosques. Famosa pela música Madalena, de autoria do cantor e compositor Martinho da Vila, a Barra do Jucu é um lugar cheio de atrações, como a culinária típica e o congo, que revelam as fortes tradições folclóricas do município. Vila Velha fica a 5 km de Vitória e a Terceira Ponte é uma das formas de acesso à cidade.
Atrativos turísticos:
Convento da Penha
Uma das mais belas e antigas construções do Brasil Colonial e o mais antigo santuário mariano do país. Tem em seu acervo a tela de Nossa Senhora das Alegrias, trazida de Portugal no início do século XVI, e murais de Benedito Calixto. Construído sobre um rochedo em 1558 pelo Frei Pedro Palácios, permite avistar de seu ponto mais alto Vila Velha, Vitória e alguns municípios vizinhos. O acesso pelo caminho de pedras rústicas margeia resquícios originais da Mata Atlântica, com diversas espécies de plantas e animais silvestres.
Museu Ferroviário
Antiga Estação Pedro Nolasco, construída em 1927, reúne um rico acervo que retrata parte da história das ferrovias do Brasil, com a velha Maria Fumaça, o vagão de madeira, o trole, o telégrafo e o quepe do agente, além de muitas fotografias.
Praias da Costa, Itapuã e Itaparica: Compõem uma orla contínua e ficam apenas a três quilômetros do Centro. Em alguns pontos, têm águas calmas. Em outros, mais inclinados, ondas fortes e areia fofa.
foto - Joel Miranda
Fábrica de Chocolates Garoto
Fundada pelo imigrante alemão Henrique Meyerfreund, tem um Centro de Documentação e Memória que relata sua trajetória por meio de objetos como a maleta do caixeiro-viajante e as latas onde eram guardadas as balas. Em uma sala de 120 m², estão expostos todos os produtos fabricados desde o início das operações, 300 cartazes, 70 caixas-arquivo, quatro mil imagens, 150 vídeos e 50 depoimentos.
Farol Santa Luzia
Situado entre o Morro do Moreno e a Praia da Costa, o farol é uma atração à parte. Construído há mais de 100 anos na Escócia, tem 12 metros de altura e emite, ininterruptamente, sinais aos navegantes com um alcance de 16 milhas marítimas. Seu funcionamento é à base de álcool, gás e eletricidade e serve de orientação aos navios que atracam nos portos de Vitória, Vila Velha e Tubarão. A parte interna do farol está fechada à visitação, mas o passeio vale a pena, também para apreciar o seu entorno, com belas praias, como a bucólica Praia do Ribeiro e o Morro do Moreno. Na região também há ótimos restaurantes.
OPÇÕES DE HOSPEDAGEM / SUGESTÕES
FAZENDA FLAMBOYANT 
Acesso pelo km 319 da BR-101 p/ Vitória (ou pelo km 32 da Rod. do Sol, com 6 km de terra), 25 km
Amarelos
www.hotelflamboyant.com.br
foto - Divulgação
Fica longe da praia, mas compensa com sua robusta área de lazer, sobretudo pelas cavalgadas, principal atração por aqui. O lago tem pesca esportiva para adultos e pedalinho e caiaque para as crianças. Elas também se divertem na minifazenda e nos toboáguas. Nos quartos, prefira os quartos aos chalés: 28 deles foram recém-construídos.
foto - Divulgação
foto - Divulgação
SESC GUARAPARI
Rod. do Sol, 1 (Muquiçaba), 3 km
Muquiçaba
www.sesc-es.com.br
Sala de convenção (1050 lugares)
foto - Divulgação
CHEZ DOMAINE
A hospedagem ocupa apenas uma pequena parcela do espaço total da fazenda, cujo foco é a produção de ingredientes orgânicos (mais de 200). Eles são servidos no café da manhã. Ainda assim, o hotel comporta lago, trilhas e mirante. Promove coleta seletiva de lixo e usa energia solar.
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
ES-165, km 7,5, Acesso pela BR-262, km 95 (entrada para Afonso Claudio), 13 km (1 km de terra)
(27) 3248-3124 (Telefone)
domaine.com.br
foto - Divulgação
foto - Divulgação
RABO DO LAGARTO
No check-in é servido um chá com biscoitos de boas-vindas. Nos quartos, um roupão é deixado à disposição e a janela escancara a vista para a Pedra Azul. Os lençóis são de algodão egípcio.
Pela manhã, o que a pousada tem de mais especial: o café da manhã gourmet com tortas, pães, iogurtes e doces fresquíssimos.
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
ES-164 (Rodovia Geraldo Sartório) para Vargem Alta, km 4 , acesso pelo km 90 da BR-262 para Belo Horizonte, 5 km
Distrito de Aracê
(27) 3248-2383 (Telefone)
rabodolagarto.com.br
foto - Divulgação
foto - Divulgação
ESTA EH A BANDEIRA DO ESTADO
 ESTE EH O BRASÃO DE ESPÍRITO SANTO


fonte / fotos - Wikipédia / Portal do Governo do espírito Santo / Thymonthy Becker / Divulgação / viajeaqui.abril.com.br / 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PEDRA AZUL / FORTALEZA DE PEDRAS

BOM DIA. SEJA MUITO BEM VINDO A PEDRA AZUL. A FORTALEZA DE MINAS. copyrigth "Paulo Marcio"
PEDRA AZUL EH UMA CIDADE QUE FICA NO VALE DO JEQUITINHONHA E TEM ATUALMENTE: 23.843 HABITANTES (IBGE 2010) QUE NASCE EM PEDRA AZUL É: PEDRA-AZULENSE (PEDRAZULENSE) O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,660 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A TEMPETATURA MÉDIA DA CIDADE É DE: 24°. FORAM REALIZADOS EM PEDRA AZUL, 77 CASAMENTOS EM 2010. NÃO ACONTECEU NENHUMA SEPARAÇÃO E NENHUM DIVORCIO. A CIDADE FAZ ANIVERÁRIO EM 1º DE JUNHO. A pecuária, atividade primeira na história econômica do lugar, continua sendo básica para a sua receita. Colonizada por vaqueiros nordestinos, que ali chegaram em busca de pastagens para seu gado, a região herdou deles a tradição do trato com grandes rebanhos, principalmente o gado de corte, mas não se esqueceu dos cuidados com o subsolo. Os primeiros moradores do atual município foram Manoel José Botelho, em 1822, e o padre Manoel Fernandes, em 1834, após o grande incêndio …

POÇOS DE CALDAS

BOM DIA. BEM VINDO A CIDADE DAS ROSAS / BEM VINDO A POÇOS DE CALDAS MONTANHAS DA REGIÃO copyrigth "Enioprado" POÇOS DE CALDAS TEM HOJE 152.496 HABITANTES O IDH DO MUNICÍPIO EH DE: 0.841 - CONSIDERADO ELEVADO PELOS INDICADORES DA ONU. A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 06 DE NOVEMBRO E FOI FUNDADA EM 1872 QUEM NASCE EM POÇOS DE CALDAS EH: POÇOS-CALDENSE. HISTÓRIA A região onde se localiza o atual Município de Poços de Caldas foi inicialmente habitada pelos indios Cataguases que, em 1675, ofereceram combate e venceram a célebre bandeira de Lourenço Castanho, cognominado "O Velho". Com a busca de pastagens para manter a pecuária valorizou-se a região dos "Campos de Caldas'', como passou a ser chamado o local. Com isto, facilitou a instalação do núcleo pastoril que, economicamente, substituiu a lavra e grupiara. Entre os que vieram para os "Campos de Caldas", nos últimos anos de 1700, encontrava-se o Padre Manoel Gonçalves Correia, que instalou uma fazenda no &q…

CORONEL FABRICIANO / CIDADE DA SERRA DOS COCAIS

BOM DIA. BEM VINDO A CORONEL FABRICIANO.
copyrigth "pmcf" CORONEL FABRICIANO TEM 103.797 HABITANTES. QUEM NASCE EM CORONEL FABRICIANO É: FABRICIANENSE. O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,789 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A ÁREA DA CIDADE É DE APENAS 221 QUILÔMETROS QUADRADOS. DEVIDO A ISTO, A DENSIDADE DEMOGRÁFICA É ALTA. SÃO 470 HABITANTES POR QUILÔMETRO QUADRADO. Destemidos desbravadores, muitos dos quais heróis anônimos que arrostando o endêmico impaludismo, em meio selvagem e hostil, abriram picadões, rasgaram clareiras, mata virgem adentro sertões afora, para que a ferrovia Vitória a Minas pudesse estender as suas paralelas de aço em direção a Itabira, em demanda do riquíssimo minério de ferro do fabuloso Cauê, hoje fonte principal de uma das maiores divisas acarretadas para a Pátria Brasileira. Foi do arroio daqueles heróicos operários, que surgiu a atual cidade Coronel Fabriciano, que até o princípio de 1922 não passava de uma floresta virgem, não violada p…

PIRAPORA / PORTAL DO RIO SÃO FRANCISCO

BEM VINDO A CIDADE DE PIRAPORA. A CIDADE PROGRESSO
imagem - Jadir F.
PIRAPORA TEM 53.368 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM PIRAPORA EH: PIRAPORENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 01 DE JUNHO E FOI EMANCIPADA EM 1.912
ORIGEM DO NOME
O topônimo de origem tupi significa “salto de peixe” ou “onde o peixe salta” - pira (peixe) e poré (salto).
HISTÓRIA

O São Francisco foi, durante o ciclo da mineração, importante meio de transporte para o abastecimento da região das minas. As mercadorias saíam da Bahia subindo o rio e, quando terminava o trecho navegável, seguiam por terra até os centros mineradores. A cidade nasceu justamente no ponto da baldeação, na margem direita do rio, a jusante da cachoeira de Pirapora. Parte da tribo dos índios Cariris, em época remota, teria subido o Rio São Francisco. Movida pelo temor à aproximação dos brancos pelo litoral brasileiro e acossada pelas tribos vizinhas. Aportando na área hoje compreendida pelo município de Pirapora, fixaram-se defronte à corredeira, esta…

RIBEIRÃO DAS NEVES / MG

BEM VINDO A CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES. A MAIOR HETEROGENEIDADE RELIGIOSA DO BRAZIL imagem  - Reo 06 RIBEIRÃO DAS NEVES TEM 296.317 HABITANTES - IBGE 2010 QUEM NASCE EM RIBEIRÃO DAS NEVES EH: NEVENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 12 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.953 ORIGEM DO NOME Muito se fala sobre o nome Ribeirão das Neves, mas pouco sabemos oficialmente sobre este nome. Temos duas versões: Primeira versão: Advém do córrego que passa cortando o centro da cidade. Segundo a lenda, este pequeno córrego que nasce no Morro do Anil, próximo ao Bairro Várzea Alegre, em épocas de frio, ficava com uma temperatura bem abaixo, a ponto de esfriar o suficiente para ocasionar gelo. Dai o nome RIBEIRÃO DAS NEVES. Segunda versão: Advém da Padroeira do Município, Nossa Senhora das Neves, que segundo a lenda, apareceu para alguns fiéis, no alto do morro central que separa o centro comercial do Bairro Santa Martinha. Hoje, próximo ao Cemitério Senhor da Paz, cuja imagem demonstrava beleza e altivez. Seus…

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

SARZEDO

SEJA BEM VINDO A UMA DAS CIDADES MAIS JOVEM E RICA NA PRODUÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO DAS MINAS GERAIS. SEJA BEM VINDO A CIDADE COM O MAIOR CRESCIMENTO ECONÔMICO DAS MINAS GERAIS. BEM VINDO A SARZEDO VEJA QUE BELA AVENIDA imagem - Montanha SARZEDO TEM 25.728 HABITANTE (IBGE 2010) QUEM NASCE EM SARZEDO EH : SARZEDENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 21 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.995 HISTÓRIA OS PRIMEIROS CONTATOS DO HOMEM BRANCO COM A REGIÃO RECUAM AO INÍCIO DO CICLO DO OURO. AS TERRAS DO ATUAL MUNICÍPIO FICARAM À MARGEM DO PROCESSO DE OCUPAÇÃO E URBANIZAÇÃO QUE CARACTERIZOU AS REGIÕES AURÍFERAS DE MINAS GERAIS. O POVOAMENTO DE SARZEDO TEVE MAIOR IMPULSO COM A IMPLANTAÇÃO DA ESTRADA DE FERRO CENTRAL DO BRASIL, LINHA DO PARAOPEBA. A ESTAÇÃO DE SARZEDO FOI INAUGURADA EM 20 DE JUNHO DE 1917. O NOME DA ESTAÇÃO E, DEPOIS, DO MUNICÍPIO, É UMA HOMENAGEM AO ENGENHEIRO ESPANHOL FRANCISCO SARZEDO QUE TRABALHOU NA CONSTRUÇÃO DO RAMAL FERROVIÁRIO. AQUI A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA. ONDE A CIDADE COMEÇOU imagem - T…

SETE LAGOAS / MG - CIDADE DAS LAGOAS ENCANTADAS - TERRA NATAL DO TRAPALHÃO "ZACARIAS"

BEM VINDO A CIDADE DE 7 LAGOAS. CIDADE NASCIDA PARA O ALTO. TERRA NATAL DO TRAPALHÃO ZACARIAS imagem - ? 7 LAGOAS TEM 214.152 HABITANTES - IBGE 2010 -  QUEM NASCE EM 7 LAGOAS EH: SETE LAGOANO A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 24 DE NOVEMBRO E FOI FUNDADA EM 1.880 ORIGEM DO NOME O nome da cidade é uma referência as sete lagoas que foram encontradas quando da fundação da cidade. Com o passar dos anos novas lagoas foram descobertas e a cidade conta com mais de trinta lagoas em todo seu território. HISTÓRIA Os primeiros civilizados que chegaram às terras " das Sete Lagoas", foram alguns componentes da bandeira de Fernão Dias Leme - o "caçador de esmeraldas", que em 1667, estacionados no Sumidouro, foram atraídos pela possibilidade da existência de minério argentífero no Serrote das Sete Lagoas. Ali se demorou a bandeira, acerca da qual, pela primeira vez, a história se refere á extensa planície coberta por lindas lagoas, a qual os indígenas davam o nome de "Vapabuçu". De 1…

ARAGUARI / MG

ESTA EH A MATRIZ DE BOM JESUS DA CANA VERDE, DA CIDADE DE ARAGUARI.
foto - ?
AQUI A IGREJA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
foto - Roberto Rufino
ESTA AQUI EH A IGREJA DO ROSÁRIO
foto - Roberto Rufino
A IGREJA DO ROSÁRIO NO CONTEXTO DA PRAÇA
foto - Roberto Rufino
LATERAL DA IGREJA DO ROSÁRIO
foto - Roberto Rufino

NAZÁRIO / GOIÁS - NO CORAÇÃO DA CRIANÇA RESIDE O SEGREDO DA PAZ - CIDADE AMIGA DAS MINAS GERAIS

SEJA MUITO BEM VINDO A CIDADE DE NAZÁRIO. NO CORAÇÃO DE GOIÁS. A MAIOR PRODUTORA DE PÓ DE GELATINA DO BRAZIL. UMA CIDADE ACOLHEDORA E DE PESSOAS PRESTATIVAS. foto - Thymonthy Becker Comunicação NAZÁRIO TEM 8.421 HABITANTES (ESTIMATIVA IBGE 2013) QUEM NASCE EM NAZÁRIO EH: NAZARINENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 25 DE AGOSTO E FOI EMANCIPADA EM 1.948 ORIGEM DO NOME O NOME NAZÁRIO EH UMA HOMENAGEM AO PRIMEIRO MORADOR (NAZÁRIO PEREIRA DE OLIVEIRA) QUE SE ESTABELECEU NA REGIÃO. ERA DE DESCENDÊNCIA ESPANHOLA E CHEGOU AO LOCAL POR VOLTA DE 1.880  HISTÓRIA DA CIDADE Por volta de 1880, Nazário Pereira de Oliveira, de descendência espanhola, radicou-se com sua família em lugar bem próximo à Serra da Jibóia, no então Município de Palmeiras de Goiás, onde tentou, sem êxito, a fortuna, procurando ouro ou pedras preciosas. Pouco tempo depois, transferiu-se para o local onde mais tarde nasceria o povoado, nas proximidades da confluência do Córrego Buriti com o Rio dos Bois. Fez erigir aí uma capela, à qual c…