Pular para o conteúdo principal

IGATU / BAHIA - Vales profundos, chapadões, verde misturado ao cinza, marrom e rosa da secura do sertão e vento zunindo que da vozes às pedras




LINHA DO TEMPO DE "IGATU" / BAHIA / BRASIL
SEJA BEM VINDO AO DISTRITO DE IGATU. A CIDADE DE PEDRAS / A MACHU PICCHU BRASILEIRA
foto - Chico Ferreira
O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. 
Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. 
foto - Prefeitura Municipal de Andaraí
foto - Otávio Nogueira
Dessa época, sobraram ruínas, principalmente de casas de garimpeiros, e utensílios, preservados na imperdível Galeria Arte & Memória.
Entre no verbete Chapada Diamantina para ver mais dicas de roteiros, passeios, como chegar, como circular e restaurantes na região.
foto - Otávio Nogueira
foto - Otávio Nogueira
IGATU é uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. 
Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema... 
foto - Turismo Bahia
foto - Turismo Bahia
Hoje, as mais belas cachoeiras, formações rochosas, rica história, hospitalidade e um pouco da cultura nacional.
Em alguns bares você encontra alguns analgésicos. Há uma pequena mercearia, mas não mercado. Para comprar pães vá à casa de uma moradora, perto do Ponto do Amarildo.
foto - Chico Ferreira
foto - Eduardo Moody
foto - PIC
IGATU TEM 373 HABITANTES - FONTE: AMARILDO DOS SANTOS
QUEM NASCE EM IGATU EH: IGATUENSE
O DISTRITO FOI FUNDADO EM APROXIMADAMENTE 1.840
ORIGEM DO NOME
"Igatu" é um termo de origem tupi, significando "rio bom", através da junção dos termos 'y (água, rio) e katu (bom)
HISTÓRIA
Acredita-se que Igatu ou Xique-xique (como era conhecida) foi descoberta por volta de 1840, por garimpeiros e eles é que fizeram as obras em pedra que você pode encontrar por lá. Foi um século de exploração e riqueza e a decadência no século 20, quando a maioria das casas foi abandonada. Os próprios garimpeiros chegaram a destruir ruas inteiras em busca dos últimos diamantes o que deu início aos cerca de 7 km de ruínas que hoje podem ser visitadas.
AQUI O CRUZEIRO NO PONTO MAIS ALTO DO DISTRITO
foto - Killiefã
IGREJA DO PADROEIRO LOCAL, SÃO SEBASTIÃO
Feita em pedra. Segundo Taramba, ela foi construída por um garimpeiro que fez promessa para achar muito diamante. Ao lado e na frente do templo, um cemitério, onde está sepultado o corpo do coronel Antônio Gondim, que "comandava o garimpo em Igatu e outros garimpos da região". Onde funciona a pousada Pedras de Igatu, a única da vila, era a casa do coronel, que foi adaptada.
foto - Roldão M.
foto - Aureo Kiko
CONHEÇA UM POUCO MAIS DESTE DISTRITO QUE EH UMA LENDA VIVA
foto - ?
foto -?
foto - PIC
foto - PIC
O QUE FAZER EM IGATU
GALERIA ARTE E MEMÓRIA / MUSEU 
O primeiro espaço, entre ruínas de antigas casas de pedra, reúne utensílios usados no garimpo entre as décadas de 1930 e 1950. O segundo, no jardim, tem esculturas de arte contemporânea. E o terceiro, mostras temporárias. A galeria também tem loja e um café. Descendo a viela da galeria você encontra as ruínas da antiga cidade, Xique Xique de Igatu, do século 19. 


Rua Luís dos Santos 
Centro 
(75) 3335-7021 (Fone) 
Horário de funcionamento
Aberto de terça-feira a domingo, das 9h às 18h.


TREKKING IGATU-ANDARAÍ / TURISMO DE AVENTURA 
A descida de uma hora pode ser feita sem guia. Ela percorre ruínas de casas de pedra e beira o Rio Coisa Boa, com poços para banho. A trilha começa ao lado da Galeria Arte & Memória. 
MINA BREJO-VERRUGA / PASSEIO 
Poço do Brejo 
Igatu 
É a maior da região, com 386 m. No trajeto guiado, feito em túneis, você encontra marcas de explosões e trilhas fechadas por desmoronamentos. No interior do salão principal, bonecos de argila homenageiam garimpeiros falecidos que trabalharam ali. 

PONTO DO AMARILDO / PASSEIO 
Rua 7 de Setembro, s/n 
Centro 
(75) 3335-7017 (Fone) 
Amarildo dos Santos transformou a sala de estar de sua casa em um bazar peculiar, que virou ponto turístico. Entre os tantos produtos (como doces, canetas, caixas de fósforo e lâminas de barbear) há licores de frutas regionais e livros inusitados - feitos à mão pelo próprio Amarildo, eles contam sobre a vida do autor, a história da vila e suas atrações. 
Horário de funcionamento
Aberto de segunda a sexta-feira, das 12h às 14h e das 17h às 22h, sábados e domingos, das 8h às 22h. 
TREKKING DA RAMPA DO CAIM / TURISMO DE AVENTURA 
Caminhada longa e fácil (10 km, 2h30, só ida) que passa por lajeados e tocas de garimpeiros até terminar no Mirante do Caim, com vista para os vales do Paty e do Paraguaçu.

ONDE COMER / SUGESTÕES
CAFÉ GALERIA ARTE & MEMÓRIA
foto - Carlos Augusto
Rua São Luís dos Santos
Centro
(75) 3335-2510 (Fone)
Depois de conhecer o museu, experimente os fartos crepes.
Especialidade
 comidinhas
Até R$ 25,00
Horário de funcionamento:
Aberto das 9h às 18h.
ÁGUA BOA
Rua Nova, 13
Centro
(75) 3335-7013 (Fone)
Tem atendimento familiar e pratos como galinha caipira com arroz e pirão.
Especialidade 
caseira
Até R$ 25,00
Horário de funcionamento
Aberto das 10h às 22h.
Comida caseira.
POUSADA PEDRAS DE IGATU
Pra quem ficar hospedado, um excelente café da manhã. No local também funciona um restaurante que serve diversos pratos e lanches. O espaguete (prato mais barato do local) serve duas pessoas e é uma delícia.
RESTAURANTE DA NORMA
Fica na rua principal da vila.
PIZZARIA
Em frente a praça. É a única da vila, de propriedade de um argentino. Também vende camisetas, mapas e outros souvenirs.
CASA DO JOÃO TARAMBA
Na sala da casa simples, a mãe do João serve a refeição preparada mediante pedido antecipado. (Se quiser jantar lá, combine o preço e o prato pela manhã).
foto - Ricardo Bevilqua
TOCA DO JOAQUIM
foto - Mark Mesquita
foto - Planetair
ONDE FICAR
POUSADA PEDRAS DE IGATU
Rua São Sebastião, s/n.
Além de pousada e restaurante, também conta com alguns souveniers para venda.

ESTALAGEM GOTA D'ÁGUA
Praça Central, S/N
POUSADA E CAMPING FLOR DE ACUNENA
Rua nova s/n. Vila de Igatu - Andarai

CONHEÇA UM POUCO MAIS DE IGATU
foto - Roldão M.
foto - P. Carvalho
foto - P. Carvalho
foto - Roldão M.
QUEM VAI À IGATU NÃO PODE DEIXAR DE DAR UMA PASSADA NAS CASAS DE DUAS PERSONALIDADES LOCAIS:
LINDAURA NASCIMENTO MOURA
Filha de Alzira Nascimento, já falecida, uma das mulheres do garimpo. A casa foi a primeira a receber turistas na vila e tem algumas peças antigas e o que dizem ser amostras de diamantes. O café com bolinho de chuva e a folheada no álbum de fotos da casa são boa pedida, além da possibilidade de comprar algum souvenir produzido por Lindaura e família: lindas miniaturas de igrejas e casas, trabalhadas na pedra e bolsas, tapetes e acessórios em crochê. A casa fica na rua 7 de setembro.
AMARILDO DOS SANTOS
Criatividade é a marca deste professor, atualmente comerciante e escritor. A placa da fachada de seu estabelecimento, que também é sua casa (onde vive com a mulher e uma filha) já mostra um pouco da criatividade: "Ponto: Entre e compre algo (...)" Essa placa ficou famosa na web e apareceu em um dos programas do Jornalista José Simão da Folha de São Paulo, O Monkey News. Em seu bazar é possível comprar licores dos mais variados sabores e os interessantes livros que Amarildo escreve à mão, com caneta azul e vermelha, no maior capricho. Vale comprar um como lembrança (e por que não leitura, fonte de pesquisa?) de uns dos lugares mais inusitados do país. No ponto do Amarildo também é possível ver fotos dos famosos que já estiveram por lá, os autógrafos, revistas etc.
foto - Roldão M.
foto - Mark Mesquita
foto - Mark Mesquita
foto - Fernando Stankuns
foto - Fernando Stankuns
foto - Caio Graco Machado
foto - Alex Uchoa
foto - ?
foto - ?
foto - ?
CACHOEIRA DOS POMBOS OU CÓRREGO DO MEIO
Uns trinta minutos, a partir do centro pra se chegar num lugar ótimo pra se refrescar. A queda d'água forma umas "banheiras" de pedra. De vez em quando os locais fazem pique-nique por ali.
foto - Mark Mesquita
foto - PIC
foto - Killiefã
DICAS
Para qualquer passeio que vá fazer pela região leve muita água, proteja-se do sol (boné, filtro solar) e vá com roupas leves e calçado confortável. O clima em Igatu engana: pela manhã chega até ser frio, quando chega às 10h o calor já está insuportável. De novembro a janeiro é a época de chuvas.
ATRAÇÕES
Pra conhecer os atrativos da vila, bom mesmo é ser guiado por um nativo. Nada mau um que dá até nome à cachoeira, o João Taramba, "nascido e criado dentro de Igatu". Ele trabalha guiando os visitantes há doze anos.
foto - Muricio F. Pinho
foto - Roldão M.
foto - Roldão M.
Igatu fica na Serra do Sincorá, seu "desenho" é de infinita beleza, como toda a Chapada Diamantina: vales profundos, chapadões o verde misturado ao cinza, marrom e rosa da secura do sertão. O vento zunindo e o som dos bichos parece dar voz às pedras. Debaixo de sol escaldante só os calangos, encontrados aos milhares, têm fôlego pra correr.
foto - Roldão M.
Cerca de três horas caminhando para se chegar a um local que dá uma das vistas mais espetaculares do Vale do Pati e os rios Paraguaçu e Preto, ambos com suas águas escuras. A trilha é boa e a chegada nem se fala, mas é preciso estar muito "zen" pra curtir a trilha. É preciso estar muito atento, pois há muitas pedras soltas e escorregadias e um tombo ali não ia ajudar em nada. A chegada pede um ou mais minutos de silêncio (contemplação, agradecimento a Deus, é pra ouvir o silêncio e a grandiosidade da natureza). Dalí é possível seguir adiante, fazendo uma trilha que passará pelo Pati, Capão e Palmeiras, outras áreas imensamente lindas da Chapada Diamantina. A Rampa do Caim e a trilha estão sendo exploradas também por agências locais.
Textos: Silnei
Fonte: Mochileiros.com
foto - ?


fontes / fotos = viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Mochileiros.com / Portal da Prefeitura Municipal de Andaraí / 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PEDRA AZUL / FORTALEZA DE PEDRAS

BOM DIA. SEJA MUITO BEM VINDO A PEDRA AZUL. A FORTALEZA DE MINAS. copyrigth "Paulo Marcio"
PEDRA AZUL EH UMA CIDADE QUE FICA NO VALE DO JEQUITINHONHA E TEM ATUALMENTE: 23.843 HABITANTES (IBGE 2010) QUE NASCE EM PEDRA AZUL É: PEDRA-AZULENSE (PEDRAZULENSE) O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,660 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A TEMPETATURA MÉDIA DA CIDADE É DE: 24°. FORAM REALIZADOS EM PEDRA AZUL, 77 CASAMENTOS EM 2010. NÃO ACONTECEU NENHUMA SEPARAÇÃO E NENHUM DIVORCIO. A CIDADE FAZ ANIVERÁRIO EM 1º DE JUNHO. A pecuária, atividade primeira na história econômica do lugar, continua sendo básica para a sua receita. Colonizada por vaqueiros nordestinos, que ali chegaram em busca de pastagens para seu gado, a região herdou deles a tradição do trato com grandes rebanhos, principalmente o gado de corte, mas não se esqueceu dos cuidados com o subsolo. Os primeiros moradores do atual município foram Manoel José Botelho, em 1822, e o padre Manoel Fernandes, em 1834, após o grande incêndio …

PEQUI / MINAS GERAIS - Descer de tobogã em cachoeira numa belíssima vista da cidade e cidades vizinhas, com existência de grutas, grotas e rica vegetação natural

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "PEQUI" / MINAS GERAIS / BRASIL foto (acima) Thymonthy Becker BEM VINDO A CIDADE DE PEQUI. AOS PÉS DA SERRA DO RIO DO PEIXE. Pórtico da estrada da cidade de Pequi, Minas Gerais foto - Thymonthy Becker População estimada 2016 (1) - 4.369 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 203,991 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 19,98 Código do Município 3149606 Gentílico - pequiense ORIGEM DO NOME O termo significa, em tupi, "coxa áspera", e origina-se de um velho e frondoso pequizeiro, que existiu em frente a uma venda no largo da igreja, cuja sombra abrigava a população que ali se reunia Gentílico: pequiense Histórico Pequi  Minas Gerais - MG HISTÓRICO A fixação da povoação do atual município deve-se, principalmente, aos solos férteis e ao grande número de córregos e riachos que cortam a região. Pequi foi criada em 1841, quando o distrito de Santo Antônio de São Joanico, no município de Pitangui, foi dividido em dois: Pequi e Maravilha.…

RIBEIRÃO DAS NEVES / MG

BEM VINDO A CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES. A MAIOR HETEROGENEIDADE RELIGIOSA DO BRAZIL imagem  - Reo 06 RIBEIRÃO DAS NEVES TEM 296.317 HABITANTES - IBGE 2010 QUEM NASCE EM RIBEIRÃO DAS NEVES EH: NEVENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 12 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.953 ORIGEM DO NOME Muito se fala sobre o nome Ribeirão das Neves, mas pouco sabemos oficialmente sobre este nome. Temos duas versões: Primeira versão: Advém do córrego que passa cortando o centro da cidade. Segundo a lenda, este pequeno córrego que nasce no Morro do Anil, próximo ao Bairro Várzea Alegre, em épocas de frio, ficava com uma temperatura bem abaixo, a ponto de esfriar o suficiente para ocasionar gelo. Dai o nome RIBEIRÃO DAS NEVES. Segunda versão: Advém da Padroeira do Município, Nossa Senhora das Neves, que segundo a lenda, apareceu para alguns fiéis, no alto do morro central que separa o centro comercial do Bairro Santa Martinha. Hoje, próximo ao Cemitério Senhor da Paz, cuja imagem demonstrava beleza e altivez. Seus…

CARATINGA / CIDADE ESPERANÇA / TERRA DAS PALMEIRAS

SEJA SEMPRE BEM VINDO A CIDADE DE CARATINGA. A CIDADE DO MENINO MALUQUINHO
copyrigth "?" ORIGEM DO NOME
A denominação do município Caratinga, de origem indígena, (cará / tinga = branco) é devido à falta de alimentação diversificada, o que fazia com que os primeiros habitantes da região se alimentassem de um tubérculo muito encontrado na região na época do povoamento, um cará-branco que servia de alimento para os índios CARATINGA TEM ATUALMENTE, 85.322 HABITANTES. QUEM NASCE EM CARATINGA É: CARATINGUENSE. O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,754 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 24 DE JUNHO. FOI FUNDADA EM 1848 EM CARATINGA, FORAM REALIZADOS EM 2010, 513 CASAMENTOS 056 SEPARAÇÕES 079 DIVÓRCIOS. HISTÓRIA
Em 1841 aportou por estas terras o grande desbravador Domingos Fernandes Lana, que aqui permaneceu até 1847.
No final desse ano, João Caetano do Nascimento, João Antônio de Oliveira e João José, bravos pioneiros, vieram de mudança, trazendo suas famílias,…

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

SETE LAGOAS / MG - CIDADE DAS LAGOAS ENCANTADAS - TERRA NATAL DO TRAPALHÃO "ZACARIAS"

BEM VINDO A CIDADE DE 7 LAGOAS. CIDADE NASCIDA PARA O ALTO. TERRA NATAL DO TRAPALHÃO ZACARIAS imagem - ? 7 LAGOAS TEM 214.152 HABITANTES - IBGE 2010 -  QUEM NASCE EM 7 LAGOAS EH: SETE LAGOANO A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 24 DE NOVEMBRO E FOI FUNDADA EM 1.880 ORIGEM DO NOME O nome da cidade é uma referência as sete lagoas que foram encontradas quando da fundação da cidade. Com o passar dos anos novas lagoas foram descobertas e a cidade conta com mais de trinta lagoas em todo seu território. HISTÓRIA Os primeiros civilizados que chegaram às terras " das Sete Lagoas", foram alguns componentes da bandeira de Fernão Dias Leme - o "caçador de esmeraldas", que em 1667, estacionados no Sumidouro, foram atraídos pela possibilidade da existência de minério argentífero no Serrote das Sete Lagoas. Ali se demorou a bandeira, acerca da qual, pela primeira vez, a história se refere á extensa planície coberta por lindas lagoas, a qual os indígenas davam o nome de "Vapabuçu". De 1…

OLIVEIRA / MINAS GERAIS - A terra Natal do Cientista "Carlos Chagas" eh repleta de belíssimos casarões que contam a história da cidade

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "OLIVEIRA" / MINAS GERAIS / BRASIL BEM VINDO A OLIVEIRA. TERRA DO CIENTISTA DESCOBRIDOR DA DOENÇA DE CHAGAS copyrigth "PMO" Esta Figueira se desenvolveu abraçada a um coqueiro, derivando daí o nome “coqueiro abraçado”, o fenômeno biológico não é único, mas bastante raro  e em Oliveira se transformou no maior símbolo da cidade, pois está ligado aos sentimentos de carinho e amor, além de ensejar a harmonia indispensável a uma comunidade urbana, sendo um exemplo da natureza para o Homem. O coqueiro abraçado está localizado na região central da cidade. AQUI, O MORRO DO CRISTO
copyrigth "PMO"
População estimada 2016 (1) - 41.739 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 897,294 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 43,98 Código do Município 3145604 Gentílico - oliveirense
ORIGEM DO NOME O topônimo registra duas versões: segundo uns, originou-se da presença de oliveiras entre as árvores frutíferas…

PIRAPORA / PORTAL DO RIO SÃO FRANCISCO

BEM VINDO A CIDADE DE PIRAPORA. A CIDADE PROGRESSO
imagem - Jadir F.
PIRAPORA TEM 53.368 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM PIRAPORA EH: PIRAPORENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 01 DE JUNHO E FOI EMANCIPADA EM 1.912
ORIGEM DO NOME
O topônimo de origem tupi significa “salto de peixe” ou “onde o peixe salta” - pira (peixe) e poré (salto).
HISTÓRIA

O São Francisco foi, durante o ciclo da mineração, importante meio de transporte para o abastecimento da região das minas. As mercadorias saíam da Bahia subindo o rio e, quando terminava o trecho navegável, seguiam por terra até os centros mineradores. A cidade nasceu justamente no ponto da baldeação, na margem direita do rio, a jusante da cachoeira de Pirapora. Parte da tribo dos índios Cariris, em época remota, teria subido o Rio São Francisco. Movida pelo temor à aproximação dos brancos pelo litoral brasileiro e acossada pelas tribos vizinhas. Aportando na área hoje compreendida pelo município de Pirapora, fixaram-se defronte à corredeira, esta…

NOVA ERA / CIDADE DAS ESMERALDAS

BOM DIA. BEM VINDO A NOVA ERA
foto - ?
 AQUI, O RIO PIRACICABA, CORTANDO A CIDADE
foto - ?
ESTE RIO, FICOU FAMOSO COM A MÚSICA CANTADA POR "SERGIO REIS" - RIO DE PIRACICABA QUEM NASCE EM NOVA ERA É: NOVAERENSE O "IDH" SO MUNICÍPIO É DE: 0,792 - CONSIDERADO "MÉDIO" PELOS INDICADORES DA "ONU" O NOME "NOVA ERA" FOI UMA SUGESTÃO DO ENTÃO GOVERNADOR "BENEDITO VALADARES" QUE ACREDITAVA QUE UMA NOVA ERA DE PROGRESSO VIRIA PARA A REGIÃO DO VALE DO RIO DOCE, COM A CRIAÇÃO DO ESTADO NOVO. DADOS DA POPULAÇÃO, SEGUNDO O IBGE: (CENSO 2010) População total:.......... 17.540População urbana:....... 15.421População Rural:.......... 2.119Taxa de Urbanização:.... 86,23%Distâncias aproximadas aos principais centros (km)Belo Horizonte:.... 137Rio de Janeiro:..... 572São Paulo:.......... 723Brasília:.............. 886Vitória:................ 510VISÃO GERAL DA CIDADE
foto - ? NOVA ERA TEM APROXIMADAMENTE, 18.000 HABITANTES. A CIDADE FOI FUNDADA EM MARÇO DE 17…

CAPINÓPOLIS - CELEIRO DAS MINAS GERAIS

SEJA BEM VINDO A CIDADE DE CAPINÓPOLIS. 
foto - Thymonthy Becker
CAPINÓPOLIS TEM 15.961 HABITANTES - IBGE 2010 - QUEM NASCE EM CAPINÓPOLIS EH: CAPINOPOLINO - IBGE - A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 15 DE JULHO E FOI EMANCIPADA EM 1.953 ORIGEM DO NOME Explica-se pela existência de uma "CORDA DE CAPIM" no local em que o fazendeiro reservara para o loteamento, usando a expressão "LÁ NO CAPIM", para designá-lo; surgindo o arraial, chamou-se inicialmente, o arraial do "CAPIM", topônimo que foi trocado pelo de CAPINÓPOLIS, pouco depois.  HISTÓRIA Segundo a tradição, os primitivos ocupantes da região, onde hoje se ergue o município de Capinópolis eram gentios integrantes do grupo GÊ ou Caiapós e possivelmente, também, alguns elementos da tribo "Panariá" Dos brancos, têm-se como certo os nomes do Alferes José Rodrigues da Silva, Dona Francisca Ângela da Silva e José Luciano Teixeira, como os primeiros a se fixarem na região, donos de sesmarias, lá por volta de 1810.…