Pular para o conteúdo principal

LAMBARI / MINAS GERAIS - Procurada por suas belezas naturais e, principalmente, por sua água mineral, eleita a 3ª melhor do mundo capaz de curar doenças




LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "LAMBARI" / MINAS GERAIS / BRASIL

BEM VINDO A CIDADE DE LAMBARI. CUJA ÁGUA MINERAL EXTRAÍDA AQUI, CURA DOENÇAS. SEGUNDO RELATOS DO LUGAR.
foto - Paulo Mauricio
TEVE SUA FONTE HIDROMINERAL DESCOBERTA EM 1780, POR UM CABOCLO DE CAMPANHA, ANTÔNIO DE ARAÚJO DANTAS, QUE ENCONTROU A NASCENTE EM TERRENOS DE SUA PROPRIEDADE OU DOMÍNIO DE SEUS FAMILIARES.
População estimada 2016 (1) - 20.773
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 213,110
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 91,76
Código do Município 3137809
Gentílico - lambariense
ORIGEM DO NOME
LAMBARI (DE ARAMBARI, CORRUPTELA DE ARABARY OU ARABARÉ, VOCÁBULO TUPI-GUARANI QUE SIGNIFICA PEIXINHO OU BARATINHA)
"AQUI UMA VISTA DO CENTRO"
foto - PML
Gentílico: lambariense 
HISTÓRICO 
LAMBARI MINAS GERAIS Monografia - n.° 524 Ano: 1972 
ASPECTOS HISTÓRICOS 
Lambari (de Arambari, corruptela de Arabary ou Arabaré, vocábulo tupi-guarani que significa peixinho ou baratinha), teve sua fonte hidromineral descoberta em 1780, por um caboclo de Campanha, Antônio de Araújo Dantas, que encontrou a nascente em terrenos de sua propriedade ou domínio de seus familiares. 
A partir de 1826, os poderes públicos do Município começaram a interessar-se pela existência da nascente, graças ao trabalho desenvolvido pelo português Inácio Midoens, que exerceu a profissão de médico prático e o cargo de vereador em Campanha. Entre 1830 e 1832, pela quantia de "sem mil reis" (sic), a Câmara Municipal de Campanha desapropriou uma área de doze alqueires do terreno dos herdeiros de Antônio de Araújo Dantas, no local da nascente, para executar obras de proteção da fonte e construir algumas casas para uso dos doentes. 
Até 16 de setembro de 1901, data em que foi criado o Município das Águas Virtuosas, todos os melhoramentos e assistência administrativa a povoação que se formava dependeram de Campanha, Município de que Lambari constituía distrito de paz (criado em 14 de setembro de 1891). A água, logo após a descoberta, recebeu o nome de Água Santa da Campanha, passando depois a ser conhecida por Água Virtuosa da Campanha e Água Virtuosa do Lambari. O núcleo populacional que logo se formou tomou o nome de Águas Virtuosas, topônimo com o qual figurou entre as sedes municipais do Estado até 27 de dezembro de 1930, quando passou a denominar-se Lambari. A mudança final fundou-se em razões de ordem histórica e geográfica, por ser a região conhecida por Lambari, desde antes do descobrimento da água, mercê da existência do rio do mesmo nome, que corta o Município a leste e serve de limite natural aos municípios vizinhos. As primeiras medidas de proteção à água se fizeram sentir a partir de 1860, quando para reunir as duas nascentes encontradas foi construído um poço de 50 centímetros de diâmetro, protegido por um pavilhão coberto de telhas, com gradil de ferro; na mesma época, organizou-se o parque das águas, desviando-se o leito do ribeirão Mombuca. 
Os primeiros estudos científicos sobre a composição da água, em 1872, couberam a uma comissão composta dos Drs. Agostinho José de Souza Lima, José Ribeiro da Costa e Ezequiel Correia dos Santos. Logo após os exames, em 1880, os Drs. Bandeira de Gouveia e Eustáquio Garção Stockler, organizaram a primeira empresa de exploração das águas, e obtiveram os respectivos privilégios. Em 1894 (24 de março), inaugurou-se a estação ferroviária de Águas Virtuosas, fato que concorreu para o progresso da povoação, por facilitar grandemente o acesso de veranistas. No mesmo ano, o privilégio de exploração das fontes foi concedido à Cia. Industrial do Brasil, que, em 1895, tornou-se parte do consórcio "Empresa Caxambu - Lambari - Cambuquira". Data desse ano a construção do estabelecimento aparelhado para banhos e duchas de água mineral; esse estabelecimento permaneceu até 1920, quando com o aumento do parque das águas, teve de ser demolido. Em 1905, iniciaram-se as obras de captação da água, constando primeiramente da separação das duas nascentes, reunidas em 1960 no mesmo poço, e, em seguida, da captação direta das águas nas rochas, a profundidades que variam de 5 a 10 metros; por último, da distribuição à superfície, por meio de grossas manilhas, das quatro fontes até agora aproveitadas. 
Fonte 
IBGE
A CASCATA DO LAGO
foto - Anízio Rezende
A CIDADE É BASTANTE PROCURADA PELAS SUAS DESTACADAS BELEZAS NATURAIS, CLIMA E PRINCIPALMENTE PELA ÁGUA MINERAL, ELEITA NO PASSADO COMO A 3ª MELHOR DO MUNDO E CAPAZ DE CURAR DOENÇAS. HÁ, ORIGINALMENTE, SETE FONTES DENTRE AS QUAIS A Nº 1 E Nº 2 COMPÕEM A MAIOR FONTE DE ÁGUA MINERAL NATURALMENTE GASOSA DO MUNDO.
"AQUI UMA VISTA DE CIMA DO CASSINO"
foto - Helicamera Free Imagens Aéreas
REGIÃO CENTRAL
foto - Jose Antônio e Helicamera
FAROL
foto - Rogerio Cesarino
FEIRA LIVRE
foto - Leonardo Pinelli
O LAGO E O CASSINO
foto - Edu Lacerda
MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA SAÚDE
foto - Beatriz Barreto Tanea
PONTE SOBRE O LAGO
foto - Lindinha Rodrigues
AQUI O BOUGAINVILLE. EH A MAIOR ÁRVORE DO GÊNERO DO MUNDO
foto - saudelazer.com
A NOVA PONTE
foto - Microlarm
PALMEIRAS NA ORLA DA LAGOA
foto - Edu Lacerda
ENTRADA DO PARQUE DO CASSINO
foto - Beatriz Barreto Tânea
PARQUE DAS ÁGUAS
Pça. Cons. João Lisboa,
Centro
Além das piscinas de água mineral (jan/abr e set/dez: 9h/17h), abertas aos turistas e moradores, o parque (R$ 1; grátis às 6h/7h30, 11h/13h e 16h/18h) tem seis fontes com águas para fins terapêuticos.
Fonte 1 – Gasosa: Excelente para os rins, vesícula e para os tratamentos de pele. Aplicada também por via muscular nos casos de eczemas e úlceras.
Fonte 2 – Alcalina: usada para estômago e intestino. Aumenta o apetite, pois estimula a produção do suco gástrico.
Fonte 3 – Magnesiana: Usada no tratamento do fígado. Suas águas fluidificam a bílis alcalinizando-a, atuando nas congestões hepáticas e nas cirroses.
Fonte 4 – Ligeiramente Gasosa: Indicada para as crianças.
Fonte 5 – Ferruginosa: Ligeiramente gaseificada. Ação hipotensiva e vasodilatadora.
Fonte 6 – Picante: Cheiro pouco pronunciado de ácido sulfídrico. Quando em repouso apresenta depósito avermelhado (hidrato de ferro). De ação diurética é indicada nos casos de intoxicações endógena e exógena.



RUA DA CIDADE
foto - Geocities
TELEFÉRICO
foto - Lindinha Rodrigues
TRILHA
foto - Diogo Provete
VISÃO GERAL
folto - Microlarm
VISTA AÉREA
foto - Wanderson Rocha
FACHADA DO CASSINO
foto - PML
 ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE LAMBARI, MINAS GERAIS
 ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE LAMBARI, MINAS GERAIS

fonte / fotos = IBGE / Thymonthy Becker / Divulgação / Wikipédia / viajeaqui.abril.com.br / mineirosnaestrada.com.br / 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…

BRAGANÇA / PARÁ - A cidade respira Fé, Tradição e Cultura, nas belezas de suas praias, manguezais, rios, igarapés e ilhas

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "BRAGANÇA" / PARÁ / BRASIL  Bragança, localizada na região nordeste do Pará, a 210 quilômetros de Belém, capital do Estado, é um dos municípios mais procurados pelos turistas ao longo do ano, em especial durante as férias escolares.
Lar da Marujada, manifestação cultural que reúne milhares de pessoas no município para festejar São Benedito, Bragança tem praias oceânicas belíssimas, pra quem quiser aproveitar em qualquer época do ano.

A cidade, de origem portuguesa, guarda na sua cultura características religiosas marcantes e também festeja São Sebastião e Nossa Senhora de Nazaré.
Suas fronteiras são estratégicas. Assim, o município oferece o maior número de opções aos turistas: ao Norte está o oceano Atlântico, ao Sul, o município de Santa Luzia do Pará, a Leste os municípios de Augusto Corrêa e Vizeu e a Oeste, Tracuateua.

Na língua tupi, Caeté quer dizer 'mato grande' e, por estar localizada à margem esquerda do rio Caeté, Bragança é c…