Pular para o conteúdo principal

RIO GRANDE DO NORTE / BRASIL - VENTOS FORTES, SOL, DUNAS, PRAIAS, FALÉSIAS E A SIMPATIA POTIGUAR. VOCÊ TEM TODOS OS MOTIVOS PARA VIR CONHECER UM DOS MAIS BELO ESTADO BRASILEIRO




LINHA DO TEMPO DO "RIO GRANDE DO NORTE" / BRASIL
Altas temperaturas e dias de céu claro marcam presença praticamente o ano todo em Natal. Os caprichos da natureza agraciaram Natal com uma geografia diversificada, um povo simpaticíssimo e hospitaleiro, somado a um clima auspicioso. Isso, porque na capital potiguar, as altas temperaturas e os dias solares de céu claro marcam presença praticamente o ano todo.

Ventos fortes, sol, dunas, praias, falésias e a simpatia potiguar acompanham os visitantes por todo o litoral do Rio Grande do Norte. Mas atenção: há muito, muito mesmo a ser explorado fora dos roteiros dos bugues que cortam areias e dunas para cima e para baixo, levando turistas para curtir o melhor do entorno de Natal. Ter como base a linda e receptiva capital do estado, porém, é um luxo do qual não é preciso abrir mão. A Via Costeira tomada de hotéis, o Morro do Careca, a Praia de Ponta Negra, o Forte dos Reis Magos e um charmoso centro histórico estão ali para continuar seduzindo. A atração é tamanha, que existem voos diretos de capitais europeias para Natal, onde desembarcam visitantes estrangeiros que há anos vêm fazendo sua reserva de prazer, comprando casas e terrenos por ali. 
Estar em Natal abre a possibilidade de fazer um bate-volta a lugares como os parrachos de Maracajaú, como são chamadas as formações de recifes de coral a alguns quilômetros da costa. Contratar um bugue para ir se aventurar nas dunas de Genipabu é um clássico. Assim como rumar para a Praia da Pipa, com rios e lagoas, a vista espetacular da falésia da Praia do Amor, sem contar a observação de golfinhos em passeios de barco. Espere muito agito e badalação em Pipa, especialmente à noite, na Avenida Baía dos Golfinhos. Se o seu negócio é sossego, comece a se afastar um pouco mais da capital. Subindo 100 quilômetros, chegando até onde o mapa do Brasil faz a curva para a esquerda, está São Miguel do Gostoso. 
O ar rústico e singelo permanece, mesmo com o aparecimento de pousadas e restaurantes na última década. As ruas ainda são de terra e, para onde a vista alcança, há praias belíssimas, com coqueiros, palmeiras e areia fofa. A mais bonita da região é Tourinhos, com dunas e formações rochosas. A Ponta do Santo Cristo, com ventos fortes, consolida-se como point para a turma do kitesurfe e do windsurfe. Continuando no sentido esquerdo do mapa, mais 90 quilômetros, está outra miragem, Galinhos, uma vila ainda menor, com pouco mais de 2 mil habitantes. O acesso não é fácil, tem que ser feito de barco ou veículos 4x4, o que garante o isolamento e a calma para desfrutar o marzão verde e lindo. As ruas são de areia e o transporte é feito de charrete. Bugueiros saem de São Miguel do Gostoso e levam até o alto das dunas, passeios de canoa pelo Rio Aratuá e visita à vizinha Galos compõem o pacote de atrações. Mas se estiver sobrando tempo na viagem, considere passar umas noites por ali sem fazer nada. 
HISTÓRIA 
Rio Grande do Norte está situado a nordeste da Região Nordeste e tem por limites o Oceano Atlântico a norte a leste, a Paraíba a sul e o Ceará a oeste. É dividido em 167 municípios. Com mais de três milhões de habitantes, o Rio Grande do Norte é o décimo sexto estado mais populoso do Brasil, Na bandeira nacional, o estado é representado pela estrela Shaula (λ Scorpius). 
Gentílico: potiguar; norte-rio-grandense 
População - 3.442.175 habitantes (estimativa IBGE 2015) 
Devido à sua localização geográfica, que forma um vértice a nordeste da América do Sul, o Rio Grande do Norte é tido como uma das "esquinas" do Brasil e do continente, posição que também lhe confere uma grande projeção para o Atlântico (a maior dentre os estados brasileiros). Seu litoral, com extensão aproximada de quatrocentos quilômetros, é um dos mais famosos do Brasil. Na economia, destaca-se o setor de serviços. Devido ao seu clima semiárido em parte do litoral norte, o Rio Grande do Norte é responsável pela produção de mais 95% do sal brasileiro. 
Tradicional Cidade Junina, no Corredor Cultural da Avenida Rio Branco, em Mossoró (RN)
Sua história se inicia a partir do povoamento do território que hoje é o Brasil, quando houve uma onda de migrações para os Andes, depois para o Planalto do Brasil, a região Nordeste, até chegarem ao Rio Grande do Norte. Ao longo de sua história, seu território sofreu invasões de povos estrangeiros, sendo os principais os franceses e holandeses. A capital do estado é Natal. 
ONDE COMER EM NATAL

CAMARÕES POTIGUAR
Elogiado e reconhecido pela crítica especializada, é constantemente apontado como o melhor restaurante de Natal especializado em camarões. Além de seu cardápio apresentar excelentes opções, o ambiente aconchegante e sofisticado, proporciona vista para a praia de Ponta Negra e o Morro do Careca, cartão postal de Natal.
ENDEREÇO:
Rua Pedro Fonseca Filho, 8.887 | Ponta Negra |
Mais informações em www.camaroes.com.br.
TAVERNA PUB
Esse bar temático traz um estilo medieval em harmonia com a arquitetura, a decoração e o uniforme dos atendentes. A proposta é oferecer serviço e atrações de qualidade, de um jeito alegre e espontâneo. O cardápio musical inclui bandas regionais locais que tocam jazz a pop.
ENDEREÇO: 
Rua Doutor Manoel Augusto Bezerra de Araújo, 500 | Alto de Ponta Negra.
MARENOSSO
Nas dependências do restaurante, duas senhoras, conhecidas por "Tias" Lúcia e Chica preparam deliciosos bolinhos de macaxeira, recheados de carne-de-sol, camarão e queijo coalho. Contudo, a comida regional é o ápice do cardápio, incluindo iguarias à base de camarão, peixe e filé de carne e frango. Destaque para a carne-de-sol recheada com queijo de manteiga.
ENDEREÇO: 
Rua Aderbal Figueiredo, 980 | Petrópolis | Centro de Turismo.
PEPPER’S HALL
O ambiente moderno, idealizado para ser o dining club referência de Natal, combina music bar, boate e gastronomia. Atrações nacionais e internacionais de estilos musicais diversificados se encontram no Pepper’s Hall e garantem muita diversão!
ENDEREÇO: 
Avenida Engenheiro Roberto Freire, 3.071 | Telefone: (84) 3236-2886.
MANGAI
O cardápio dispõe de comida tipicamente nordestina. A arquitetura remete a uma fazenda de interior, resgatando a identidade do Nordeste brasileiro, através da sua gastronomia. As opções somam mais de 60 pratos saborosíssimos.
ENDEREÇO: 
Avenida Amintas Barros, 3.300 | Lagoa Nova | Telefone: (84) 3206-3344 |
Mais informações em www.mangai.com.br.
RESTAURANTE CHAPÉU DE PALHA GRILL E BAR ORIGINAL
Seu cardápio baseado em carnes nobres divide espaço com o bar que funciona no mesmo espaço propondo musica ao vivo de terça a sexta-feira.
ENDEREÇO: 
Avenida Prudente de Morais, 4.074 | Lagoa Nova |
Mais informações em chapeudepalhagrill.com.br.
TURISMO 
Com mais de 400 km de litoral, é natural que os destinos mais procurados no RN sejam as praias potiguares. Mas há muito a ser explorado fora dos roteiros dos famosos passeios de bugues nas dunas. O turismo no interior do Rio Grande do Norte destaca-se principalmente pelas festas de carnaval (Caicó, Macau e Guamaré), São João (Mossoró) e de datas religiosas (Festa de Santana em Caicó e Currais Novos; de Santa Luzia em Mossoró; de Nossa Senhora da Guia, em Acari; e de São Sebastião em Parelhas e Caraúbas). - 
Procurando peixes em Maracajaú, Rio Grande do Norte
No entanto, tem crescido bastante a procura pelos festivais gastronômicos (Martins e Pipa) e literário (Pipa). Para quem gosta de frio, as temperaturas das regiões serranas de Monte das Gameleiras, Martins e Serra de São Bento chegam a 15 graus e são um convite para se apreciar uma conversa em torno de uma fogueira. 
Prato do restaurante Cook & Luxo em Natal (RN)
O turismo é responsável por uma das principais receitas do Estado do RN. Gera mais de 100 mil empregos e possui outras 54 atividades atreladas a si direta ou indiretamente. 
extração de sal
HOSPEDAGEM
Leitos: 40 mil (sendo 28 mil em Natal - IBGE) - proporcionalmente, é um dos maiores números de leitos do Brasil.
Número de hotéis: mais de 250 (Ministério do Turismo) 
Alta estação: Novembro a março (janeiro foi o mês mais procurado por turistas, seguido por dezembro) 
Hotel
RIO GRANDE DO NORTE
O maior cajueiro do mundo

Igreja Batista
Pico do Cabugi em Angicos
Orelhão da "OI"
Praia Barra do Cunhaú, no Rio Grande do Norte
São Miguel do Gostoso (RN) já foi desvendado por wind e kitesurfistas – a Praia de Ponta do Santo Cristo é uma das melhores do país para essas modalidades
Galinhos, Rio Grande do Norte
A Praia da Pipa, distrito de Tibau do Sul (RN), em um dia de maré alta; a vila de pescadores hoje atrai turistas pelas praias com suas falésias enormes, golfinhos e um charmoso centrinho de compras
Passarela entre o Maior Cajueiro do Mundo
FAROL DA MÃE LUIZA
Localizado no bairro de mesmo nome, como homenagem a uma velha parteira que também cedeu o nome ao local, o Farol reserva uma das vistas mais espetaculares da orla natalense. Isso porque conta com torre de concreto de 37 metros de altura, a qual se tem acesso por uma escadaria em espiral de 151 degraus. 
ENDEREÇO: 
Alto das Dunas de Mãe Luiza | Mãe Luiza | Telefone: (84) 3211-4959.
Em Touros, a grande atração da cidade é o farol
A Praia do Rosado tem esse nome por causa das dunas que tem uma cor rosada, chamadas de Dunas do Rosado
Nomeado em homenagem ao índio potiguar Felipe Camarão, o palácio é a sede da prefeitura de Natal (RN)
Na Praia Galinhos, em Macau (RN) tem de um lado, o rio, do outro, o mar e, entre eles, uma península com dunas, farol e uma vila de pescadores
Praia Redonda, Areia Branca (RN)
Queridinha do turismo potiguar, na Praia da Pipa, em Tibau do Sul (RN) os golfinhos são a atração do lugar
Entre o final de novembro e começo de dezembro acontece, em Natal (RN), o Carnatal, um carnaval fora de época
Na maré baixa, é possível chegar à Praia Galinhos, em Macau (RN) de bugue. Na vila, o transporte é geralmente feito por charretes
Com o fim de preservar e divulgar a vida e a obra de Luís da Câmara Cascudo, o Memorial Câmara Cascudo em Natal (RN) tem uma biblioteca que cerca de 10 mil volumes de diversas línguas e diferentes temas
Dunas do Rosado na Praia do Rosado, Areia Branca (RN)
A mais frequentada por fãs de kite e windsurfe, a praia da Ponta do Santo Cristo, São Miguel do Gostoso (RN), tem o mar verde e calmo
O Theatro Alberto Maranhão, Natal (RN), foi tombado pelo patrimônio histórico do Rio Grande do Norte
A Praia da Ponta do Mel em Areia Branca (RN) abriga um vilarejo e um farol
A diversão da Lagoa do Jacumã, em Natal (RN), é o esquibunda e o aerobunda. O primeiro é uma prancha em que se senta e vai “esquiando” até chegar às águas, o segundo é uma tirolesa
Monumento ao Mártires em São Gonçalo do Amarante 
Museu Histórico de Acari 
Estádio da Arena das Dunas
A Praia de Genipabu
Praia de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte
Praia da Pipa
Praia Ponta Negra, uma das mais turísticas da cidade Natal, capital do Rio Grande do Norte
Santuário do Lima em Patu
Skibunda

Cesto de Caju 
Cerra do Acauã em Acari 
Windsurf em São Miguel do Gostoso
foto Giovanni Sérgio.
PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS 
Rio Grande do Norte eh o maior produtor de sal do Brasil
FORTE DOS REIS MAGOS (NATAL) 
Em forma de estrela, foi a primeira construção da capital — fundada em 25 de Dezembro de 1599 — daí o nome Natal. Foi erguida pelos portugueses sobre recifes com cascalho de ostras, óleo de baleia, areia e pedras. A construção secular conserva canhões que miram o mar e recebe centenas de turistas diariamente. De lá se pode observar o mar aberto, a exuberância da ponte Newton Navarro sobre o rio Potengi e o manguezal repleto de caranguejos “chama-maré”. Praia de Ponta Negra (Natal) A praia mais movimentada da capital destaca-se pelo visual exuberante do Morro do Careca, uma duna gigante ladeada por mata atlântica, um dos principais cartões-postais do Estado. Concentra grande parte dos hotéis e restaurantes da cidade. À beira-mar, é possível degustar espetinhos de camarão assados na hora com uma bebida gelada, acomodado em guarda-sóis na areia. 
MOSSORÓ (285 KM DE NATAL) 
A segunda maior cidade do Estado é lembrada por ter resistido aos ataques do bando do cangaceiro Lampião, cujas marcas de bala são até hoje preservadas na Capela de São Vicente. A Estação das Artes, os mercados Municipal e do Bode são outras atrações. Pela realização do Mossoró Cidade Junina, o município abriga uma das maiores festas populares do Nordeste, composto por um mês inteiro de eventos, dentre os quais se destaca o espetáculo "Chuva de bala no país de Mossoró". 

SERRA DE SÃO BENTO (131 KM DE NATAL) 
Suas serras sediam um festival de inverno, em julho, com direito a estadia confortável em uma pousada de charme construída sobre uma rocha. Com a vizinha Monte das Gameleiras, a cidade tem sido bastante procurada pelo turismo de aventura ou de apreciação rural. - 
LAJEDO DE SOLEDADE (APODI , 420 KM DE NATAL) 
Em 1991, quando as pedras da localidade eram implodidas para a produção de cal, descobriu-se por acaso este importante sítio arqueológico potiguar. Suas pinturas rupestres foram feitas por índios que habitaram a região há milhões de anos. A composição de pedras do Lajedo lembra um cenário lunar. 

MARTINS (363 KM DE NATAL) 
Recebe a alcunha de “Princesa Serrana”, devido ao clima ameno que chega à média de 15 graus no inverno, quando sedia um famoso festival gastronômico. Os turistas podem visitar mirantes como a Casa da Pedra – segunda maior caverna em calcário do mundo – o da Igreja Matriz, Pedra Rajada e da Pedra do Sapo. O turismo de aventura é forte nesta região serrana. 
CARNAÚBA DOS DANTAS (219 KM DE NATAL) 
A cidade tem duas grandes atrações: o Castelo Di Bivar, inspirado na arquitetura europeia medieval e que serviu de cenário para o filme "O Homem que Desafiou o Diabo", baseado na obra do potiguar Nei Leandro de Castro. Fica no alto de uma serra, cercado por sítios arqueológicos com pinturas rupestres. A outra é o Monte do Galo, em cujas escadarias estão dispostas as estações da Via Sacra, onde é apresentada anualmente a Paixão de Cristo. Do alto avista-se o verde da região. Alto de 

SANTA RITA DE CÁSSIA (SANTA CRUZ, 111 KM DE NATAL) 
O município de Santa Cruz possui hoje a maior imagem católica do mundo, medindo 56 m de altura, maior até do que o Cristo Redentor. A estátua de Santa Rita de Cássia, padroeira do município, foi erguida em 2007 e hoje recebe o turismo religioso. Seu entorno conta com capela, lojinhas, auditório, restaurante, lanchonete, banheiros e estacionamento. Do alto, tem-se uma vista de 360 graus dos verdes vales da região. 

CAICÓ (256 KM DE NATAL) 
Seus pontos turísticos são o Museu do Seridó, que registra a vida do sertanejo; o Castelo de Engady, construção que remete à época medieval, erguida no meio da caatinga; o Açude Itans e seus balneários; o Mercado Municipal e o Arco do Triunfo, que dá acesso à igreja matriz. Caicó sedia duas grandes festas no Estado: o carnaval de rua e a de sua padroeira, Nossa Senhora de Sant’Ana, em julho. É conhecida pela autêntica culinária sertaneja. 
foto - Baixaki
CASTELO DE ZÉ DOS MONTES (SÍTIO NOVO, 99 KM DE NATAL) 
Construído e arquitetado em 1984 por um visionário – o tal Zé do Montes – que diz ter recebido a “missão divina” de construir o castelo entre as pedras da Serra da Tapuia, o lugar chama a atenção por diversos aspectos. Primeiro pela surpresa de, no meio do mato, deparar-se com um castelo erguido no meio do nada. Depois, o visitante é surpreendido pelos seus corredores estreitos e bifurcados (que também lhe dão o nome de “Castelo do Labirinto”) e por seus mirantes que dão vistas para um verde vale. No interior, todos os caminhos convergem para o centro do castelo, onde há uma capela em homenagem a Nossa Senhora. 

ACARI (201 KM DE NATAL) 
Fica na região do Seridó, tradicional pela comida sertaneja autêntica que produz. Os principais pontos turísticos de Acari são construções históricas (sobrados, igrejas, casas de fazenda), sítios arqueológicos e um museu sobre a vida dos sertanejos. O Açude Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, é um dos mais exuberantes do Nordeste. O período de sangria do açude reúne multidões de curiosos e turistas. 


PRAIA DE GENIPABU (EXTREMOZ – 20 KM DE NATAL) 
Quem cruza suas dunas extensas tem a impressão de estar em um verdadeiro deserto, pois a areia vai até onde a vista alcança. A melhor forma de apreciar essa paisagem é fazendo um passeio de bugue que leva até lagoas no meio do areal, onde é possível se refrescar descendo a duna de “aerobunda”, uma espécie de tirolesa da qual o turista se joga na água. Um passeio exótico pode ser feito em dromedários – sim, o mamífero nativo africano! – e vestido à caráter, como se fosse um tuareg no deserto. 


PRAIA DE BARRA DO CUNHAÚ (CANGUARETAMA – 90 KM DE NATAL) 
Próxima à praia da Pipa, é bastante procurada por praticantes de kitesurf e windsurf. Na praia da Barrinha, o rio Catú e seu manguezal se encontram com o mar; a do Pontal se estende por 5 km e concentra barracas de praia, restaurantes e pousadas. Agregada às praias fica Sibaúma, vila originada de um quilombo. 

PRAIA DE MARACAJAÚ (MAXARANGUAPE – 45 KM DE NATAL) 
O grande atrativo desta praia são suas piscinas naturais – conhecidas como “parrachos” – que possibilitam um mergulho em águas cristalinas em alto mar. Lanchas levam diariamente turistas até uma catamarã instalada a alguns quilômetros da costa, onde se pode fazer snorkeling , apreciar peixes coloridos e ainda bebericar coquetéis e petiscos. Praia de Pirangi 
foto - Sonia Furtado
(PARNAMIRIM – 12 KM DE NATAL) 
A extensa praia de águas calmas e mornas é uma das preferidas do potiguar para o veraneio, quando fica lotada, de dezembro até o carnaval. Abriga o “maior cajueiro do mundo”, uma árvore gigante com tamanho equivalente ao de 70 cajueiros e que produz cerca de 2 toneladas de cajus por safra. Os passeios de escuna que levam até mergulhos nos parrachos são outro atrativo da praia. 


GALINHOS (157 KM DE NATAL) 
Localizada ao norte do Estado, é preciso pegar um barco para chegar até esta península rústica, cortada por rios que fornecem saborosos frutos do mar à culinária local, preparada por pescadores e suas famílias. O cenário bucólico tem direito a dunas e praias de água doce e salgada praticamente desertas. 

SÃO MIGUEL DO GOSTOSO (120 KM DE NATAL) 
Um detalhe peculiar chama a atenção nas praias desta pequena cidade: o sol se põe no mar, em vez de se pôr no continente, como acontece em todo o Brasil. Esse fenômeno é possibilitado pela posição geográfica do município, bem na esquina do continente. Os ventos fortes da localidade são considerados excelentes para a prática do windsurf, por isso o local já virou point mundial do esporte e é fácil ouvir diversas línguas nas ruas da cidade. Esse cosmopolitismo trouxe à cidade pousadas e restaurantes de boa qualidade e uma noite badalada. Na praia de Tourinhos, a dica é observar o sol ir embora de cima de uma falésia. Em suas areias, nada de vendedores ambulantes ou grande movimento de pessoas. Tranquilidade total. 


BARREIRA DO INFERNO (PARNAMIRIM, 12 KM DE NATAL) 
O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) foi a primeira base aérea de foguetes da América do Sul. Hoje é comandada pela Força Aérea Brasileira e possui foguetes e aviões em exposição, mais um centro aberto à visitação. Pipa 

(TIBAU DO SUL – 77 KM DE NATAL) 
O lugar que na década de 80 era apenas uma vila de hippies e pescadores de difícil acesso hoje é uma das praias mais badaladas e cosmopolitas do Brasil. Reúne cenários paradisíacos – como o Chapadão, um conjunto de falésias que formam um imenso paredão à beira-mar, e praias de água morna aonde golfinhos vão se banhar com os turistas, como as praias do Amor e da Baía dos Golfinhos – e também uma gastronomia de boa qualidade e uma vida noturna agitada em bares e boates. Gente do mundo inteiro hoje toma as ruas de Pipa, desde aqueles que se apaixonaram pelo lugar e por lá montaram um negócio até estrangeiros que inseriram o destino entre os seus preferidos. 


CENTRO DE ARTESANATO (NATAL) 
O prédio histórico que sediava um antigo presídio no século passado hoje reúne o melhor do artesanato potiguar. Cada cela abriga uma lojinha onde estão expostos rendas de bilro, garrafas de areia colorida e artesanatos diversos. O andar superior traz ainda uma galeria de arte contemporânea e de antiguidades. Na área externa, a antiga igrejinha virou um museu de ex-votos (objetos talhados em madeira para o pagamento de promessas de fieis católicos) com peças de todo o Nordeste. Do restaurante, a vista privilegiada mostra do alto o Forte dos Reis Magos, as praias do centro da cidade e as dunas do litoral norte. 
CENTRO HISTÓRICO (NATAL) 
O bairro da Cidade Alta tem desde as mais antigas igrejas, como a Matriz de Nossa Senhora da Apresentação (1694), do Rosário (1714) e de Santo Antônio (1766), até prédios do séc. XIX em desenho neoclássico, com destaque para o Palácio Potengi, que hoje abriga a Pinacoteca do Estado. 

PARQUE DAS DUNAS (NATAL) 
É o segundo maior parque em área urbana do país – atrás apenas da Floresta da Tijuca, no Rio – com mais de mil hectares de dunas e mata atlântica. No Bosque dos Namorados, área do parque destinada à visitação, é possível fazer três diferentes trilhas – uma delas, para criança – que terminam em mirantes de frente para o mar da Via Costeira. Possui uma pista para caminhada, parques infantis, anfiteatro para eventos, um restaurante e uma lanchonete, além de museus e setores de pesquisa ambiental. 


VIA COSTEIRA (NATAL) 
É uma via litorânea de 10 quilômetros que liga a praia de Ponta Negra às praias do centro da cidade. Quem trafega pela estrada aprecia, de um lado, o mar, e do outro, a mata atlântica e as dunas do Parque das Dunas. Concentra os hotéis cinco estrelas da cidade. 
foto - Globo.com

ARTESANATO 
Garrafas de areia colorida e peças de bordados e rendas de bilro são os principais produtos do artesanato potiguar. Trançados em sisal e outras fibras vegetais, esculturas de madeira, couro e barro também são bastante produzidos pelos artesãos. Em Caicó, a produção de bordados e rendas surpreende pela originalidade e qualidade das peças. São Gonçalo do Amarante é o município que concentra a maior produção ceramista do Estado, como vasos. Faz sucesso as cestarias e os trançados de taboa – um tipo de palha encontrada em São Miguel do Gostoso. 
CULINÁRIA 
Influenciada por portugueses e índios, é bastante variada, mas alguns pratos têm maior destaque. O mais conhecido deles é a carne de sol com macaxeira, feijão verde, pirão de queijo e arroz de leite. Na língua tupi, potiguar significa “comedor de camarão”, fazendo jus à abundância de receitas preparadas com o crustáceo no Rio Grande do Norte. Entre os petiscos, os preferidos dos potiguares são a paçoca de pilão (carne de sol moída manualmente no pilão de madeira, com farinha e cebola roxa), o caranguejo cozido no leite de coco e a ginga com tapioca (um peixe menor do que uma manjubinha, servido dentro de uma tapioca). Os doces de frutas tropicais (coco, mamão, jaca, caju, goiaba) fazem sucesso, ainda mais se acompanhados de uma fatia de queijo de coalho ou de manteiga. 
FOLCLORE / PRINCIPAIS AUTOS 
BOI DE REIS 
É o tradicional Bumba Boi. Joaquim Augusto da Silva, conhecido como Joaquim Basileu, é o Mestre, Amo do Boi de Reis de Natal. Natural de Monte Alegre, descendente de uma família que sempre brincou "Os Reis". Aos quatorze anos era galante e aos vinte, "Mestre de Reis". A primeira apresentação do ano é realizada diante de uma igreja para que todos os brincantes sejam abençoados por Deus. A seguir, apresentam-se em palanques ou residências, quando são chamados. 
BOI CALEMBA 
Pertence ao ciclo natalino. Folguedo de praia e sertão, com auditórios certos, entusiásticos e fiéis. Não há modelo fixo para o Auto. 
FANDANGO 
A grande influência Portuguesa pode ser sentida nos passos das danças e expressões contidas nas Jornadas. O enredo desse evento grita em torno de um navio perdido no mar por 7 anos e um dia, correndo a tripulação perigo de incêndio, calmaria e tempestade. 
CONGOS 
Auto de inspiração africana, conta uma luta entre dois soberanos negros: a rainha Ginga e o rei Henrique Cariongo. 
LAPINHA E PASTORIL 
A lapinha ou presépio, dança religiosa, existe no Brasil desde o início da colonização. O elenco é formado por mocinhas que entoam jornadas das mais diversas procedências, em louvor ao Messias. O pastoril, seu primo profano, veio muito depois, no século passado. Cantos, louvações, lôas, entoadas diante do presépio na noite de Natal, aguardando-se a Missa do Galo. O repertório é um misto de cantos religiosos e profanos. Esse Auto simboliza o nascimento de Jesus. Os autos citados eram representados outrora durante as festas do fim do ano e começo do Ano-Novo. 
foto - Lenilton Lima
CABOCLINHOS 
Representados durante os dias de carnaval, com os integrantes fantasiados de índios estilizados e que já teve outrora seu núcleo dramático, com a morte e ressurreição do filho do cacique. 
PRINCIPAIS DANÇAS 
ARARUNA 
O Araruna, Sociedade de Danças Antigas e Semidesaparecidas, existe em Natal, desde 1956, e representa um repertório coreográfico de danças folclóricas ou folclorizadas. 
foto - Junio Santos
COCO, BAMBELÔ, MANEIRO-PAU 
São danças de roda em que não há qualquer enredo dramatizado, das quais o publico pode participar, já que não é exigida uma indumentária padronizada, ao contrário dos autos. O coco-de-roda e o coco de zambê, o bambelô, ainda hoje existe em algumas praias. O maneiro-pau é característico da região serrana do alto oeste do Rio Grande do Norte. 
BANDEIRINHAS E CAPELINHA-DE-MELÃO 
Danças características do ciclo junino. As pastoras cantam jornadas em louvor a São João Batista. 
ESPONTÃO 
Dança característica da festa dos negros, na região do Seridó, durante a coroação de reis e rainhas, na Festa de Nossa Senhora do Rosário, em Caicó, Parelhas e Jardim do Seridó. É privativa dos homens e se assemelha a um bailado guerreiro. 
BAMBELÔ 
Samba, côco de roda, danças em círculo cantadas e acompanhadas de instrumentos de percussão (batuque), fazendo os bailarinos, no máximo de 02, figurarem no centro da roda. 
PERSONALIDADES 
João Café Filho (ex-presidente da república e o único potiguar a ocupar o cargo), Luís da Câmara Cascudo (maior folclorista brasileiro e historiador), Oscar Schmidt (jogador de basquete), e Virna Dias (ex-jogadora de vôlei). Dentre outros





ESTA EH A ABANDEIRA DO RIO GRANDE DO NORTE
 ESTE EH O BRASÃO DO ESTADO


fonte / fotos = IBGE / viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Wikipédia / Portal do Governo do Rio Grande do Norte / greentur.com.br / 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CARACARAÍ / RORAIMA - A "Cidade Porto" tem Corredeiras, Hotel de Selva, Estação Ecológica, Parques Ambientais e grande Potencial Agrícola

LINHA DO TEMPO DE "CARACARAÍ" / RORAIMA / BRASIL Caracaraí é conhecida como “Cidade-Porto” por ter o maior movimento fluvial do estado de Roraima. A cidade nasceu como um local de embarque de gado para a capital amazonense. Os animais desciam até a boca da estrada, onde se iniciam as Corredeiras do Bem-Querer. Ali eram desembarcados e tangidos até um curral no porto municipal, onde eram embarcados para Manaus. As mercadorias vindas de Manaus, que tem como destino Boa Vista faziam este caminho em sentido inverso, e isso desenvolveu o lugar. O Aeroporto de Caracaraí possui a quarta maior pista de pouso da Amazônia Ocidental, com 2.500 metros de extensão, concluída pela Comissão de Aeroportos da Amazônia. A navegabilidade de Caracaraí a Manaus pelo baixo rio Branco é maior do que em outros pontos a Norte (ainda que grandes embarcações tenham dificuldades durante as fortes secas). As duas maiores e principais estradas federais de Roraima (BR-174 e BR-210 - "Perimetral Norte&…

IPUIUNA / MG - CAPITAL NACIONAL DA BATATA

BEM VINDO A CIDADE DE IPUIUNA. A CAPITAL NACIONAL DA BATATA foto - Thymonthy Becker Comunicação IPUIÚNA TEM 9.521 HABITANTES - IBGE 2010 - QUEM NASCE EM IPUIÚNA EH: IPUIUNENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 12 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.953 ORIGEM DO NOME Ipuiuna, palavra de origem indígena, que  significa “olho de águas turvas” ou “olho de águas escuras”, uma referência a nascente do Rio Pardo que está no município. HISTÓRIA Presume-se que os seus primeiros habitantes tenham sido pessoas que já habitavam povoados vizinhos, como Caldas-MG e Santa Rita de Caldas-MG. É sabido que em 20 de janeiro de 1891, José Francisco Lopes e João Bernardes de Souza fizeram doação de 10 alqueires de terras para formação de um povoado que teria o nome de Santa Quitéria e São João Batista. Posteriormente, veio a edificação de uma capela que, na verdade foi o marco inicial do novo povoado a sombra da qual cresceu o novo núcleo. AQUI A MATRIZ DE SANTA QUITÉRIA foto -  Marçal Carboneri IGREJA DE SÃO BENEDITO foto …

DIVINÓPOLIS / MINAS GERAIS - COMO A CIDADE COMEÇOU - CEM ANOS ATRÁS NASCIA A CIDADE QUE SERIA REFERÊNCIA EM QUALIDADE DE VIDA E EDUCAÇÃO, NAS MINAS GERAIS

DIVINÓPOLIS / MINAS GERAIS / BRASIL - 100 ANOS ATRÁS foto - Thymonthy Becker AQUI PODEMOS VER O CENTRO DA CIDADE, COM O SANTUÁRIO, O COLÉGIO DOS PADRES E ABAIXO A PONTE QUE LIGA O CENTRO AO BAIRRO PORTO VELHO. foto - Colombo
NESTA PÁGINA, IREMOS MOSTRAR COMO DIVINÓPOLIS COMEÇOU. ALGUMAS FOTOS SÃO RARAS. E POSSUEM MAIS DE CEM ANOS. ESTE FOI O SEGUNDO LOCAL ONDE FUNCIONOU A CÂMARA MUNICIPAL. AQUI NA RUA SÃO PAULO. foto - ?
AQUI  ANTIGA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA. HOJE EH O HOTEL DAS VOVÓS. foto - ?
ESTA EH A RUA SÃO PAULO. REPARE QUE OS POSTES DE LUZ FICAVAM NO MEIO DA RUA. foto - ?
AQUI A MESMA RUA SÃO PAULO, ENTRE ANTÔNIO OLÍMPIO DE MORAIS (ANTIGA AVENIDA DA INDEPENDÊNCIA) E AVENIDA VINTE E HUM DE ABRIL. foto - ?
ESTE VÍDEO FOI FEITO QUANDO DIVINÓPOLIS TINHA 20.000 HABITANTES, HOJE TEM 225.000. QUANDO DA INAUGURAÇÃO DA PONTE CENTRO/PORTO VELHO.
AQUI A AVENIDA PRIMEIRO DE JUNHO ESQUINA COM RUA SÃO PAULO. REPARE AS BOMBAS DO POSTO DE COMBUSTÍVEL. foto - ?
O PRIMEIRO PRÉDIO DA CIDADE. EDIFÍCIO HERCÍLIO. …

ABADIA DOS DOURADOS / CIDADE ONDE SE ENCONTRA ENTERRADO O BAU DE TIRADENTES

BOM DIA. BEM VINDO A ABADIA DOS DOURADOS. UMA CIDADE HOSPITALEIRA, DE UM POVO ACOLHEDOR, VÁRIOS PONTOS TURÍSTICOS ECOLÓGICOS E RELIGIOSO, COMIDA MINEIRA DE PRIMEIRA QUALIDADE. E COM UMA HISTÓRIA QUE FALE A PENA VOCÊ CONHECER. copyrigth "Léo/MPB/Gustavo"
Abadia dos Dourados tem uma população de 6.704 habitantes. (IBGE 2010) Sendo 3.586 do sexo masculino e 3.118 do sexo feminino. QUEM NASCE EM ABADIA DOS DOURADOS É:  ABADIENSE ABADIA DOS DOURADOS FAZ ANIVERSÁRIO EM 27 DE DEZEMBRO. FOI FUNDADA EM 1948. HISTÓRICO IMPORTANTE DE ABADIA QUE MERECE INVESTIGAÇÃO: Segundo o Sr. Laerte Esteves dos Santos, bisneto do fundador da cidade, Manoel Esteves dos Santos, o seu bisavô era amigo íntimo de Tiradentes e veio foragido de Sao Joao Del Rei para Abadia dos Dourados e com ele trouxe inumeras CARTAS  DE TIRADENTES. Estas cartas estavam em um bau de metal que foi enterrado por volta do ano de 1965, pela avó do sr Laerte, em um local próximo a cidade. Esteveram no local, juntamente com o sr…

ENTRE RIOS DE MINAS / MINAS GERAIS - "BERÇO DO CAVALO CAMPOLINA", TEM RUAS CALMAS, BELOS CASARÕES, CACHOEIRAS E MUITA BELEZA NA SERRA DO GAMBÁ

LINHA DO TEMPO DE "ENTRE RIOS DE MINAS" / MINAS GERAIS / BRASIL A CIDADE A economia é baseada na agropecuária, sendo grande produtora de leite, milho e de uma cachaça artesanal muito famosa na região. O município é conhecido como berço do Cavalo Campolina e local aonde nasceu Santa Manoelina dos Coqueiros. A atmosfera aconchegante de Entre Rios é proporcionada pelas ruas calmas com casarões conservados, além das lindas arquiteturas da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Brotas que tem influências neogóticas, datada de 1928, e do belo prédio do Hospital Cassiano Campolina, construído em 1910.
O TURISMO O município possui belezas naturais como cachoeiras e serras, e é um lugar propício para a prática de esportes ao ar livre como escalada, voô livre, mountain bike, trekking entre outros. Dentre os monumentos naturais destacam-se as cachoeiras do Gordo (18 km. da cidade), dos Faleiros (10 km. da cidade), Coqueiros (12 km. da cidade), do Diniz (12 km. da cidade), da mata (17 km. da c…

ITU / SÃO PAULO - SEMPRE DE BRAÇOS ABERTOS PARA RECEBER QUEM QUER SE DIVERTIR, PASSEAR, APRECIAR UMA BOA COMIDA OU APENAS DESCANSAR. QUEM GOSTA DE TURISMO, PRECISA CONHECER ITU. E NÃO EH EXAGERO

LINHA DO TEMPO DE "ITU" / SÃO PAULO / BRASIL  Graças ao saudoso comediante Francisco Flaviano de Almeida, o Simplício, artista conhecido em todo o Brasil, Itu ficou conhecida como a terra dos exageros. Em um programa de televisão, nos idos dos anos de 1960, Simplício, durante suas piadas, criou o mito de que em Itu tudo era grande. A partir disso, os turistas voltaram seus olhos para a cidade que, por sua vez, começou a comercializar objetos em tamanho gigante e colocou em sua praça central um telefone público enorme e um semáforo de proporções ampliadas.  Essa bem humorada brincadeira ainda é o maior chamariz de visitantes para Itu, mas, ao chegarem, os turistas descobrem que as opções vão muito além da divertida lenda dos gigantismos.  Com uma infinidade de atrativos, o município está entre as 67 estâncias turísticas de São Paulo, sendo considerado um dos destinos obrigatórios para quem viaja pelo Estado. Com mais 400 anos, Itu reúne em seu território atrações de cunho histór…

BRASILÉIA / ACRE - Rica em Biodiversidade, Singular em seus múltiplos aspectos, realista a respeito dos óbices que se antepõem, mas acreditando na persistência e trabalho de um povo singular

LINHA DO TEMPO DE "BRASILÉIA" ACRE / BRASIL  População estimada 2016 (1) - 24.311  Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.916,502  Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,46  Código do Município 1200104  Gentílico - Brasileense  Gentílico: brasileense  HISTÓRICO  Brasília, como era chamada Brasiléia, foi fundada nas terras dos índios Catianas e Maitenecas, no Seringal Carmem, quando o Acre já era território do Brasil.  Foi criada por homens da classe dominante da sociedade acreana da época, seringalistas e autoridades constituídas, que habitavam no Alto Acre, vinculados à exportação de borracha para Belém e Manaus.  No Seringal Carmem foi escolhida uma área para instalação da justiça do 3º Termo Judiciário da Comarca de Xapuri e do Juiz Fulgêncio de Paiva, que já havia sido expulso das terras do Seringal Nazaré. Eram os primeiros passos da fundação de Brasília, que contou com a participação de brasileiros como João Cordeiro Barbosa, José Antônio de Almeida, Olegário de A…

SENADOR GUIOMARD / ACRE - Cercada de histórias e culturas que herdaram na consolidação da cidade, reunindo etnias e tradições diversas, mantém acesa a centelha formadora do desenvolvimento

LINHA DO TEMPO DE "SENADOR GUIOMARD" / ACRE / BRASIL foto - ? População estimada 2016 (1) - 21.369 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 2.321,454  Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 8,69  Código do Município 1200450  Gentílico - guiomaense 
ORIGEM DO NOME
O nome da cidade, Senador Guiomard, eh uma homenagem ao seu fundador. Porém, grande parte da população continua usando o antigo nome da cidade, Quinari, que eh de origem indígena, por não concordar com a mudança do nome da cidade. Gentílico: guiomaense  HISTÓRICO A história de Senador Guiomard começa em 1930, com formação da colocação Quinarizinho, durante o auge do extrativismo.  Foram 32 famílias oriundas do Nordeste do país que iniciaram o povoamento daquela região, tendo sido aberta a estrada até Rio Branco em 1947. Foi elevado à categoria de vila em 1956, sendo seu primeiro subprefeito nomeado em 1957, passando então a se chamar Vila Grande Quinari.  Seu nome, segundo os moradores mais antigos, está associado à uma árvore …

RORAINÓPOLIS / RORAIMA - Com inúmeras praias, corredeiras, arquipélago de rara beleza com viveiro de tartarugas, um verdadeiro paraíso ecológico no Sul do estado

LINHA DO TEMPO DE "RORAINÓPOLIS" / RORAIMA / BRASIL População estimada 2016 (1) - 27.756  Área da unidade territorial 2015 (km²) - 33.596,525  Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 0,72  Código do Município 1400472  Gentílico - Rorainopolitano  HISTÓRICO A cidade foi criada com a instalação de uma sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), às margens da BR-174, a mais importante do Estado, isso na década de 1970. O INCRA implantou um programa para distribuir terras, isso atraiu pessoas de todo o Brasil.  Foi elevado à condição de município em 17 de outubro de 1995.  Avenida Ayrton Senna, principal avenida de Rorainópolis, Roraima foto - Tiago Orihuela A região central de Rorainópolis, Roraima foto - Tiago Orihuela Datas festivas e históricas  Festival de verão – 01 e 02 de janeiro  A festa junina eh uma tradição na cidade de Rorainópolis, Roraima foto - ? Igreja de Nossa Senhora da Assunção Dia da Padroeira Nossa Senhora da Assunção - 05 de agosto - A cidade faz um…

PIRAPORA / PORTAL DO RIO SÃO FRANCISCO

BEM VINDO A CIDADE DE PIRAPORA. A CIDADE PROGRESSO
imagem - Jadir F.
PIRAPORA TEM 53.368 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM PIRAPORA EH: PIRAPORENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 01 DE JUNHO E FOI EMANCIPADA EM 1.912
ORIGEM DO NOME
O topônimo de origem tupi significa “salto de peixe” ou “onde o peixe salta” - pira (peixe) e poré (salto).
HISTÓRIA

O São Francisco foi, durante o ciclo da mineração, importante meio de transporte para o abastecimento da região das minas. As mercadorias saíam da Bahia subindo o rio e, quando terminava o trecho navegável, seguiam por terra até os centros mineradores. A cidade nasceu justamente no ponto da baldeação, na margem direita do rio, a jusante da cachoeira de Pirapora. Parte da tribo dos índios Cariris, em época remota, teria subido o Rio São Francisco. Movida pelo temor à aproximação dos brancos pelo litoral brasileiro e acossada pelas tribos vizinhas. Aportando na área hoje compreendida pelo município de Pirapora, fixaram-se defronte à corredeira, esta…