Pular para o conteúdo principal

CAMAQUÃ / RIO GRANDE DO SUL - Grandes eventos anuais, importantes pontos turísticos históricos e ecológicos, são alguns dos atrativos para que você venha conhecer Camaquã




LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CAMAQUÃ" / RIO GRANDE DO SUL / BRASIL
foto - ?
SEJA BEM VINDO A CIDADE PÓLO DA REGIÃO CENTRO-SUL. SEJA BEM VINDO A CAMAQUÃ
imagem - Alexa Haas
População estimada 2016 (1) - 66.031
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 1.679,434
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 37,37
Código do Município 4303509
Gentílico - camaquense
ORIGEM DO NOME
Dentre os diversos significados dados ao município de Camaquã o mais adequado segundo o autor Antonio Cândido Silveira Pires é o de rio correntoso ou rio forte. Camaquã vem de Icabaquã e na língua tupi-guarani I significa rio, água e Cabaquã quer dizer velocidade, correnteza. Então podemos concluir que o nome de nosso município vem do rio Camaquã que passa em nossa cidade.
Gentílico: camaquense
HISTÓRICO
Os primeiros sesmeiros que se estabeleceram na região foram: o Sargento-Mor Boaventura José Centeno, o Sr. Antônio Lopes Duro e o Capitão Joaquim Gonçalves da Silva (pai de Bento Gonçalves). A história de Camaquã tem início em 9 de dezembro de 1815, quando foi concedida a licença para a criação da Capela Curada de São João Batista de Camaquã, construída em terreno doado pelo Capitão, considerado fundador do município. Entretanto, o povoamento, não se efetuou, em virtude da falta de água nas proximidades da capela, que pudesse suprir as necessidades da povoação. Esta é a primeira data oficial consolidando a criação de uma comunidade. É, portanto, seu fundador, segundo pesquisas do historiador Luis Alberto Cibilis, o Capitão Joaquim Gonçalves da Silva, doador do primeiro terreno para construção da Capela e o requerente da provisão que a criou.
A região onde atualmente está localizado Camaquã já era conhecida desde os tempos coloniais de 1714. Por volta de 1763 diversos casais açorianos foram descendo para o Sul, localizando-se na margem esquerda do Estuário Guaíba e da margem direita da Laguna dos Patos, fundando fazendas e charqueadas até o rio Camaquã.
O povoamento da região foi despertado pelo interesse religioso e pecuário. A população cresceu com a vinda dos imigrantes: portugueses, franceses, poloneses, alemães, espanhóis, negros e com os já donos desta terra os irmãos indígenas. Constava do extenso território da Freguesia do Triunfo, as sesmarias do Cordeiro, do Duro e do Cristal de propriedade do Capitão Joaquim Gonçalves da Silva, pai de Bento Gonçalves, que ao doar terreno na atual localidade da Capela Velha, 8º distrito requereu autorização para fundar a Capela Curada de São João Batista de Camaquã.
AQUI A CAPELA VELHA
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
imagem - André Bercot
BARRAGEM DO ARROIO DURO
Reservatório artificial de água, cercado por mata nativa e floresta de pinos. Funciona diariamente a partir das 8h. Informações fone: (51) 3671-4433 ramal 46.
O local possui churrasqueiras, amplo espaço de área verde com pracinha de brinquedos e possibilita a pesca sem redes e tarrafas.
imagem - ?
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
ESTE TAMBÉM EH PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
CENTRO DE INTEGRAÇÃO E ASSISTÊNCIA A SAÚDE
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
O CINEMA COLISEU
O antigo cinema Coliseu surgiu em 1914 por iniciativa de José Bukawski e funcionou até a sua morte em 1944. Em 1981 foi adquirido pela Prefeitura Municipal e em 22 de outubro de 1987 foi totalmente restaurado e reinaugurado. Atualmente, com uma capacidade de 220 lugares o Coliseu é palco de peças teatrais, seminários e festivais e o Teatro é cedido para a comunidade para formaturas, seminários, palestras, debates e outras atividades, sendo dirigido pela Secretaria Municipal da Cultura, órgão da Prefeitura Municipal de Camaquã.
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
AQUI NO COMPLEXO ESPORTIVO RUI CASTRO NETTO
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
AQUI DENTRO DO FORTE ZECA NETTO
Sua construção foi iniciada, possivelmente, no ano de 1903 e concluída em 1904, dotada de todo o conforto desejado para a época quando Camaquã deveria contar com menos de 150 prédios. 
Por seu inigualável valor histórico o espaço foi adquirido pela prefeitura em 1991, e no ano seguinte tombado como Patrimônio Público Cultural do Estado do Rio Grande do Sul em 09 de julho de 1992. Em 1996, completamente restaurado o Forte Zeca Netto é entregue à comunidade. Serviu de residência ao legendário General José Antônio Netto – o Zeca Netto.
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
ENTRADA PARA A BARRAGEM DO ARROIO DURO
imagem - Henrique de Borba
CASA DO ARTESÃO
Estrada de acesso à Vila Aurora a 7km da zona urbana a SE
Fundada em 11 de novembro de 1997, a Associação de Artesãos de Camaquã está localizada no Quiosque Municipal da Praça Zeca Netto. A Casa do Artesão oferece trabalhos em madeira, cerâmica, linhas, grampada, macramê, frivoletê, crochê, couro, palha, pinturas em tela, porcelana entre outros.
Horário de atendimento:
De segunda a sexta: das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min
Sábados e domingos: das 14h às 17h30min
Fone 3692-2356
ESCOLA 7 DE SETEMBRO
imagem - Henrique de Borba
AQUI A FAZENDA DA FIGUEIRA
imagem - Henrique de Borba
FORTE ZECA NETTO. 
AQUI FUNCIONA A BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL, O MUSEU MUNICIPAL DIVINO ALZIRO BECKEL E A SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA.
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
VISTA MAIS AMPLA DO FORTE ZECA NETTO
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
A FRENTE DO FORTE ZECA NETO
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
FUNDOS DA IGREJA MATRIZ DE SÃO JOÃO BATISTA
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
ÁREA RURAL
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
RUA DA CIDADE
imagem - Henrique de Borba
MATRIZ DE SÃO JOÃO BATISTA
Prédio de estilo eclético com elementos neoclássicos. Está localizado frente a Praça Coronel Sylvio Luiz, antes, Quinze de Novembro. A Paróquia de São João Batista chegou aos 150 anos, alicerçada em uma história, que se confunde com a própria origem do município. Ali, onde se encontra a Igreja Matriz, era o coração da cidade. Naquele espaço os principais prédios históricos de Camaquã se entrelaçam, perfazendo o retrato de um passado glorioso. Ali se forjou a virtude de nossa gente sob a égide do padroeiro.
Ela integra o conjunto arquitetônico da Praça Cel. Sylvio Luiz Pereira da Silva, não apenas pelo estilo, senão pelo conjunto, que tem a “cara de Camaquã” do início do século XX.
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
IGREJA DE SANTA TERESINHA NO BAIRRO BOM JARDIM
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
IGREJA DOS TRÉS REIS MAGOS
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
ENTORNO DA CIDADE
imagem - Paulo César Silva
O PIRULITO DA PRAÇA
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
PONTE SOBRE ARROIO DURO
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
AQUI POR CIMA DA PONTE
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
FONTE DA PRAÇA DONÁRIO LOPES
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
AQUI A PRAÇA DONÁRIO LOPES
imagem - Pulsar Imagens
PRAÇA SYLVIO LUIZ
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
PRAÇA ZECA NETTO
imagem - ?
AQUI A SEDE DO GOVERNO MUNICIPAL
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
ROTATÓRIA
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
SINAL DE TRÂNSITO FRANCÊS NA RUA DA IGREJA MATRIZ
imagem - Ubirajara Buddin Cruz
imagem - Theobaldo
imagem - Jean Raubach
ESCOLA ESTADUAL
imagem - Henrique de Borba
CLUBE CAMAQUENSE
imagem - Fernando Lima
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO


fonte / fotos - IBGE / Thymonthy Becker / Divulgação / Portal da Prefeitura Municipal / 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

MANHUAÇU / MINAS GERAIS - Rodeada por belezas naturais como o Pico da bandeira, belíssimas paisagens como as plantações de café, além de construções centenárias

LINHA DO TEMPO DE "MANHUAÇU" / MINAS GERAIS / BRASIL
Situada na zona da mata de Minas Gerais, Manhuaçu é o maior e mais desenvolvido município da região. Sua localização estratégica possui acesso a diversas rodovias estaduais e federais, estando rodeada por belezas naturais que você não pode deixar de conhecer. Manhuaçu também se destaca pela economia, que gira principalmente na produção de café. A produção regional é a maior do Brasil, sendo produtos de consumo nacional e internacional. Existem muitas fazendas de café na região, que além do impulso econômico, proporcionam uma belíssima paisagem.  Cafezal com pés carregado de café foto - ? Alguns dos maiores atrativos da cidade estão no Ecoturismo. Os principais pontos são a Pedra Furada, reservas Monte Alverne, Sítio Graciema e Mata do Sossego e os balneários Recanto no Paraíso e Cachoeira Sette. A cidade também é rica em patrimônio histórico. A Igreja Matriz São Lourenço, localizada no Centro, é o principal ponto da cidade, co…

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…