Pular para o conteúdo principal

CAMPOS DO JORDÃO / SÃO PAULO - Entre prédios de arquitetura alpina de plátano nas calçadas, visitantes circulam pelo centrinho do Capivari, a porção mais badalada da cidade




LINHA DO TEMPO DE "CAMPOS DO JORDÃO" / SÃO PAULO / BRASIL
Entre prédios de arquitetura alpina e árvores de plátano nas calçadas, visitantes paramentados com botas, gorros e cachecóis circulam pelo centrinho do Capivari, a porção mais badalada da cidade. De dia, compram chocolates e malhas nas lojas que se enfileiram pelo bairro. À noite, disputam mesas para beber cerveja ou comer fondue. É o típico programa de inverno em Campos do Jordão – por isso, se escolher visitá-la nessa época, espere ver gente, muita gente. Isso sem falar no mais conhecido evento da cidade, o Festival Internacional de Inverno, com o melhor da música erudita. No resto do ano, a cidade fica bem menos povoada, mas se mantém bela e geladinha (a 1 628 m, é o núcleo urbano mais alto do país). Dá para relaxar nas pousadas de charme, curtir a área de lazer dos hotéis e passear admirando o verde que circunda a região.
Arquitetura típica de Campos do Jordão, SP
imagem - Cris Campanella
COMO CHEGAR
De São Paulo, pegue o sistema Ayrton Senna- Carvalho Pinto (SP-070) e siga pela Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123). Quem chega do Rio pega a mesma estrada a partir da saída 117 da Via Dutra (BR-116). A SP-123 é bem-conservada e tem bonita vista para um vale (fique atento a um mirante no km 44, sentido Taubaté). A empresa Pássaro Marron (0800-285-3047) faz o trajeto de três horas de ônibus entre São Paulo e Campos diariamente, com saídas em seis horários (6h, 9h, 12h, 15h, 17h e 19h30; R$ 42,35), partindo do Terminal Rodoviário Tietê.
Campos do Jordão (SP) tem prédios de arquitetura alpina e árvores de plátano nas calçadas
foto - Leandro Cilffo
Hotel Home Green Home, um dos mais pitorescos da cidade, com seu formato de castelo
foto - Alvaro Castro JR
Chocolates da chocolateria Toco, na Vila Capivari
foto - Bia Parreiras
COMO CIRCULAR
A partir do portal de entrada, você percorre 6 km na Avenida Januário Miráglia, com comércio e serviços concentrados nos bairros Jaguaribe e Abernéssia e cheia de radares de 50 km/h, até chegar ao Capivari, centro turístico da cidade. Por ali, a melhor maneira de circular é a pé – as ruas são estreitas, as vagas são escassas e, assim como em alguns trechos da Abernéssia, há cobrança de Zona Azul. Aqui não há semáforos, por isso, atente ao movimento de pedestres sobre a faixa.
Agito noturno em frente a Cervejaria Baden Baden, na Vila Capivari
foto - Jair Magri
UM DIA PERFEITO
Pela manhã, curta a natureza que cerca a cidade; à tarde, concentre-se no centro turístico, que reúne comércio e restaurantes. Comece pelo Horto Florestal com atividades como trilhas e tirolesa. Faça uma parada para o almoço no alemão Harry Pisek, e não deixe de provar as saborosas salsichas artesanais. Depois, siga para o Capivari, bairro mais badalado, com bons endereços para comprar malhas e chocolates. No fim de tarde, sente-se em uma das disputadas mesinhas do Baden Baden para tomar cervejas locais. Termine com um jantar no argentino Libertango.
É em torno da famosa cervejaria Baden Baden que acontece todo o agito da Vila Capivari
foto - Bia Parreiras
Especializada no turismo de luxo, Campos do Jordão é destino certo dos paulistanos no inverno
foto - Divulgação
Restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão, São Paulo
foto - Divulgação
foto - Tuca Reines
O GUIA RECOMENDA
Três dias - Aproveite os próximos dias para conhecer de perto os cartões-postais da região. A Pedra do Bauzinho tem trilha curta após percurso de Jipe ou quadriciclo. Já para chegar ao topo da Pedra do Baú, há trechos de escalada. Encontre outras atividades ao ar livre nos parques Aventura no Rancho, com cavalgada e tirolesa, Pesca na Montanha, com trutário e tanques de pesca, e Centro de Lazer Tarundu, com patinação e arvorismo. Não deixe de visitar os museus Palácio Boa Vista e Casa da Xilogravura. Programe um almoço no brasileiro Mina, que funciona no luxuoso Botanique Hotel & Spa; prove fondue no Matterhorn ou no Toribinha; e, se preferir um bar, o Fräulein Bierhaus tem boa carta de cervejas especiais e pratos alemães.
Como no invero a quantidade de carros e de pedestres é enorme, trechos das ruas principais ficam fechados ao trânsito nos fins de semana
foto - Jair Magri
É TUDO VERDADE
A Avenida Januário Miráglia, que liga o portal ao Capivari, é a principal via da cidade. Não há como fugir dela – nem de seu congestionamento no inverno. Além do alto fluxo de carros, não há semáforos, e os retornos, por cima dos trilhos do trem, sempre formam filas.
Estrada de ferro em Campos do Jordão, em paisagem típica de outono na cidade paulista
Apesar de sua aparência suíça, com as casinhas enxaimel, Campos do Jordão foi fundada por um português
foto - PMCJ
No começo do século 20, a cidade foi destino para enfermos, que internavam-se em casas de repouso para curar de doenças como asma e tuberculose
foto - PMCJ
foto - PMCJ
Noite
No inverno, quando a tarde cai, as mesas do Baden Baden são as mais disputadas – quem se cansa de esperar acaba escolhendo algum outro bar do Capivari. Por volta das 20h, promoters aparecem por ali para vender convites de festas alternativas e casas badaladas, como a Disco e o Winter Lounge.
Hotel Villa Mazzaropi, antigo Hotel Villa Inglesa
foto - Divulgação
ONDE FICAR
A grande procura dos paulistas fez com que a cidade ganhasse uma rede hoteleira com variado nível de conforto, e diárias altas no inverno, em geral acima dos R$ 400 nas pousadas simples e acima de R$ 1000 nos hotéis de alto padrão. Entre a primavera e o outono, os preços caem mais da metade. Quem fica no Capivari está perto de bares e restaurantes badalados, mas pode sofrer com o barulho. Fora do centrinho, há hotéis de maior contato com a natureza.
Charrete no jardim do Hotel Villa Mazzaropi
ONDE COMER
A gastronomia é um dos principais atrativos da cidade, que divide (com Ribeirão Preto) a vice-liderança estadual em número de restaurantes estrelados no GUIA BRASIL 2015 – os três premiados são Harry Pisek, Libertango e Mina. As fondues continuam como um clássico local – a mais tradicional é a do Toribinha, mas você também encontra a receita no Le Foyer, Ludwig e Matterhorn.
Terraço da pousada LAH Hostellerie
foto - Divulgação
QUANDO IR
Entre Corpus Christi e o fim de julho (época do Festival de Inverno) a cidade vive seu apogeu. Com temperaturas baixas, os hotéis ficam lotados. No resto do ano, a temperatura sobe e as diárias caem – mas alguns restaurantes fecham no começo da semana.
Por Jaqueline Gutierres
Restaurante do Blue Mountain Hotel & Spa
foto - Divulgação
ATRAÇÕES EM CAMPOS DO JORDÃO
É impossível ficar estático no principal destino da Serra da Mantiqueira. O footing pelas lojas e bares da Vila Capivari é um programa clássico, quase sempre findado com um cerveja na Baden Baden. Programão família, o Centro de Lazer Tarundu mistura cavaldada e esportes de aventura. Se o seu negócio for um passeio em meio a araucárias, siga para o Horto Florestal. Cartão-postal da região, a Pedra do Baú pode ser conquistada após uma árdua escalada.
Prato do restaurante do Blue Mountain Hotel & Spa
foto - Divulgação
A maioria das atrações foi avaliada pelo GUIA QUATRO RODAS, com indicação do grau de interesse ao leitor (estrelas, de algum interesse a vale a viagem), além de selos que indicam escolha do Guia e novidade.Hotel Le Renard
foto - Divulgação
O QUE FAZER EM CAMPOS DO JORDÃO 
MUSEU / PALÁCIO BOA VISTA 
Residência de inverno do governador de São Paulo, a construção remete a um palácio medieval. A visita guiada, que dura cerca de 30 minutos, contempla obras de modernistas como Tarsila do Amaral, Portinari, Di Cavalcanti e Brecheret, além de mobiliário barroco e imagens sacras. Quando não há hóspedes, o tour segue até a ala residencial do palácio. 
Avenida Doutor Ademar de Barros, 3001, 7 km 
Alto da Boa Vista 
(12) 3668-9700 (Fone) 
Horário de funcionamento 
Aberto de quarta-feira a domingo, das 10h às 12h e das 14h às 17h. 
MUSEU / CASA DA XILOGRAVURA 
A xilogravura, técnica em que a madeira entalhada serve de matriz para a impressão, é representada em mais de 400 obras de artistas brasileiros e estrangeiros - entre eles, os precursores do uso dessa técnica como expressão artística no país, como Lasar Segall, Lívio Abramo, Percy Lau e Tarsila do Amaral. Com sorte, a visita ao casarão pode ser guiada pelo professor Antonio Costella, idealizador do projeto. 
Avenida Eduardo Moreira da Cruz, 295, 3 km 
Jaguaribe 
(12) 3662-1832 (Fone) 
Horário de funcionamento 
Abre de segunda-feira e de quinta a domingo, das 9h às 12h e das 14h às 17h. Fecha durante o mês de dezembro. 
foto - Denis Carvalho
PARQUE / HORTO FLORESTAL 
O parque estadual mais antigo de São Paulo ocupa 30% da área de Campos do Jordão. Na entrada da enorme área verde, perfeita para namorar, caminhar entre araucárias ou um piquenique, o centro de visitantes tem painéis que explicam sobre a fauna e flora da região. Quatro trilhas são abertas ao público: a das Quatro Pontes (2 km) é fácil, boa para levar crianças; mais longas, a do Rio Sapucaí (2,6 km) e a dos Campos (3 km) têm nível médio; e a da Cachoeira (4,7 km), que também é fácil, pode até ser feita de bicicleta e terminar com um banho. Além das caminhadas, há outras atividades, oferecidas pela Zoom Aventura: arvorismo, duas tirolesas e aluguel de bikes. 
Acesso pela Avenida Pedro Paulo (Estrada do Horto), 12 km 
(12) 3663-3762 (Fone) 
Horário de funcionamento 
Aberto de segunda, terça e de quinta a domingo, das 9h às 16h; durante janeiro e julho, aberto diariamente, das 9h às 16h. 
PASSEIO / CAPIVARI 
Repleto de construções em estilo alpino que abrigam pousadas, restaurantes, cafés, lojas e galerias, o circuito formado pela Rua Doutor Djalma Forjaz, a Avenida Macedo Soares e a Praça São Benedito é a atração mais badalada da cidade. O centro da badalação é o bar Baden Baden, onde a espera por uma mesa pode demorar duas horas na alta temporada. Ele e os bares ao redor são os melhores lugares para se observar o vaivém de casacos, botas e carros de luxo. Em julho, o Convention Center (Avenida Macedo Soares com a Rua Engenheiro G. Winter) dá lugar ao Market Plaza, shopping com lojas de grifes. Nessa época, encontrar vaga para estacionar no Capivari é coisa raríssima, tanto na rua (há cobrança com cartão 'zona azul') como nos estacionamentos particulares - deixar o carro nos arredores das avenidas Emílio Ribas e Antônio Nicola Padula pode ser a solução. 

TURISMO DE AVENTURA / PEDRA DO BAÚ 
A ideia de chegar ao topo da Pedra do Baú sempre me fascinou. Ainda mais por saber que era preciso subir uma escadinha de grampos de ferro fincados na rocha – a “via ferrata”, instalada em 1942, dois anos após os pioneiros chegarem lá em cima. Mais de 70 anos se passaram e lá estava eu, na base da pedra, em uma trilha moderada de 50 minutos (na companhia de um guia, o que é sempre recomendável). Depois de checar os equipamentos de segurança, subimos pela face sul, voltada para Campos do Jordão. Venci os degraus sem muita dificuldade, mas tenso. As paradas ajudavam a relaxar – eu olhava em volta e apreciava o impacto da paisagem. No topo, a 1 950 m de altitude, o vento soprava forte e muito gelado. Mas o melhor estava por vir. A descida pelos degraus da face norte, voltada para São Bento do Sapucaí, foi pura adrenalina. O trekking pode ter variações – como passar pela Pedra do Bauzinho e terminar na Pedra Ana Chata, onde você sobe 40 m até uma gruta e desce fazendo rapel (nesse caso, a atividade dura o dia todo). 
Por LUIZ GIANNONI 

A Pedra do Baú, em Campos do Jordão, é perfeita para praticar montanhismo
Para chegar à Pedra do Baú, em Campos do Jordão, é necessário a companhia de um guia
Passeio pela Pedra do Baú, em Campos do Jordão, São Paulo
No turismo de aventura pela Pedra do Baú, em Campos do Jordão, é necessário caminhar por uma hora e subir 300 degraus, numa espécie de escalada
Formação rochosa que integra o Complexo Pedra do Baú
TURISMO DE AVENTURA / BOSQUE DO SILÊNCIO 
O parque da agência Altus Turismo tem o maior circuito de arvorismo da cidade, com 28 travessias em 2 km de passarelas (de 1h30 a três horas). Para as crianças o circuito é menor, com 11 atividades e dura cerca de uma hora. Também há paintball, minigolfe e trilhas autoguiadas. 
Bosque do Silêncio, em Campos do Jordão, São Paulo
Prática de tirolesa no Bosque do Silêncio, que tem o maior circuito de arvorismo da cidade
foto - Gustavo Zylbersztajn
Avenida Senador Roberto Simonsen, 1724 
Vila Inglesa 
(12) 3663-4122 (Fone) 
altus.tur.br 
Horário de funcionamento 
Funciona das 9h às 16h30. 
O circuito do Bosque do Silêncio, em Campos do Jordão, tem dez atividades para crianças
ONDE COMER / SUGESTÕES 
A gastronomia é um dos principais atrativos da cidade, que divide (com Ribeirão Preto) a vice-liderança estadual em número de restaurantes estrelados no GUIA BRASIL 2015 – os três premiados são Harry Pisek, Libertango e Mina. As fondues continuam como um clássico local – a mais tradicional é a do Toribinha, mas você também encontra a receita no Le Foyer, Ludwig e Matterhorn. 
No restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão, as pizzas são retiradas três vezes do forno a lenha e pinceladas com azeite para não ressecar
foto - Divulgação
ARAUCÁRIA (GRANDE HOTEL CAMPOS DO JORDÃO) 
Os pratos do restaurante Araucária, no Grande Hotel Campos do Jordão, criados pelo chef e pelos alunos do curso de gastronomia do Senac, são servidos à la carte ou em duas opções de menu-degustação. 
Entre as receitas, robalo grelhado com risoto de abóbora e camarões com creme de coco ao capim-santo. A adega reúne 260 rótulos de 18 países. 
O elegante salão com piano e o serviço discreto do restaurante Araucária, em Campos do Jordão, são ideais para jantar a dois
foto - Divulgação
Ambiente do restaurante Araucária, em Campos do Jordão, São Paulo
foto - Divulgação
Avenida Frei Orestes Girardi, 3549, 2 km 
Capivari 
(12) 3668-6000 
grandehotelsenac.com.br 
Especialidade
variada 
Acima de R$ 100,00 
Horário de funcionamento: 
Aberto às sextas e sábados, das 20h30 às 23h30; em julho, abre de quinta a sábado, das 20h30 às 23h30. 
O elegante salão com piano e o serviço discreto do restaurante Araucária, em Campos do Jordão, são ideais para jantar a dois
foto - Divulgação
Ambiente do restaurante Araucária, em Campos do Jordão, São Paulofoto - Divulgação
BADEN BADEN 
Principal referência do pedaço mais badalado da cidade, tem receitas alemãs e rótulos da cervejaria local que dá nome ao bar. 
Fachada do bar Baden Baden, em Campos do Jordãofoto - Divulgação
Externa do bar Baden Baden, em Campos do Jordãofoto - Divulgação
Cervejas da loja do bar Baden Baden, de fabricação própria, no bairro de Capivari
foto - Divulgação
 Rua Djalma Forjaz, 93 
Capivari 
(12) 3663-3659 (Fone) 
obadenbaden.com.br 
Especialidade
bar 
De R$ 26,00 a R$ 50,00 
Horário de funcionamento
Aberto de segunda a quinta-feira, das 11h à 0h, de sexta e sábado, das 11h às 2h e domingo, das 11h à 0h. 
foto - Divulgação
Externa do bar Baden Baden, em Campos do Jordãofoto - Divulgação
Externa do bar Baden Baden, em Campos do Jordãofoto - Divulgação
ARTE DA PIZZA (GRANDE HOTEL CAMPOS DO JORDÃO) 
A pizzaria fica nas dependências do Grande Hotel Campos do Jordão. 
Avenida Frei Orestes Girardi, 3549, 2 km 
Capivari 
(12) 3668-6000 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
Especialidade 
pizza 
De R$ 51,00 a R$ 75,00 
Horário de funcionamento
Aberta de quinta-feira a domingo, das 19h às 23h30; durante o mês de julho, abre de terça-feira a domingo, das 19h às 23h30. 
Pizza de framboesa do restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão, São Paulo
foto - Divulgação
Restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão, São Paulofoto - Divulgação
Pizza de banana do restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão, São Paulofoto - Divulgação
Pizza de calabresa artesanal do restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão
foto - Divulgação
ONDE FICAR EM CAMPOS DO JORDÃO / SUGESTÕES 
A grande procura dos paulistas fez com que a cidade ganhasse uma rede hoteleira com variado nível de conforto, e diárias altas no inverno, em geral acima dos R$ 400 nas pousadas simples e acima de R$ 1000 nos hotéis de alto padrão. Entre a primavera e o outono, os preços caem mais da metade. Quem fica no Capivari está perto de bares e restaurantes badalados, mas pode sofrer com o barulho. Fora do centrinho, há hotéis de maior contato com a natureza. 
foto - Jair Magri
BOTANIQUE HOTEL & SPA 
O Botanique Hotel & Spa ocupa uma enorme área verde em meio à Mata Atlântica, distante 20 km do burburinho do Capivari, em Campos do Jordão (SP). 
Experiência 
Apesar do nome francês, tudo aqui privilegia o contato com a produção brasileira. Há cartas de cervejas, vinhos e águas nacionais, e biblioteca com livros de autores brasileiros. Até as linhas de amenities e óleos do spa são feitas com flora da Mantiqueira. A cozinha estrelada do restaurante do hotel, o Mina, usa ingredientes regionais. 
foto - Divulgação
No restaurante do Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão, o chef Gabriel Broide aposta em diversos ingredientes brasileiros
foto - Divulgação
 Quartos 
Há seis acomodações no prédio principal e 11 Vilas, construções privativas espalhadas pela área verde. Com paredes de pedras retiradas do próprio terreno e madeiras de antiga fazenda, cada unidade tem móveis nobres e enxoval de linha própria. Sempre que o hóspede deixa o quarto, há nova arrumação e mimos como doces ou artesanato. 
O interior do hotel - uma mansão em estilo normando - é decorado com móveis clássicos
foto - Divulgação
No Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão, o Spa oferece tratamentos com base na biodiversidade brasileira e alongamentos de capoeira
foto - Divulgação
Café da manhã 
Servido no quarto, com o jornal do dia, tem produtos da região, como mel, iogurte e frutas. Ovos mexidos e omeletes são temperados com ervas da horta própria. 
Recepção do Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão, São Paulofoto - Divulgação
Restaurante do Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão, São Paulofoto - Divulgação
Rua Elídio Gonçalves da Silva, 4000, acesso pelo km 168,5 da SP-050, 21 km 
Bairro dos Mellos 
(12) 3797-6877 
botanique.com.br 
Formas de pagamento
Cartões de crédito: American Express, Diners, Elo, Mastercard, Visa; cartões de débito: Maestro, Redeshop, Visa Electron 
Mínimo de cinco diárias em julho. Não aceita menores de 16 anos. Possui adega climatizada. 
Lounge Bar do Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão, São Paulofoto - Divulgação
CHATEAU LA VILLETTE 
Na mansão de estilo normando do hotel Chateau La Villette não é preciso acordar cedo. Bolos, salgados e a tradicional panqueca de funghi porcini do brunch são servidos quando o hóspede desejar. 
A Chateau La Villette é uma mansão de estilo normandofoto - Divulgação
Bolo de Laranja servido no café da manhã, que não tem hora para acabarfoto - Divulgação
Os quartos parecem ter saído de um castelo: decoração delicada, com tecidos de parede, grandes cortinas e bom enxoval. No jardim, os hóspedes podem aproveitar a sauna envidraçada, a hidro e se aquecer ao lado de uma fogueira – espaço reservado para um casal por vez. A horta abastece o café da manhã e o restaurante Le Foyer. 
A suíte Garden do Chateau La Villette, em Campos do Jordão, possui lareira a gás e hidromassagem dupla
foto - Divulgação
Suíte Xadrez do Chateau La Villette, em Campos do Jordão, São Paulo
foto - Divulgação
Rua Cantídio Pereira de Castro, 100, 3 km 
Vila Everest 
(12) 3663-1444 (Fone) 
chateaulavillette.com.br 
Mínimo de três diárias em julho e duas diárias de sexta-feira a domingo.
Todos os quartos do Chateau La Villette, como a suíte Garden, possuem decoração exclusiva
foto - Divulgação
Lustres, porcelanas e tapetes persas compõem a decoração luxuosa da pousada Chateau La Villette, em Campos do Jordão
foto - Divulgação
BEM VINDO A ESTÂNCIA CLIMÁTICA DE SÃO PAULO. BEM VINDO A CAMPOS DO JORDÃO.
foto - ?
AQUI O PÓRTICO DE ENTRADA NA CIDADE
imagem - Wikipédia
População estimada 2016 (1) - 51.157
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 290,520
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 164,76
Código do Município 3509700
Gentílico - Jordanense
foto - ?
ORIGEM DO NOME
A PRIMEIRA FAMÍLIA DA REGIÃO, INÁCIO CAETANO VIEIRA DE CARVALHO, CONSTRUIU UMA CASA DE FAZENDA COM O NOME DE FAZENDA BOM SUCESSO. MAS ERA CONHECIDA COMO FAZENDA DE CAMPOS OU CAMPOS DO INÁCIO CAETANO.
QUANDO OCORREU SUA TRANSFERÊNCIA PARA A FAMÍLIA JORDÃO, PASSOU A SER CONHECIDA POR CAMPOS DO JORDÃO.
Gentílico: jordanense
HISTÓRICO
Em 20 de setembro de 1790, Inácio Caetano Vieira de Carvalho, tendo obtido carta de Sesmaria de três léguas nos campos do Capivari, no alto da serra da Mantiqueira, neles instalou a Fazenda Bonsucesso. Desde então, por questão de divisas, passou a ser hostilizado por João Costa Manso, sesmeiro da Fazenda São Pedro, que abrangia a região onde está a atual cidade mineira de Delfim Moreira, outrora Itagiba ou Itajubá Velho. De simples luta entre vizinhos, os acontecimentos foram evoluindo para a luta aberta entre as capitanias de São Paulo e Minas, por questões de limites. Vieira de Carvalho defendia os direitos de São Paulo e tinha o apoio integral das autoridades de Pindamonhangaba e da capitania, e Costa Manso, embora paulista, defendia os direitos de Minas e contava com o apoio das autoridades mineiras que, na luta, intervinham com forcas armadas.
Com a morte de Vieira de Carvalho, em 1823, e a de Costa Manso, ocorrida no mesmo ano, a luta, praticamente, cessou. Os herdeiros de Vieira de Carvalho venderam a Fazenda Bonsucesso ao Brigadeiro Jordão, que faleceu antes de conhecê-la, embora tivesse mudado o nome da propriedade para Fazenda Natal. Esta ficou conhecida como os "Campos do Jordão", devido ao hábito de ligar-se o nome do proprietário à propriedade. Finalmente o nome foi oficializado em homenagem ao Brigadeiro Manoel Rodrigues Jordão.
UMA VISTA PARCIAL
imagem - ?
OUTRA VISTA PARCIAL
imagem - ?
UMA RUA CENTRAL
imagem - ?
VISTA AÉREA DA CIDADE
imagem - Caio SP
CAMPOS DO JORDÃO NUMA MANHÃ FRIA
imagem - André Luís Vieira

VISÃO GERAL DA CIDADE
imagem - André Luís Vieira

VISTA PARCIAL
imagem - André Luís Vieira

CENTRO DE EVENTOS
imagem - Cris Campanella
HÁ 1.700 m DE ALTITUDE, É A ESTÂNCIA TURÍSTICA MAIS FAMOSA DO BRASIL, TAMBÉM A MAIS CHIQUE. CHEGA A RECEBER 1 MILHÃO DE TURISTAS NOS MESES DE FRIO, QUE DESFILAM COM SEUS CASACOS DE COURO, DE PELE E FAZEM COMPRAS PELAS INÚMERAS LOJAS LÁ EXISTENTES. DE DIA, TEM ESPORTES PARA PRATICAR, NO CLIMA MONTANHOSO ACONCHEGANTE DA REGIÃO. À NOITE, O CENTRO FICA LOTADO DE GENTE, BEM COMO OS LOCAIS NA NOITE PARA SAIR.
CAMPOS DO JORDÃO REALIZA ANUALMENTE UM IMPORTANTE FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA ERUDITA. EM SETEMBRO, REALIZA O FESTIVAL DA VIOLA. CAMPOS DO JORDÃO ABRIGA O PALÁCIO BOA VISTA, DETENTOR DE UM AMPLO ACERVO DE ARTE NACIONAL DO PERÍODO COLONIAL E DO MODERNISMO, ABERTO À VISITAÇÃO PÚBLICA. TAMBÉM POSSUI O MUSEU CASA DA XILOGRAVURA - O MAIOR EM SEU TIPO EXISTENTE NO PAÍS - E O MUSEU FELÍCIA LEIRNER, COM ESCULTURAS A CÉU ABERTO. JUNTO À FÁBRICA DO CHOCOLATE ARAUCÁRIA, PODE-SE CONHECER UM POUCO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DO CHOCOLATE E VISITAR O MUSEU DO CHOCOLATE.
imagem - Cris Campanella
HOSPITAL
imagem - Cris Campanella
HOTEL
imagem - Cris Campanella
PRAÇA SÃO BENEDITO
imagem - Cris Campanella
PONTINHA SOBRE O CÓRREGO
imagem - André Bonacin
CACHOEIRAS DO HORTO FLORESTA
imagem - Wikipédia
imagem - Wikipédia
COLINAS NO ENTORNO DA CIDADE
imagem - Wikipédia
ARAUCÁRIA - ÁRVORE TÍPICA
imagem - Wikipédia
imagem - André Bonacin
LAGO
imagem - André Bonacin
LAGOA DO HORTO
imagem - André Bonacin
MOSTEIRO DE SÃO JOÃO
imagem - André Luís Vieira
RESIDENCIAS
imagem - Ernandes C. Santos
AGÊNCIA DO BANCO DO BRASIL
imagem - Cris Campanella
AGÊNCIA DA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
imagem - Cris Campanella
Fachada do Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão, São Paulo
O restaurante do Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão, é todo envidraçado e possui uma das melhores vistas para o Vale dos Mellos
Restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão, São Paulo
Cervejas à venda na loja do bar Baden Baden, em Campos do Jordão
Pizza de salmão defumado do restaurante Arte da Pizza, em Campos do Jordão, São Paulo
A flora da Serra da Mantiqueira serviu de base para uma linha de cosmétivos exclusiva no Botanique Hotel & Spa, em Campos do Jordão
RESIDÊNCIA
imagem - André Luís Vieira
NO CENTRO HISTÓRICO
imagem - André Bonacin
imagem - André Luís Vieira
DUCHA DE PRATA - LOCAL PREFERIDO PELOS CASAIS DE NAMORADOS
imagem - Ernandes C. Santos
imagem - André Luís Vieira
IGREJA DE NOSSA SENHORA DA SAÚDE
imagem - André Luís Vieira
PAISAGENS NO ENTORNO DA CIDADE
imagem - Ernandes C. Santos
PALÁCIO BOA VISTA
imagem - André Luís Vieira
SERRAS DE CAMPOS DO JORDÃO
imagem - Ernandes C. Santos
O TELEFÉRICO
imagem - ?
EM UM DIA DE INVERNO
imagem - ?
Distância de outras cidades: Taubaté: 48 km; São José dos Campos: 90 km; Pouso Alegre: 114 km; São Paulo: 194 km; Rio de Janeiro: 340 km; Belo Horizonte: 503 km.
foto - PMCJ
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO

fonte / fotos = IBGE / Thymonthy Becker / viajeaqui.abril.com.br / Portal da Prefeitura Municipal / Divulgação / 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PEDRA AZUL / FORTALEZA DE PEDRAS

BOM DIA. SEJA MUITO BEM VINDO A PEDRA AZUL. A FORTALEZA DE MINAS. copyrigth "Paulo Marcio"
PEDRA AZUL EH UMA CIDADE QUE FICA NO VALE DO JEQUITINHONHA E TEM ATUALMENTE: 23.843 HABITANTES (IBGE 2010) QUE NASCE EM PEDRA AZUL É: PEDRA-AZULENSE (PEDRAZULENSE) O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,660 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A TEMPETATURA MÉDIA DA CIDADE É DE: 24°. FORAM REALIZADOS EM PEDRA AZUL, 77 CASAMENTOS EM 2010. NÃO ACONTECEU NENHUMA SEPARAÇÃO E NENHUM DIVORCIO. A CIDADE FAZ ANIVERÁRIO EM 1º DE JUNHO. A pecuária, atividade primeira na história econômica do lugar, continua sendo básica para a sua receita. Colonizada por vaqueiros nordestinos, que ali chegaram em busca de pastagens para seu gado, a região herdou deles a tradição do trato com grandes rebanhos, principalmente o gado de corte, mas não se esqueceu dos cuidados com o subsolo. Os primeiros moradores do atual município foram Manoel José Botelho, em 1822, e o padre Manoel Fernandes, em 1834, após o grande incêndio …

POÇOS DE CALDAS

BOM DIA. BEM VINDO A CIDADE DAS ROSAS / BEM VINDO A POÇOS DE CALDAS MONTANHAS DA REGIÃO copyrigth "Enioprado" POÇOS DE CALDAS TEM HOJE 152.496 HABITANTES O IDH DO MUNICÍPIO EH DE: 0.841 - CONSIDERADO ELEVADO PELOS INDICADORES DA ONU. A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 06 DE NOVEMBRO E FOI FUNDADA EM 1872 QUEM NASCE EM POÇOS DE CALDAS EH: POÇOS-CALDENSE. HISTÓRIA A região onde se localiza o atual Município de Poços de Caldas foi inicialmente habitada pelos indios Cataguases que, em 1675, ofereceram combate e venceram a célebre bandeira de Lourenço Castanho, cognominado "O Velho". Com a busca de pastagens para manter a pecuária valorizou-se a região dos "Campos de Caldas'', como passou a ser chamado o local. Com isto, facilitou a instalação do núcleo pastoril que, economicamente, substituiu a lavra e grupiara. Entre os que vieram para os "Campos de Caldas", nos últimos anos de 1700, encontrava-se o Padre Manoel Gonçalves Correia, que instalou uma fazenda no &q…

CORONEL FABRICIANO / CIDADE DA SERRA DOS COCAIS

BOM DIA. BEM VINDO A CORONEL FABRICIANO.
copyrigth "pmcf" CORONEL FABRICIANO TEM 103.797 HABITANTES. QUEM NASCE EM CORONEL FABRICIANO É: FABRICIANENSE. O IDH DO MUNICÍPIO É DE: 0,789 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU. A ÁREA DA CIDADE É DE APENAS 221 QUILÔMETROS QUADRADOS. DEVIDO A ISTO, A DENSIDADE DEMOGRÁFICA É ALTA. SÃO 470 HABITANTES POR QUILÔMETRO QUADRADO. Destemidos desbravadores, muitos dos quais heróis anônimos que arrostando o endêmico impaludismo, em meio selvagem e hostil, abriram picadões, rasgaram clareiras, mata virgem adentro sertões afora, para que a ferrovia Vitória a Minas pudesse estender as suas paralelas de aço em direção a Itabira, em demanda do riquíssimo minério de ferro do fabuloso Cauê, hoje fonte principal de uma das maiores divisas acarretadas para a Pátria Brasileira. Foi do arroio daqueles heróicos operários, que surgiu a atual cidade Coronel Fabriciano, que até o princípio de 1922 não passava de uma floresta virgem, não violada p…

PIRAPORA / PORTAL DO RIO SÃO FRANCISCO

BEM VINDO A CIDADE DE PIRAPORA. A CIDADE PROGRESSO
imagem - Jadir F.
PIRAPORA TEM 53.368 HABITANTES - IBGE 2010 -
QUEM NASCE EM PIRAPORA EH: PIRAPORENSE
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 01 DE JUNHO E FOI EMANCIPADA EM 1.912
ORIGEM DO NOME
O topônimo de origem tupi significa “salto de peixe” ou “onde o peixe salta” - pira (peixe) e poré (salto).
HISTÓRIA

O São Francisco foi, durante o ciclo da mineração, importante meio de transporte para o abastecimento da região das minas. As mercadorias saíam da Bahia subindo o rio e, quando terminava o trecho navegável, seguiam por terra até os centros mineradores. A cidade nasceu justamente no ponto da baldeação, na margem direita do rio, a jusante da cachoeira de Pirapora. Parte da tribo dos índios Cariris, em época remota, teria subido o Rio São Francisco. Movida pelo temor à aproximação dos brancos pelo litoral brasileiro e acossada pelas tribos vizinhas. Aportando na área hoje compreendida pelo município de Pirapora, fixaram-se defronte à corredeira, esta…

RIBEIRÃO DAS NEVES / MG

BEM VINDO A CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES. A MAIOR HETEROGENEIDADE RELIGIOSA DO BRAZIL imagem  - Reo 06 RIBEIRÃO DAS NEVES TEM 296.317 HABITANTES - IBGE 2010 QUEM NASCE EM RIBEIRÃO DAS NEVES EH: NEVENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 12 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.953 ORIGEM DO NOME Muito se fala sobre o nome Ribeirão das Neves, mas pouco sabemos oficialmente sobre este nome. Temos duas versões: Primeira versão: Advém do córrego que passa cortando o centro da cidade. Segundo a lenda, este pequeno córrego que nasce no Morro do Anil, próximo ao Bairro Várzea Alegre, em épocas de frio, ficava com uma temperatura bem abaixo, a ponto de esfriar o suficiente para ocasionar gelo. Dai o nome RIBEIRÃO DAS NEVES. Segunda versão: Advém da Padroeira do Município, Nossa Senhora das Neves, que segundo a lenda, apareceu para alguns fiéis, no alto do morro central que separa o centro comercial do Bairro Santa Martinha. Hoje, próximo ao Cemitério Senhor da Paz, cuja imagem demonstrava beleza e altivez. Seus…

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

SARZEDO

SEJA BEM VINDO A UMA DAS CIDADES MAIS JOVEM E RICA NA PRODUÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO DAS MINAS GERAIS. SEJA BEM VINDO A CIDADE COM O MAIOR CRESCIMENTO ECONÔMICO DAS MINAS GERAIS. BEM VINDO A SARZEDO VEJA QUE BELA AVENIDA imagem - Montanha SARZEDO TEM 25.728 HABITANTE (IBGE 2010) QUEM NASCE EM SARZEDO EH : SARZEDENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 21 DE DEZEMBRO E FOI EMANCIPADA EM 1.995 HISTÓRIA OS PRIMEIROS CONTATOS DO HOMEM BRANCO COM A REGIÃO RECUAM AO INÍCIO DO CICLO DO OURO. AS TERRAS DO ATUAL MUNICÍPIO FICARAM À MARGEM DO PROCESSO DE OCUPAÇÃO E URBANIZAÇÃO QUE CARACTERIZOU AS REGIÕES AURÍFERAS DE MINAS GERAIS. O POVOAMENTO DE SARZEDO TEVE MAIOR IMPULSO COM A IMPLANTAÇÃO DA ESTRADA DE FERRO CENTRAL DO BRASIL, LINHA DO PARAOPEBA. A ESTAÇÃO DE SARZEDO FOI INAUGURADA EM 20 DE JUNHO DE 1917. O NOME DA ESTAÇÃO E, DEPOIS, DO MUNICÍPIO, É UMA HOMENAGEM AO ENGENHEIRO ESPANHOL FRANCISCO SARZEDO QUE TRABALHOU NA CONSTRUÇÃO DO RAMAL FERROVIÁRIO. AQUI A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA. ONDE A CIDADE COMEÇOU imagem - T…

SETE LAGOAS / MG - CIDADE DAS LAGOAS ENCANTADAS - TERRA NATAL DO TRAPALHÃO "ZACARIAS"

BEM VINDO A CIDADE DE 7 LAGOAS. CIDADE NASCIDA PARA O ALTO. TERRA NATAL DO TRAPALHÃO ZACARIAS imagem - ? 7 LAGOAS TEM 214.152 HABITANTES - IBGE 2010 -  QUEM NASCE EM 7 LAGOAS EH: SETE LAGOANO A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 24 DE NOVEMBRO E FOI FUNDADA EM 1.880 ORIGEM DO NOME O nome da cidade é uma referência as sete lagoas que foram encontradas quando da fundação da cidade. Com o passar dos anos novas lagoas foram descobertas e a cidade conta com mais de trinta lagoas em todo seu território. HISTÓRIA Os primeiros civilizados que chegaram às terras " das Sete Lagoas", foram alguns componentes da bandeira de Fernão Dias Leme - o "caçador de esmeraldas", que em 1667, estacionados no Sumidouro, foram atraídos pela possibilidade da existência de minério argentífero no Serrote das Sete Lagoas. Ali se demorou a bandeira, acerca da qual, pela primeira vez, a história se refere á extensa planície coberta por lindas lagoas, a qual os indígenas davam o nome de "Vapabuçu". De 1…

ARAGUARI / MG

ESTA EH A MATRIZ DE BOM JESUS DA CANA VERDE, DA CIDADE DE ARAGUARI.
foto - ?
AQUI A IGREJA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
foto - Roberto Rufino
ESTA AQUI EH A IGREJA DO ROSÁRIO
foto - Roberto Rufino
A IGREJA DO ROSÁRIO NO CONTEXTO DA PRAÇA
foto - Roberto Rufino
LATERAL DA IGREJA DO ROSÁRIO
foto - Roberto Rufino

NAZÁRIO / GOIÁS - NO CORAÇÃO DA CRIANÇA RESIDE O SEGREDO DA PAZ - CIDADE AMIGA DAS MINAS GERAIS

SEJA MUITO BEM VINDO A CIDADE DE NAZÁRIO. NO CORAÇÃO DE GOIÁS. A MAIOR PRODUTORA DE PÓ DE GELATINA DO BRAZIL. UMA CIDADE ACOLHEDORA E DE PESSOAS PRESTATIVAS. foto - Thymonthy Becker Comunicação NAZÁRIO TEM 8.421 HABITANTES (ESTIMATIVA IBGE 2013) QUEM NASCE EM NAZÁRIO EH: NAZARINENSE A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 25 DE AGOSTO E FOI EMANCIPADA EM 1.948 ORIGEM DO NOME O NOME NAZÁRIO EH UMA HOMENAGEM AO PRIMEIRO MORADOR (NAZÁRIO PEREIRA DE OLIVEIRA) QUE SE ESTABELECEU NA REGIÃO. ERA DE DESCENDÊNCIA ESPANHOLA E CHEGOU AO LOCAL POR VOLTA DE 1.880  HISTÓRIA DA CIDADE Por volta de 1880, Nazário Pereira de Oliveira, de descendência espanhola, radicou-se com sua família em lugar bem próximo à Serra da Jibóia, no então Município de Palmeiras de Goiás, onde tentou, sem êxito, a fortuna, procurando ouro ou pedras preciosas. Pouco tempo depois, transferiu-se para o local onde mais tarde nasceria o povoado, nas proximidades da confluência do Córrego Buriti com o Rio dos Bois. Fez erigir aí uma capela, à qual c…