Pular para o conteúdo principal

ILHA DE MARAJÓ / PARÁ - Caminhadas na selva, Rafting, Ciclismo na praia, grande variedade de Peixes e Aves, tudo isso neste paraíso banhado pelo Oceano Atlântico, Rio Amazonas e Tocantins




LINHA DO TEMPO DA "ILHA DE MARAJÓ" / PARÁ / BRASIL
A Praia do Pesqueiro (acima) fica na maior cidade da Ilha de Marajó (PA), Soudre, e é ótima para turistas.
Pescadores tentam garantir a pesca do dia enquanto a chuva aproxima-se à praia de Joanes (abaixo), na Ilha de Marajó, no Pará
Maior arquipélago flúvio-marítimo do planeta, banhado pelo Oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins, a Ilha de Marajó, no Pará, possui o mais vasto rebanho de búfalos do país. Aqui eles são vistos tanto nas áreas rurais quanto nas urbanas – fazendas organizam passeios nos quais você monta os animais, fontes de carne e queijo (à venda em restaurantes locais) 
Árvore na maré alta, Ilha de Marajó, Pará
Praia na Ilha de Marajó, no Pará
Aproveite para conhecer réplicas de cerâmica dos marajoara, povo que habitou a ilha há 3 mil anos, e assistir a apresentações de danças tradicionais. Das 12 cidades da ilha, Soure e Salvaterra têm a melhor estrutura turística e acesso mais fácil a partir da capital. 
Praia de São João, em Salvaterra, na Ilha do Marajó (PA)

COMO CHEGAR 
Se vier de carro, use a balsa (saídas pela manhã, três horas de travessia; R$ 90,95 por carro e motorista, R$ 17,30 por passageiro extra; 3246-7472) que sai de Icoaraci, a 25 km de Belém, e chega em Porto Camará, na ilha. Pagando uma taxa extra de R$ 5, o percurso pode ser feito na área vip da balsa, que tem poltronas e ar-condicionado. A volta, no período da tarde, também custa R$ 90,95. 
Localizada no encontro dos rios Amazonas e Tapajós com o oceano, a Ilha de Marajó (PA) concentra praias atraentes, igarapés e é famosa pelos búfalos, que são encontrados em abundância
Durante o mês de julho, alta temporada, é prudente comprar os bilhetes na rodoviária de Belém (3266-2625) com três dias de antecedência. Quem vem sem carro deve utilizar o navio que parte do Terminal Hidroviário da capital (saídas às 6h30 e 14h30; três horas de travessia; desde R$ 19) e também chega a Porto Camará. De lá, há ônibus e táxis para outras localidades. Salvaterra é separada de Soure por um rio (a travessia é feita em barcos de passeio e balsas – saídas de hora em hora). Uma boa opção é contratar os serviços do motorista Edgar (3741-1441 ou 9634-0722), indicado pela maioria das pousadas da região – ligue com pelo menos um dia de antecedência.
ILHA DE MARAJÓ / PARÁ / BRASIL
foto - feriasbrasil.com.br
SOURE
Quando Gabriel García Márquez idealizou o cenário de Macondo em seu romance “Cem anos de solidão”, ele certamente não tinha em mente a Ilha de Marajó, a oeste da foz do Rio Amazonas, às margens do Rio Pará e do Atlântico. Mas, bem que poderia: em Soure, estranhos convivem como velhos amigos, fazendo com que os turistas se sintam imediatamente acolhidos neste pacato vilarejo margeado pelas águas salobras do Rio Paracauari.
foto - Carlos macapuna
A ilha do Marajó é uma ilha brasileira do estado do Pará, localizada na foz do rio Amazonas no arquipélago do Marajó.
Com uma área de aproximadamente 40 100 km², é a maior ilha do Brasil e também a maior ilha fluviomarítima do mundo. A cidade de Belém situa-se a sudeste do canal que separa a ilha do continente. A maior ilha fluvial é a Ilha do Bananal.
foto - feriasbrasil.com.br
Destaca-se pelos montes artificiais, nomeados tesos, construídos ainda em seu passado pré-colombiano pelos índios locais. A ilha era chamada de Marinatambal pelos indígenas (confirmado por Sir Walter Raleigh no século XVI), já em tempos coloniais foi denominada como Ilha Grande de Joannes.
Outro destaque da ilha, é o lugar de maior rebanho de búfalos do Brasil, cerca de 600 mil cabeças.
foto - ?
MUITAS SURPRESA INCRÍVEIS TE ESPERAM AQUI
Habitat de grande variedade de peixes e pássaros, o arquipélago oferece muitas atividades em meio à natureza, realizadas nas fazendas. Entre elas estão observação de guarás - ave típica de penas vermelhas -, pesca, a focagem de jacarés e passeios de barco pelos igarapés. Os fãs dos esportes de aventura também se divertem na área com a prática de caminhadas na selva, rafting e ciclismo pelas praias.
foto - Carlos macapuna
As surpresas se fazem presentes também na gastronomia, que tem a carne de búfalo - claro! - como grande destaque. Os pratos mais apreciados são o Filé Marajoara, servido com mussarela de búfala derretida; e o Frito do Vaqueiro, que traz fraldinha ou minguinha (carne da costela) cozidos e acompanhados de pirão de leite. Também merecem destaques o caldo de turu, um molusco típico do mangue; e as suculentas peixadas. Para a sobremesa, aposte nos sorvetes de frutas exóticas como uxi, bacuri, taperebá e cajarana.
foto - ?
Os encantos da região se refletem também na cultura. Uma das heranças mais ricas deixadas pelos índios marajoaras é a bela arte da cerâmica estilizada. Para apreciar os trabalhos, siga para o Museu do Marajó, localizado na modesta Cachoeira do Arari, uma cidadezinha escondida no meio da mata. Construído numa antiga fábrica de óleos, o espaço tem um rico acervo que guarda desde vasos, jarros e utensílios de cozinha à urnas funerárias. Quando o assunto é dança, o carimbó e o lundu surgem absolutos. Autênticos da região, os passos foram inspirados em manifestações de origem africana e indígena.
foto - Carlos Macapuna
A ILHA DE MARAJÓ EH UM DESTES LOCAIS. ÚNICO, EXUBERANTE, CHEIO DE VIDA, COM PAISAGENS INCOMPARÁVEIS E PRAIAS DE AREIA BRANCA. PORÉM, NÃO MUITO CONHECIDO.
foto - Carlos Macapuna
Antes de viajar, escolha bem a época, já que calor e chuvas são características comuns do Pará se intercalam no calendário. No primeiro semestre chove quase todos os dias, alagando campos e florestas e impedindo algumas travessias. A vantagem é que a temperatura fica mais amena. 
foto - feriasbrasil.com.br
No resto do ano, no período de seca, os termômetros batem facilmente os 40 graus. O consolo é que a água já baixou e fica mais fácil circular pela região. No mês de julho, agradável e concorrido, os turistas lotam a orla da praia do Pesqueiro.
foto - Nao Lizuka
Aproveite para conhecer réplicas de cerâmica dos marajoara, povo que habitou a ilha há 3 mil anos, e assistir a apresentações de danças tradicionais. Das 12 cidades da ilha, Soure e Salvaterra têm a melhor estrutura turística e acesso mais fácil a partir da capital.
foto - Aldinair
UM LUGAR EXUBERANTE QUE PERTENCE AO ESTADO DO PARÁ.
foto - Carlos Macapuna
Praias desertas de água salobra, igarapés e búfalos por toda a parte. Não seria exagero dizer que a Ilha de Marajó oferece um turismo exótico dentro do Brasil, seja por conta de sua natureza de ilha fluviomarinha ou pelo seu passado de civilização pré-colombiana.
foto - Carlos Macapuna
A maior ilha fluviomarinha do mundo possui 16 municípios. Localiza-se a oeste da foz do rio Amazonas e a leste da Baía do Guajará. Fica a três horas de barco de Belém. A dificuldade de se trafegar por estradas numa região repleta de igarapés e rios faz com que poucos municípios consigam se integrar por estradas
foto - Paulo de Carvalho
Distante 70 km quilômetros de Soure, fica Cachoeira do Arari. A importância do local está na preservação do passado da ilha: aí está o Museu Histórico do Marajó, que possui peças arqueológicas encontradas pelo padre italiano Giovanni Gallo, criador da instituição. É ali também que está a maioria dos tejos
foto - Carlos Macapuna
O artesanato, as comidas e a cultura refletem um pouco o costume do peão local, que habita as grandes fazendas da região. Comidas como o Frito do Vaqueiro e o Filé à Marajoara levam a carne do animal, que tem menos colesterol do que a bovina. O artesanato de couro também é bastante forte na região.
foto - Carlos Macapuna
OPÇÕES DE HOSPEDAGEM / SUGESTÕES
POUSADA DOS GUARÁS
Se disserem a você que o paraíso está na Ilha de Marajó, acredite. E ainda pode aproveitar muito mais na Pousada dos Guarás. O lugar certo para você e sua família passarem momentos inesquecíveis de lazer, aventura e descanso. 
Em plena Ilha de Marajó (Salvaterra), em meio a uma reserva natural, a Pousada dos Guarás oferece a você o contato com todas as belezas da natureza espalhados em mais de 240.000 m².
foto - Divulgação
foto - Divulgação
Você pode fazer seu aniversário, casamento, reunião, encontro etc. aqui na Pousada dos Guarás. Temos toda a estrutura para seu evento hospedagem, transfer, salão de convenções, restaurante, buffet exclusivo, passagens na lancha etc. tudo para seu conforto.
foto - Divulgação
Com 50 apartamentos equipados com todo o conforto possível para você aproveitar com sua família das praias marajoaras, fauna e flora.
foto - Divulgação
Muito bem localizada, a Pousada dos Guarás fica em meio a uma reserva florestal no município de Salvaterra com 240.000m². São 50 apartamentos divididos em chalés sendo 48 apartamentos stand e 02 suíte , com TV, Ar condicionado, frigobar e banheiro com sistema de água quente e fria.
Encontro Vida Ativa promovido pela Pousada dos Guarás em conjunto com outros profissionais visa levar para a "melhor idade" opções de lazer, descontração, dinâmicas, atividades e turismo na Ilha de Marajó
foto - Divulgação
A pousada dos Guarás tem praia privativa para toda sua comodidade. 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
No restaurante, a cozinha fica a cargo de chefs especializados em pratos regionais e internacionais. Nos bares você encontra os mais diversos drinks e bebidas regionais.
foto - Divulgação
HOTEL CASARÃO DA AMAZÔNIA
O hotel possui 10 quartos , uma piscina descoberta. Este hotel fornece aos hóspedes transporte de e para o aeroporto, recepção 24 horas e armazenamento de bagagem. 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
Este hotel para não fumantes fornece uma diversidade de cortesias, incluindo internet sem fio e jardim. 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
Casarão da Amazônia fornece quartos confortáveis, projetados para acomodar as necessidades de qualquer viajante. Há também uma grande quantidade de quartos desenhados para hospedar famílias. 
O restaurante do hotel é uma opção ideal para aqueles que querem jantar no local.
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
HOTEL MARAJÓ SOURE
Hóspedes do Hotel Marajó Soure têm acesso a uma diversidade de atividades externas, como caminhada e cavalgada. Armazenamento de bagagem, massagem e salas de reuniões também estão disponíveis aos hóspedes para os hóspedes. 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
O hotel tem 19 quartos oferecendo o essencial para uma estadia confortável. 
Hotel fornece um bar no local, onde os visitantes são convidados a aproveitar um drink dentro do bar ou ao ar livre.
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
POUSADA BOTO
Localizada em Salvaterra-Pará, uma das cidades mais importantes do Marajó, A Pousada Boto, com a sua tradição do saber receber, vem sendo orientada pelo SEBRAE, dispondo de uma equipe profissional treinada, capacitada no melhor atendimento e hospedagem de médio porte, garantindo assim aos seus clientes “conforto e bem estar em um lugar encantador”.
foto - Divulgação
A Pousada Boto pratica o turismo sustentável, como apoio sistemático do SEBRAE, nos cursos de capacitação profissional de sua equipe de trabalho.
foto - Divulgação
Estrutura da Pousada
- RECEPÇÃO;
- CAFÉ DA MANHÃ
- ESPAÇO ZEM;
- ESPAÇO DE LAZER;
- ESTACIONAMENTO;
- LAVANDERIA;
- ESPAÇO PARA EVENTOS;
- CHUVEIROS AO AR-LIVRE.
- ACESSO PARA CADEIRANTE.
foto - Divulgação
Lazer:
Para você e sua família desfrutarem, temos várias opções de entretenimento: Salão de jogos internet (wireless), empréstimo de livros, revistas e jornais, como também espaço para “artesanato regional”.
foto - Divulgação
Acomodações
Chalés confortáveis em estilos regionais, avarandados, decorados, completos, climatizados, com tv e frigobar. Foram justamente arquitetados buscando a união entre a natureza e o bem estar de nosso hóspede. Utilizando materiais regionais em sua construção, mantendo a simplicidade e a beleza rústica do Marajó.
As acomodações podem ser em Apartamentos Single, Duplo, Triplo, Quadruplo e Quíntuplo.
foto - Divulgação
Endereço
Av. Alcindo Cacela, esquina com a 5ª Travessa
Salvaterra - Marajó - PA
Reservas: (91) 3765-1539​
Plantão (91) 991587363 - Vivo
foto - Divulgação
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA ILHA DE MARAJÓ
foto - Carlos Macapuna
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br
foto - feriasbrasil.com.br

APAIXONE-SE

fonte / fotos =  Thymonthy Becker / viajeaqui.abril.com.br / feriasbrasil.com.br / Divulgação / 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

MANHUAÇU / MINAS GERAIS - Rodeada por belezas naturais como o Pico da bandeira, belíssimas paisagens como as plantações de café, além de construções centenárias

LINHA DO TEMPO DE "MANHUAÇU" / MINAS GERAIS / BRASIL
Situada na zona da mata de Minas Gerais, Manhuaçu é o maior e mais desenvolvido município da região. Sua localização estratégica possui acesso a diversas rodovias estaduais e federais, estando rodeada por belezas naturais que você não pode deixar de conhecer. Manhuaçu também se destaca pela economia, que gira principalmente na produção de café. A produção regional é a maior do Brasil, sendo produtos de consumo nacional e internacional. Existem muitas fazendas de café na região, que além do impulso econômico, proporcionam uma belíssima paisagem.  Cafezal com pés carregado de café foto - ? Alguns dos maiores atrativos da cidade estão no Ecoturismo. Os principais pontos são a Pedra Furada, reservas Monte Alverne, Sítio Graciema e Mata do Sossego e os balneários Recanto no Paraíso e Cachoeira Sette. A cidade também é rica em patrimônio histórico. A Igreja Matriz São Lourenço, localizada no Centro, é o principal ponto da cidade, co…

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…