Pular para o conteúdo principal

MATO GROSSO / BRASIL - No centro geodésico da América do Sul, dá margem a teorias sobre a energia mágica dos desfiladeiros, mas nem é preciso ser místico para se deixar envolver pela paisagem exótica do Cerrado Mato-grossense




LINHA DO TEMPO DO "MATO GROSSO" / BRASIL / WORLD
No início do século 18, foi o brilho das jazidas de ouro recém-descobertas que acelerou o crescimento populacional de Cuiabá. Hoje a cidade tem 786 mil habitantes e recebe seus visitantes, muitos interessados em agronegócio – Mato Grosso vive batendo recordes de produção de soja, algodão e milho –, com hotéis cada vez melhores e bons restaurantes. 
Cidade de Pedra na Chapada dos Guimarães no Mato Grosso
Após observar garças, socós, jacarés, capivaras e muitos outros animais em um passeio de barco, não há nada melhor do que curtir o pôr do sol no Pantanal (MT e MS)
O famoso encontro das águas não é exclusividade de Manaus (AM). O evento, em menor escala, também pode ser observado em Alta Floresta (MT)
Prática de arvorismo no Hotel Sesc Porto Cercado, em Poconé (MT)
Torres de observação na Amazônia permitem observar espécies acima das copas das árvores. Animais como araras, tucanos, aves de rapina e macacos, que seriam difíceis de ver do chão da floresta, são achados facilmente quando se está a uma altura de 50 m
O safári fotográfico é a melhor maneira de observar animais no período da seca no Pantanal (MT e MS). Em um veículo você percorre grandes distâncias e aumenta a chance de ver espécies diferentes
A apenas 64 quilômetros de Cuiabá, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é um território de paredões de arenito em tons de vermelho e laranja, formações rochosas gigantescas, cachoeiras, cavernas, mirantes e cânions. A localização, no centro geodésico da América do Sul, dá margem a teorias sobre a energia mágica dos desfiladeiros, mas nem é preciso ser místico para se deixar envolver pela paisagem exótica do Cerrado. Deve ser sim uma energia especial que impulsiona os visitantes a fazer caminhadas de seis horas, ida e volta, até atingir o topo do Morro de São Jerônimo e sua fantástica vista. Ou levar o mesmo tempo para completar o Circuito das Cachoeiras, sentindo o sol forte na pele, com a promessa de banhos nas piscinas naturais e quedas d’água pelo caminho. O turismo de aventura em Mato Grosso conta com outro ponto alto em Jaciara, a 160 quilômetros da Chapada, na calha do Rio São Lourenço, onde se reúnem os fãs de rafting e rapel, praticados no Rio Tenente Amaral e na Cachoeira da Fumaça. Com uma hidrografia privilegiada, o estado tem em Nobres, ao norte de Cuiabá, sua porção de águas cristalinas em aquários naturais perfeitos para flutuação: os rios Salobra e Triste.
Localizado em Cuiabá (MT), o centro geodésico da América do Sul dá margem a teorias sobre a energia mágica dos desfiladeiros
Tombada pelo Patrimônio Histórico, a Igreja Nossa Senhora de Santana do Sacramento, na Chapada dos Guimarães (MT), teve o altar e a fachada restaurados
Em Cuiabá (MT) é possível fazer um passeio de helicóptero, sobrevoar a Chapada dos Guimarães e parte do Pantanal
O Rio Araguaia marca a divisa entre Mato Grosso, Goiás e Tocantins. É procurado por turistas que querem conhecer suas praias
Por terra, os 150 quilômetros da Rodovia Transpantaneira viraram atração do Pantanal Norte. Quando foi idealizado, o traçado previa a ligação entre Poconé e Corumbá, já no Mato Grosso do Sul, mas parou mesmo em Porto Jofre, à beira do Rio Cuiabá. Em época de chuva, trafegar por essa estrada de cascalho e terra, com mais de 100 pontes de madeira, pode ser uma aventura que desafia até parrudos veículos 4x4. Mas entre abril e setembro, na seca, é certeza de encontrar capivaras, tamanduás, jacarés e revoadas de tuiuiús. O Pantanal, a maior planície alagada do planeta, dá lugar também a safáris em jipes que percorrem estradinhas e trilhas pelas fazendas para observação de sua fauna diversificada (a estrela mais esperada para os cliques é a onça-pintada). E, de abril a outubro, grupos de pescadores passam dias e noites a bordo de barcos na captura de pintados, pacus, dourados, piraputangas, entre as mais de 250 espécies de peixe que vivem no labirinto de rios do estado.
A harpia é a ave de rapina mais poderosa do mundo, e uma das mais desejadas pelos observadores de aves (birdwatchers). Utiliza suas garras, tão grandes quanto as de um urso pardo, para pegar macacos, preguiças e aves de médio porte no dossel da Floresta Amazônica
É possível fazer safári por conta própria no Pantanal Norte (MT). Quem não quiser pagar pelos passeios das pousadas pode se aventurar na Rodovia Transpantaneira, e observar aves como o tuiuiú (símbolo do Pantanal) na beira da estrada. Mas lembre-se de ir no período da seca quando as condições são melhores
Planta típica da Amazônia, a vitória-régia também pode ser encontrada no Pantanal Norte (MT)
Durante a estação das cheias no Pantanal (MT e MS), os peões precisam mover o gado para lugares mais elevados. Os animais selvagens fazem a mesma coisa. Por isso a temporada de seca é melhor para a observação de fauna
Capital - Cuiabá 
População estimada 2016 - 3.305.531 
Área 2015 (km²) - 903.198,091 
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 3,36 
Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (Reais)(1) - 1.055 
Número de Municípios - 141 
ORIGEM DO NOME
As Minas de Mato Grosso, descobertas e batizadas ainda em 1734 pelos irmãos Paes de Barros, impressionados com a exuberância das 7 léguas de mato espesso, dois séculos depois, mantendo ainda a denominação original, se transformaram no continental Estado de Mato Grosso. O nome colonial setecentista, por bem posto, perdurou até nossos dias.
HISTÓRICO 
Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Centro-Oeste. 
As cidades mais populosas e importantes de Mato Grosso são: a capital Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Tangará da Serra, Cáceres, Sorriso, Primavera do Leste, Barra do Garças, Alta Floresta, Campo Novo do Parecis, Pontes e Lacerda, Juína, Campo Verde, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Barra do Bugres. 
Extensas planícies e amplos planaltos dominam a área, a maior parte (74%) se encontra abaixo dos seiscentos metros de altitude. Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Rio Guaporé, Piqueri, São Lourenço, das Mortes e Cuiabá são os rios principais. 
Pelo Tratado de Tordesilhas (de 7 de junho de 1494), o território do atual estado do Mato Grosso pertencia à Espanha. Os jesuítas, a serviço dos espanhóis, criaram os primeiros núcleos, de onde foram expulsos pelos bandeirantes paulistas em 1680. Em 1718, a descoberta do ouro acelerou o povoamento. Em 1748, para garantir a nova fronteira, Portugal criou a capitania de Mato Grosso e, lá, construiu um eficiente sistema de defesa. 
Durante as bandeiras, uma expedição chegou ao Rio de Piranhas em busca dos índios coxiponés e logo descobriram ouro nas margens do rio, alterando, assim, o objetivo da expedição. Em 1719, foi fundado o Arraial da Forquilha, às margens do rio Coxipó, formando o primeiro grupo de população organizado na região (atual cidade de Cuiabá). A região de Mato Grosso era subordinada a Rodrigo César de Menezes. A Capitania de Mato Grosso, foi criada pela Coroa portuguesa em 9 de maio de 1748, desmembrando-se do território da Capitania de São Paulo.
CIDADE DE “JACIARA”
As principais atrações são as cachoeiras, grutas e corredeiras, muito procuradas por praticantes de rafting.
Rafting em Jaciara, Mato Grosso, Brasil
Rafting em Jaciara, Mato Grosso, Brasil
Rafting em Jaciara, Mato Grosso, Brasil
Rafting em Jaciara, Mato Grosso, Brasil
Jaciara, Mato Grosso, Brasil
Jaciara, Mato Grosso, Brasil
CIDADE DE “NOBRES”
Rios cristalinos cheios de peixes, grutas e cachoeiras: a combinação, que fez a fama de Bonito (MS), também surge em Nobres, ótimo destino para mergulho e flutuação – com preços mais em conta.
Na região da Vila Bom Jardim (65 km do Centro), fica a maior parte dos atrativos e as principais pousadas.
A cidade fica a 150 quilômetros de Cuiabá
Lagoa das Araras
Aquário natural em Nobres, no Mato Grosso
Atrações em Nobres (MT)
Para todas as atrações, exceto o passeio de barco, é preciso comprar ingresso (que inclui guia) nas agências de turismo da cidade: Roma (65 3376-1888), no Centro; Bom Jardim (65 9689-7033) e Rota das Águas (65 3102- 2019), na Vila de Bom Jardim.
Você vai à agência com seu próprio carro e parte dali com o guia, pois as estradas locais não têm sinalização (quem está sem carro deve combinar traslados à parte).
Algumas das principais atrações de Nobres (MT), como a Gruta da Lagoa Azul (foto), estão interditadas pelo Ibama para elaboração do plano de manejo da área. É recomendável agendar antes de fazer qualquer passeio
Piraputangas nas águas cristalinas na nascente do rio Salobra, no Aquário Encantado - como é chamada essa região pelos moradores locais do distrito de Bom Jardim, que pertence a Nobres, no Mato Grosso.
Não é só Bonito (MS) que encanta com seus rios cristalinos. Nobres (MT) também é bastante procurada para mergulho e flutuação
Os passeios são diários, das 8h às 17h. Atrações tradicionais, como a Cachoeira do Tombador e a Gruta da Cerquinha, estão fechadas por recomendação da Secretaria do Meio Ambiente (por questões de preservação e segurança).
Rios cristalinos cheios de peixes, grutas e cachoeiras: Nobres, no Mato Grosso, é perfeita para quem curte o contato com a natureza - e que natureza!
O destino também é procurado para ensaios e casamentos: noivos mergulham no Aquário Encantado, em Nobres, Mato Grosso.
Lago Azul, em Nobres
A CAPITAL “CUIABÁ”
A capital mato-grossense é ponto de partida para chegar à Chapada dos Guimarães, a 69 km de distância, e ao Pantanal Norte. Essa proximidade se reflete em seus vários restaurantes, que servem rodízio de peixes pantaneiros, e na melhor casa da cidade: o dois-estrelas Mahalo, que usa ingredientes regionais em receitas de base francesa. Cuiabá sofre com a lentidão nas principais avenidas nos horários de pico, o que poderá ser reduzido se obras viárias, como a do Veículo Leve Sobre Trilhos, forem concluídas. Atenção: o fuso horário do Mato Grosso tem uma hora a menos em relação a Brasília.
Arena Pantanal
Av. Isaac Póvoas vista da Igreja Bom Despacho
A Casa do Artesão reúne cerêmica, tecelagem, artefatos indígenas, doces e licores caseiros
Muitos turistas usam Cuiabá como trampolim para a Chapada dos Guimarães e o Pantanal Norte
Em Cuiabá, pode-se fazer um passeio de helicóptero e sobrevoar a Chapada dos Guimarães e parte do Pantanal
Localizado em Cuiabá (MT), o centro geodésico da América do Sul dá margem a teorias sobre a energia mágica dos desfiladeiros
A média de temperatura anual em Cuiabá é de 26ºC, no segundo semestre os termômetros podem chegar a 40ºC, o que faz da cidade uma das mais quentes do país
O Museu do Morro da Caixa D'Água Velha tem mostra permanente com objetos que contam sua própria história, além de receber exposições temporárias
O Mahalo tem misturas criativas e sotaque regional
Igreja de São Benedito
Prato do restaurante Mahalo, da chef Ariani Malouf
Evento tradicional da cultura popular mato-grossense, o Festival Cururu Siriri promove espetáculos de música e dança
IGREJA NOSSA SENHORA DO BOM DESPACHO 
A igreja dedicada à Nossa Senhora foi uma das primeiras a serem levantadas em Cuiabá, ainda no século XVIII. A construção atual, entretanto, data de 1918, iniciada durante a presidência de Dom Francisco de Aquino Correia, que também era arcebispo de Cuiabá na época. Tombada estadualmente em 1977, a Igreja foi reinaugurada em 2004 após passar por um amplo processo de recuperação feito em parceria pelos governos estadual e federal.
A arquitetura da Nossa Senhora do Bom Despacho lembra os traços da catedral de Notre-Dame, de Paris
A igreja de Nossa Senhora do Bom Despacho, em Cuiabá (MT), imita a arquitetura da Catedral parisiense de Notre-Dame
CIDADE DE “CHAPADA DOS GUIMARÃES”
A imponência natural da Chapada dos Guimarães justificou a criação, em 1989, do parque nacional que leva seu nome. Na área de conservação e em seus arredores ficam a maior gruta de arenito do Brasil, cachoeiras como a emblemática Véu de Noiva, uma profusão de paredões de pedra alaranjados e belos rios. Recentemente, a cidade ganhou um estruturado parque de ecoturismo. Muitos restaurantes só abrem nos fins de semana, quando as pousadas costumam lotar.
Chapada dos Guimarães
Coruja-buraqueira na Chapada dos Guimarães
Caverna Aroe Jari, na Chapada dos Guimarães, Mato Grosso
A Cachoeira Andorinhas faz parte do passeio chamado Circuito das Cachoeiras, em que o visitante conhece cinco quedas d'água em 6 km
Siriema no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, local rico em formações rochosas e cachoeiras
Cachoeira Véu de Noiva. A melhor época para conhecer o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é no verão para facilitar o banho nas cachoeiras
Vista aérea do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, rico em formações rochosas e cachoeiras
Os mirantes do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães oferecem ampla vista da planície pantaneira
O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é a principal atração da cidade com suas cachoeiras, grutas e cânions
Cartão-postal do Mato Grosso, a Cachoeira Véu de Noiva desce por um paredão de arenito e forma um enorme poço
Chapada dos Guimarães, Mato Grosso
Estrada com vista para a Chapada dos Guimarães, Mato Grosso
Casal de araras-vermelhas passando pela cachoeira Véu de noiva, na Chapada dos Guimarães, Mato Grosso
CIDADE DE “PANTANAL”
Esqueça o medo, suba em um cavalo e maneje o gado como um verdadeiro peão em uma fazenda pantaneira. Ou siga a longa tradição pesqueira e percorra centenas de rios e afluentes em busca de piranhas, dourados, pacus e outros, dentre mais de 250 espécies de peixes. Aqui o Pantanal é que manda, com seus períodos de seca ou cheia – é, afinal, uma das maiores planícies inundáveis do planeta, com 210 000 km², divididos em Norte e Sul.
Se tiver pouco tempo, os hotéis de cidades podem ser mais adequados, se quiser ecoturismo, procure os hotéis em fazendas afastadas. Mas, se a vontade for pescar, os barco-hotéis são uma boa opção

Maior espécie de cervídeo da América do Sul, o cervo-do-Pantanal (Blastocerus dichotomus) vive em áreas alagadas com até meio metro de profundidade. Possui um casco característico com membranas interdigitais que é muito útil para distribuir o peso do animal sobre o solo lamacento e ainda ajuda na natação
Ema do Pantanal
Isso é o que vai ditar a programação do turista, com mais passeios na água ou por terra (percorrer parte dos 145 km da Transpantaneira é perfeito para conhecer a paisagem da região). Tudo à volta é enriquecido por uma variadíssima biodiversidade, um banquete para os sentidos. Somadas, as espécies de mamíferos, aves, peixes e répteis ultrapassam mil, e o maior ícone entre elas é a onça-pintada. Essa fauna habita cenários com recortes de Floresta Amazônica, Caatinga, Cerrado, charco e Mata Atlântica. Perfeito para um safári fotográfico, não?
Devido à sua grande extensão, é recomendável que o viajante concentre-se numa só porção pantaneira - Sul ou Norte - e no tipo de hospedagem mais adequada a seus propósitos
No final de julho ou no começo de agosto acontece um dos eventos mais marcantes do Pantanal (MT e MS). A Floração das Piúvas, tinge a planície de rosa, e deixa o lugar ainda mais belo
Maior planície alagável do mundo, o Pantanal tem 250 espécies de peixes, 80 de mamíferos, 50 de répteis e mais de 650 de aves
O pantaneiro está extremamente ligado à maior planície inundável do planeta. Sistemático, e sempre acompanhado de seu chapéu, seu machete e seu cavalo, para o que estiver fazendo para tomar um tereré e contar os causos que acontecem no Pantanal (MT e MS)
PASSEIO NA TRANSPANTANEIRA
No projeto original da Transpantaneira, a rodovia de quase 400 km deveria cruzar o Pantanal e ligar Poconé (MT) a Corumbá (MS). Mas a obra foi encerrada em Porto Jofre, às margens do Rio Cuiabá. Nos 145 km (sendo 143 km de terra), há 122 pontes (120 de madeira), campos abertos, mata e aterros que represam as águas das cheias e formam refúgios para jacarés, capivaras, tuiuiús e veados. Percorrer o caminho bem cedo – entre 5h e 8h – ou a partir das 17h faz toda a diferença: as aves estão empoleiradas nas árvores, e outros animais também dão as caras. Nos primeiros 65 km, a partir de Poconé, concentramse as pousadas, que normalmente abrem o restaurante a não hóspedes (leia em Hotéis); na parte final, o caminho é deserto, e a chance de ver onças, por exemplo, aumenta muito. Carros de passeio, só na seca, entre abr/set; no período de chuvas, até os 4x4 podem ter problemas. Essencial sair de Poconé com tanque cheio e estepe em dia, já que não há postos de combustível. O sinal de celular só aparece em Pixaim, onde há uma torre da Vivo.
UM POUCO MAIS DE MATO GROSSO, BRASIL

Ruínas da Igreja Matriz de Vila Bela da Santíssima Trindade, que foi a primeira cidade planejada de Mato Grosso, com o objetivo de formar a capital da província e proteger a fronteira.
Palácio Paiaguás , sede do governo do Mato Grosso
A Serra do Roncador, localizada no leste do estado.
Rio Araguaia, que banha a porção leste do estado na divisa com os estados de Goiás e do Tocantins.
Parque Nacional do Juruena, na divisa com o Amazonas
Parque Nacional do Pantanal Matogrossense
Parque Indígena do Xingu
Catedral Metropolitana Basílica do Senhor Bom Jesus, em Cuiabá
Reitoria da UFMT
Avenida da FEB, principal via comercial da cidade de Várzea Grande, Mato Grosso, Brasil
Horto Florestal de Rondonópolis, Mato Grosso, Brasil
Panorama Região Central da Cidade de Sinop, Mato Grosso, Brasil
ESTA EH A BANDEIRA DO ESTADO DO MATO GROSSO, BRASIL
ESTE EH O BRASÃO DO ESTADO DO MATO GROSSO, BRASIL

fonte / fotos = IBGE / Thymonthy Becker / Wikipédia / viajeaqui.abril.com.br / Divulgação / portal do governo do Mato grosso / 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…

BRAGANÇA / PARÁ - A cidade respira Fé, Tradição e Cultura, nas belezas de suas praias, manguezais, rios, igarapés e ilhas

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "BRAGANÇA" / PARÁ / BRASIL  Bragança, localizada na região nordeste do Pará, a 210 quilômetros de Belém, capital do Estado, é um dos municípios mais procurados pelos turistas ao longo do ano, em especial durante as férias escolares.
Lar da Marujada, manifestação cultural que reúne milhares de pessoas no município para festejar São Benedito, Bragança tem praias oceânicas belíssimas, pra quem quiser aproveitar em qualquer época do ano.

A cidade, de origem portuguesa, guarda na sua cultura características religiosas marcantes e também festeja São Sebastião e Nossa Senhora de Nazaré.
Suas fronteiras são estratégicas. Assim, o município oferece o maior número de opções aos turistas: ao Norte está o oceano Atlântico, ao Sul, o município de Santa Luzia do Pará, a Leste os municípios de Augusto Corrêa e Vizeu e a Oeste, Tracuateua.

Na língua tupi, Caeté quer dizer 'mato grande' e, por estar localizada à margem esquerda do rio Caeté, Bragança é c…