Pular para o conteúdo principal

PASSO FUNDO / RIO GRANDE DO SUL - Capital Nacional da Literatura eh um destino certo para os amantes da leitura, da escrita, do ecoturismo, num palco com mais de 156 anos de história




LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "PASSO FUNDO" / RIO GRANDE DO SUL / BRASIL
Fica num importante entroncamento rodoviário que liga o Rio Grande do Sul a Santa Catarina. Por causa disso, durante o verão, é quase parada obrigatória dos argentinos que vêm de carro para o litoral brasileiro.
JORNADA NACIONAL DA LITERATURA
Nos anos ímpares, em agosto, reúne palestras, teatro, dança e mostras de filmes. Paralelos ao evento, ocorrem a Jornadinha (literatura infantojuvenil) e a Jornight, com shows musicais e exposição de cartunistas. 3316-8368.
A CIDADE 
Educação, Trabalho e Empreendedorismo constituem a base do desenvolvimento de Passo Fundo, município com 194.432 habitantes e mais de 156 anos de história, localizado ao noroeste do Rio Grande do Sul.
Nas últimas décadas, a cidade afirmou-se como a capital do Planalto Médio gaúcho, por ser polo universitário, referência de atendimento em saúde e contar com dinâmica atividade no setor de serviços, no comércio, na indústria e no agronegócio.
Aos que são da terra, somam-se todos os que, aqui, encontram oportunidades de crescimento profissional e pessoal em um ambiente acolhedor, plural e privilegiado pela paisagem natural.
Passo Fundo conta com uma boa infraestrutura em hotéis, shopping center, boates, restaurantes, cinemas, livrarias e teatros. Passo Fundo é considerado polo em saúde. Capital Nacional da Literatura, e sedia, bienalmente, a Jornada Nacional de Literatura. O evento foi ganhando proporções e foi sancionada a lei que confere à cidade gaúcha o título de Capital Nacional da Literatura.
O Festival Internacional do Folclore, realizado em todos os anos pares, o Festival apresenta espetáculos artísticos com a presença de grupos de diversos países e estados brasileiros, com o objetivo de integração cultural. A Estátua de Teixeirinha na Praça onde se encontra o monumento em homenagem ao conhecido cancioneiro tradicionalista Victor Mateus Teixeira, o Teixeirinha. 
O Complexo Turístico de Roselândia, o local possui uma área com mais de 200 hectares, abrangendo cerca de 20 entidades, entre a sede campestre de clubes, CTG, kartódromo, escola de equitação e Parque de rodeios, sendo que somente este possui uma área de 75 mil metros de mata nativa. Chafariz da Mãe Preta - Construído em terra doada pelo Capitão Manoel José das Neves. No princípio servia para abastecer a vila de Passo Fundo. De acordo com a lenda, quem beber da água da fonte retornará a Passo Fundo. Monumento das Missões - Monumento em homenagem à Redução de Santa Tereza de Igaí. Belvedere localizada no bairro Petrópolis, de onde se tem uma vista completa da cidade.
CONHEÇA PASSO FUNDO
Palco de grandes revoluções gaúchas, Passo Fundo, localizada no interior do estado do Rio Grande do Sul, é hoje o destino turístico mais procurado pelos amantes da leitura e escrita. Um dos principais atrativos da cidade é a Jornada Nacional de Literatura, evento que ganhou tanta força e fez com a região ficasse conhecida como a “Capital Nacional da Literatura”.
Reconhecida também como a maior cidade do norte do estado, ela possui uma das infraestruturas mais exemplares do país, se tratando de hotéis, lojas de vestuário e eletrodomésticos, shopping centers, casas noturnas, restaurantes e cinemas. Outro grande espaço turístico da região é o Parque da Gare, atrativo para inúmeros circos, parques, teatros e shows.
Sétimo Céu
Belvedere onde se tem uma vista completa da cidade. Muitas pessoas sobem ao local para apreciar o pôr-do-sol. O lugar já rendeu até composições musicais e literárias.
BEM VINDO A PASSO FUNDO - LUGAR DE SER FELIZ.
imagem -  ?
População estimada 2016 (1) - 197.798
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 783,421
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 235,92
Código do Município 4314100
Gentílico - passo-fundense
ORIGEM DO NOME
Passo Fundo Leva esse nome em razão de um rio de mesmo nome utilizado pelos tropeiros desde o século XVIII
Gentílico: passo-fundense
Histórico
PASSO FUNDO RIO GRANDE DO SUL 
Monografia - nº 618 Ano: 1982 
ASPECTOS HISTÓRICOS 
O território era habitado pelas tribos indígenas Tapes e Caingangs. Sustentavam-se da caça, de mel, frutas e do cultivo do milho e do feijão. Os caingangs usavam o corte de cabelo à moda dos padres franciscanos, sendo conhecidos pelo nome de coroados e bugres. Em cada aldeia havia um "Chefe-Pai", bem como um Cacique-Geral. Esses chefes eram hereditários ou elegíveis. Possuíam uma lenda sobre o dilúvio que cobriu a terra e do qual se salvou o Caingang subindo a serra. 
Segundo alguns, o território de Passo Fundo foi penetrado a princípio por jesuítas das Missões Orientais do Uruguai, que fundaram a redução de Santa Teresa, para fins de catequese. 
O povoado começou nas primeiras décadas do século XIX, quando os colonizadores penetraram a região e os tropeiros, vindos da fronteira sul, em demanda à então Província de São Paulo, o maior mercado consumidor de muares, passaram a fazer pousada obrigatória no "passo fundo", como medida de segurança. Tornou-se, assim, parte do chamado "Caminho dos Paulistas". 
A região era infestada por índios hostis que atacavam as tropas de mulas, principalmente no lugar denominado "Mato Castelhano", que era muito denso. 
Os tropeiros preferiam cruzar a zona do matagal, durante o dia e por isto pernoitavam no chamado "passo fundo", um lugar alto, do qual descortinavam a região onde dispunham de boa aguada. 
A partir de 1827, vindos da Província de São Paulo, estabeleceram-se na região alguns colonizadores luso-brasileiros. Em Pinheiro Marcado o primeiro morador efetivo, o alferes Rodrigo Félix Martins e, na atual Sede de Passo Fundo, Manoel José das Neves, conhecido como Cabo Neves que posteriormente, recebeu a graduação de Capitão por ter servido na campanha do Prata. Na mesma época, estabeleceram-se no Município, Alexandre da Mota e Bernardo Paz. 
Em 1831, o Capitão requereu a posse das terras através de carta fornecida pelo Comando Militar de São Borja. 
A primeira capela, erigida sob o orago de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, foi requerida por Joaquim Fagundes dos Reis e outros moradores em 1834, e concluída, em fins de 1835, em área doada pelo Capitão José Manoel das Neves. 
Na campanha abolicionista havia, desde 1871 uma sociedade presidida pelo Dr. Cândido Lopes de Oliveira, que visava a emancipação de crianças do sexo feminino, antes mesmo da Lei do Ventre Livre. 
Antecipando-se à Lei Áurea, a Câmara Municipal de Passo Fundo, a 28 de setembro de 1882, proclamava a libertação de 300 cativos. A moção foi apresentada pelo secretário da sociedade Major Antônio Ferreira Prestes Guimarães, eleito vereador. 
A idéia republicana também estava enraizada no Município, mas o silêncio pairou sobre os princípios republicanos, quando irrompeu a Revolução Farroupilha. 
Anos depois, Francisco Prestes, Manoel Araújo Schell, Pedro Pereira dos Santos, Afonso Caetano de Souza, Fidêncio Pinheiro, Fernando Zimmermann, Irineu Lewis, José Savinhone, Marques Sobrinho e Lúcio Martins de Morais reuniam-se a luz de velas, sendo conhecidos como membros do "Clube do Toco de Vela". 
A 16 de novembro de 1889, o povo de Passo Fundo soube da Proclamação da República, através de uma mensagem telegráfica recebida por engenheiros militares. 
No mesmo ano, por intermédio de Tomás Canfild, criador da "Colônia Canfild", chegaram os primeiros colonos, 3 famílias de agricultores italianos, sendo seus chefes Trinco Joseph, João e Silvestre Bucco. 
Por ocasião da Revolução Federalista travaram-se, em Passo Fundo, em 1893 e 1894, diversas batalhas que bem comprovam a importante participação principal nos destinos políticos do Estado. 
Cessada a lute, o progresso começou a ser estruturado com a construção da estrada de ferro, em 1897, e a organização de diversas empresas colonizadoras; sendo empreendida a colonização do Alto Jacuhy, pela firma Schmitt e Cia. Oppitiz, seguindo-se a de Saldanha Marinho, iniciada em 1898 pela empresa Costa e Silva, e a de Dona Ernestina, do Coronel Ernesto Carneiro da Fontoura em 1899. Surgiram mais tarde, as colônias de Marau, Teixeira, Sertão, Sarandi, Santa Cecília, Weidlich, Varzinha, Erechim, 7 de Setembro, Tamandaré, Selbach e Boa Esperança. 
Em 1923, quando o País, e muito particularmente o Rio Grande do Sul, era palco de focos de agitações que culminaram com os acontecimentos de 1930, o Município teve de travar novas e sangrentas batalhas para romper o cerco do seu território. 
Voltando a paz, Passo Fundo transformou-se num dos grandes municípios brasileiros.
AQUI O BATALHÃO AMBIENTAL
imagem - Fredy Silva
CATEDRAL NOSSA SENHORA APARECIDA
A Catedral Nossa Senhora Aparecida, na época capela, foi construída no topo de uma coxilha em 23 de agosto de 1834. Em 1885 encontrava-se em ruínas, sendo então reconstruída e reinaugurada em 10 de setembro de 1949, passando a se chamar Catedral Nossa Senhora Aparecida. Em 1955, a antiga catedral foi ampliada e hoje conta com 2787m² de área construída. Sua decoração interior possui quatorze mosaicos de vidro colorido que retrata as passagens da Via Dolorosa. O artista polonês Arysyarch Kaszrwicz executou os painéis que representam o nascimento e a ressurreição de Cristo e o Pentecostes. A fachada externa possui quatro estátuas, esculpidas em cimento pelo artista plástico, passo-fundense Ernesto Delvaux, representando os quatro evangelistas Mateus, Marcos, Lucas e João. Suas torres são inspiradas em estilo grego-coríntio/romano e guardam quatro sinos.
imagem - Edilson V. Benvenutti
IGREJA DE SANTO ANTÔNIO
imagem - Fredy Silva
SANTUÁRIO DA ROMARIA À NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA
imagem - Fredy Silva
PARQUE DO RODEIO
imagem - Wikipédia
INSTITUTO MENINO DEUS
imagem - Fredy Silva
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE PASSO FUNDO
imagem - ?
imagem - Wikipédia
imagem - ?
imagem - ?
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Thiago Dambros
imagem - Thiago Dambros
imagem - ?
imagem - Caleffi
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
HOMENAGEM A TEIXEIRINHA
imagem - Wikipédia
MONUMENTO AO CHIMARRÃO
imagem - Fredy Silva
TREVO DA UNIVERSIDADE
imagem - Darlan Corral
ESTAÇÃO RODOVIÁRIA
imagem - Wikipédia
HARAS
imagem - Fredy Silva
ENTORNO DA CIDADE
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
FEIRA DE LITERATURA
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
TREVO CHEGADA / SAÍDA
imagem - Darlan Corral
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE PASSO FUNDO , RS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO, RS

fonte / fotos = Wikipédia / Thymonthy Becker / Prefeitura Municipal / espacoturismo.com / guiadoturismobrasil.com / viajeaqui.abril.com.br / 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…

BRAGANÇA / PARÁ - A cidade respira Fé, Tradição e Cultura, nas belezas de suas praias, manguezais, rios, igarapés e ilhas

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "BRAGANÇA" / PARÁ / BRASIL  Bragança, localizada na região nordeste do Pará, a 210 quilômetros de Belém, capital do Estado, é um dos municípios mais procurados pelos turistas ao longo do ano, em especial durante as férias escolares.
Lar da Marujada, manifestação cultural que reúne milhares de pessoas no município para festejar São Benedito, Bragança tem praias oceânicas belíssimas, pra quem quiser aproveitar em qualquer época do ano.

A cidade, de origem portuguesa, guarda na sua cultura características religiosas marcantes e também festeja São Sebastião e Nossa Senhora de Nazaré.
Suas fronteiras são estratégicas. Assim, o município oferece o maior número de opções aos turistas: ao Norte está o oceano Atlântico, ao Sul, o município de Santa Luzia do Pará, a Leste os municípios de Augusto Corrêa e Vizeu e a Oeste, Tracuateua.

Na língua tupi, Caeté quer dizer 'mato grande' e, por estar localizada à margem esquerda do rio Caeté, Bragança é c…