domingo, 25 de setembro de 2016

FEIRA DE SANTANA / BAHIA - Prazer em preservar a memória e eternizá-la, obras que rasgam o chão outrora ocupados por tropeiros e deu origem às Marias heroínas




LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "FEIRA DE SANTANA" / BAHIA / BRASIL 

Feira de Santana de todos os caminhos, de entradas e saídas, das rodovias. Os caminhos de Juraci Dórea, que levam até o caminhão de Gil Mário, que hoje faz o que vaqueiros e tropeiros outrora faziam nesta terra de Santana, a feira que nasceu e deu origem à Marias heroínas e a Georgina.
População estimada 2016 (1) - 622.639 
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 1.337,993 
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 416,03 
Código do Município 2910800 
Gentílico - feirense 
Gentílico: feirense 
HISTÓRICO 
Em meados do século XVIII, os donos da Fazenda Sant'Anna dos Olhos D'Água, Domingos Barbosa de Araújo e Ana Brandoa, construiram uma Capela dedicada a Nossa Senhora Sant'Anna. Esta, por sua localização privilegiada, passou a ser ponto de referência para aqueles que trafegavam naquela região. 
No final do século, o desenvolvimento do comércio, em particular de gado, deu origem a uma feira, que acabou por se transformar em um centro de negócios. Com o grande número de feirantes, o povoado foi forçado a progredir. Ruas foram abertas, facilitando o trânsito; lojas começaram a aparecer em grande número; e, assim, foi chegando o progresso. 
Em 1832, foram criados o município e a vila, com o território desmembrado de Cachoeira e constituído pelas freguesias de São José das Itapororocas, Sagrado Coração de Jesus do Perdão e Sant'Anna do Comissão (atual Ipirá).
Shopping Boulevar em Feira de Santana, Bahia
MONUMENTO CAMINHOS DE FEIRA DE SANTANA
Estando na Amazônia ou na China uma pessoa que conhecer esta estrutura vai saber que se trata de Feira de Santana. Instalada na Avenida Getúlio Vargas, próxima ao prédio da Prefeitura, a escultura já se tornou um símbolo de Feira de Santana. A obra, criada em 1991 pelo artista feirense Jurací Dórea, criou uma identidade singular que reforçam a consolidação de Feira de Santana como a Princesa do Sertão.
foto - Vivaldino do Espírito Santo
O aço retorcido dando uma ligeira impressão de movimento representa o grande fluxo de pessoas que enaltecem o comércio feirense por todo o Estado. As lâminas de aço atravessando por barras retas mostrando as rodovias que começaram a cortar a cidade ao meio a partir da década de 60 e, hoje, formam o maior entroncamento rodoviário do Norte Nordeste do País.
foto - Juraci Dorea
MONUMENTO AO VAQUEIRO
O Monumento ao Vaqueiro fica na Avenida Olímpio Vital, em uma praça próximo ao centro. Esta figura simbólica composta com todo seu indumentário, a tradicional roupa de couro, o facão e o laço, que em outrora era essenciais para transportar os rebanhos de gado. A escultura foi inaugurada no ano de 1998 no governo do Prefeito Clailton Mascarenhas, que assumiu a administração da cidade após a morte do prefeito eleito José Falcão, falecido em 1997.
MONUMENTO AO TROPEIRO
O Monumento ao Tropeiro fica localizado na praça que leva o mesmo nome da estátua, próximo ao Centro de Abastecimento, por onde passam milhares de pessoas diariamente, estimulando o comércio no local. A estátua de ferro que representa um homem em tamanho real, puxando seu companheiro de longas viagens, o cavalo, que traz amarrado no lombo o fruto do trabalho do tropeiro que viajava as longas distâncias para comercializar seus produtos.
MONUMENTO A MARIA QUITÉRIA
O grandioso projeto é do arquiteto feirense Luiz Humberto de Carvalho e foi doado ao Município pelo Rotary Club de Feira de Santana, um monumento em homenagem à memória de Maria Quitéria.
A obra traz consigo traços modernos e arrojados assim como as atitudes da heroína, que ganhou papel de destaque na história da Bahia e do Brasil. A escultura que fica localizada no encontro entre as Avenidas Getúlio Vargas e Maria Quitéria, virou um dos mais notáveis cartões postais da cidade. Entre o emaranhado de concreto e vigas de aço, podemos vê claramente em destaque a imagem da Heroína feirense empunhando a sua espada.
MONUMENTO “LIBERDADE DE UMA POETISA”
Uma homenagem idealizada pelo artista Gil Mário a pedido do Prefeito José Ronaldo de Carvalho que foi instalada na Avenida João Durval Carneiro no dia 2 de dezembro de 2008, em frente ao Shopping Boulevard, demonstrando que Feira tem memória e retribui aos seus benfeitores.
Essa escultura, intitulada “Liberdade de uma poetisa” pelas formas de asas alçando voo, faz uma menção a criação mais enaltecida de Georgina, quando elaborou o Hino a Feira de Santana. Agora comemorando 80 anos de sua criação.
O projeto tem os traços característicos da obra de Gil Mário e as seguintes dimensões: altura 5.60m x largura 2.00m x comprimento 1.10m. Constam na parte inferior da escultura o Hino a Feira de Santana e o nome Georgina Erismann, vazado na chapa.
MUSEU PARQUE DO SABER
Tem o maior equipamento óptico da América Latina: o Planetário Sky Master, da empresa alemã Carl Zeiss, é um dos sete que existem no mundo - o que representa altíssima qualidade na reprodução do céu estrelado. As apresentações, de 40 minutos a uma hora, ocorrem aos sábados e domingos, às 17h. O museu tem ainda dois salões para exposições e painéis que retratam a formação da cidade.
R. Tupinambás, 275 (São João)
São João
museuparquedosaber.ba.gov.br
Horário de funcionamento:
2ª/6ª 8h/12h e 14h/17h, sab/dom 16h/18h30
foto - Silvio Tito
foto - Arivaldo Públio
MONUMENTO AO CAMINHONEIRO
O Monumento ao Caminhoneiro foi instalado na Praça Jackson do Amaury em Feira de Santana, no ano 2007, projetada pelo artista plástico Gil Mário a pedido do prefeito José Ronaldo de Carvalho com a finalidade de homenagear o profissional do volante pelos serviços prestados no desenvolvimento da cidade.
No começo, eram as tropas e seus mercadores junto com os mais diversos produtos, que se destinavam ao porto hidroviário de Cachoeira. Com eles veio o comércio que entre um negócio e outro, Santana virou Feira. A placa inaugural tem os seguintes dizeres: “O Brasil passa por aqui. Dos tropeiros aos caminhoneiros que fizeram e fazem de Feira de Santana uma grande cidade.”

OBSERVATÓRIO ANTARES
Observatório Astronômico Antares, localizado no bairro Jardim Cruzeiro, além de observatório espacial e meteorológico, é um importante centro de pesquisas astronômicas, único do estado da Bahia.
foto - Carlos Augusto

Réplica de dinossauro no Observatório Antares, lá existem dezenas de réplicas de animais pré históricos que viveram no Brasil, incluindo além dos dinossauros, grandes mamíferos.
CULTURA
Feira é a terra natal de muitos personagens históricos, como a guerreira Maria Quitéria e cangaceiros como Lucas da Feira. 
Também por estar em uma confluência de rodovias federais, a cidade inaugurou em 15 de setembro de 2007 na praça Jackson do Amaury o Monumento ao Caminhoneiro, de autoria do artista plástico Gil Mário.[178]
A cidade é também conhecida por ser a primeira de todo o país a realizar a Micareta, um carnaval fora de sua semana típica.
A cultura mais popular da cidade é a Sertaneja, sem segundo lugar a Afro brasileira e em terceiro lugar a cultura do migrante, que embora tenha sido o principal formador da cultura e da história de Feira de Santana, ainda não possui uma data dedicada e nem comemorações com demonstrações culturais de origem dos diversos migrantes brasileiros que migraram e continuam migrando a cidade.
Uma das festas mais populares da cidade eh a Micareta. Feira de Santana foi a primeira cidade do Brasil a realizar um carnaval fora de época, em Feira de Santna, Bahia
foto - Carlos Augusto
LITERATURA
Feira de Santana também é cidade de origem de poetas como Godofredo Filho e o bacharel em direito Eurico Alves, em sua maioria poetas que enalteciam o sertão baiano em suas obras. Além disso, nela também nasceram Juraci Dórea (artística plástico e poeta), o polêmico cordelista Franklin Maxado e o músico Carlos Pita. Muitas obras com origem feirense estão expostas no Museu Casa do Sertão, pertencente à UEFS. Eurico Alves (1909-1974) cantou a cidade em diversos dos seus poemas, como na sua famosa "Elegia para Manuel Bandeira":
Além de uma considerável produção poética, Eurico Alves escreveu Fidalgos e Vaqueiros, obra inspirada em Casa Grande e Senzala, de Gilberto Freyre, na qual busca as origens e as influências do que se costuma chamar "civilização do couro", a civilização sertaneja. Eurico Alves também foi relembrado no ano de seu centenário (1999), quando a cidade sediou o Colóquio Internacional Eurico Alves Boaventura, concentrando as festividades no campus principal da UEFS, no Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA) e no Centro de Cultura Amélio Amorim (CCAA), onde ocorreu encontro de diversos escritores e obras literárias e artísticas especializadas na valorização do sertão nordestino.
Biblioteca Pública Municipal de Feria de Santana, Bahia
NA CULTURA POPULAR
Feira de Santana é mencionada em trechos de músicas e bordões de alguns programas de Tv como no Programa do Jô onde o apresentador Jô Soares, e Bira, integrante do sexteto musical, sempre menciona a cidade quando um baiano é entrevistado, com a famosa frase “Fica perto de Feira de Santana", ou "Todos os lugares do mundo fica perto de Feira de Santana".
A Arte Popular Copeira eh muito difundida em todo o Estado da Bahia, em Feira de Santana, Bahia
MÚSICA
Feira de Santana produz um grande número de músicos que alcançam nível nacional e até mesmo internacional, os bares, casas de shows e eventos, são predominantemente com cantores e bandas feirenses de todos os gêneros musicais, como MPB, rock, jazz, axé music, pagode, forró, sertanejo, arrocha e samba. Alguns compositores feirenses alcançaram fama mundial, como Os meninos de Seu Zé que compôs a canção Ai, se Eu Te Pego interpretada pelo cantor sertanejo Michel Teló. Feira abriga diversos festivais de músicas locais que sempre atrai grande público contribuindo para a elevação de vários artistas da cidade. Entre os músicos mais famosos e populares da cidade estão o cantor e produtor musical Paulo Bindá, a cantora e apresentadora de rádio Marcia Porto, Marli, a Björk brasileira, e o mentor e criador do axé music, Luiz Caldas. Até 2009 a cidade sediou o Festival de Inverno
O relógio da praça eh conhecido como "Relógio do Rotary" em Feira de Santana, Bahia 
CULINÁRIA
Muitos pratos típicos do estado da Bahia são encontrados nos bares e restaurantes típicos da cidade, como iguarias baseadas em vegetais da região. Alguns exemplos são a feijoada com mandioca, Beiju, palma de cactus (da qual se prepara o caruru da palma do cactus) com milho, e também tradicionalmente, o vatapá (normalmente acompanhado com camarão) e acarajé. Nas ruas da cidade, a céu aberto (fora de estabelecimentos), também é sempre muito comum encontrar vendedoras de acarajé, assim como barracas de caldo de cana. Pratos originários de outros estados também são populares na cidade. A culinária estrangeira como a italiana, árabe, japonesa, chinesa e estadunidense são muito populares na cidade, existe no município muitas redes de fast-foods. Um prato típico de Feira de Santana que acabou ficando popular em outras regiões, é o Macarrão ao vivo e o pão delícia, considerado concorrente do pão de queijo mineiro.
O Acarajé eh uma comida típica de Feira de Santana, Bahia
CONHEÇA UM POUCO MAIS DE FEIRA DE SANTANA, BAHIA
Prefeitura Municipal Paço Maria Quitéria em Feria de Santana, Bahia
Câmara de Vereadores em Feria de Santana, Bahia
Hospital Estadual da Criança em Feira de Santana, Bahia eh o maior do Brasil
Aeroporto de Feira de Santana, Bahia

Trecho da BR 324 que passa por Feira de Santana, Bahia
Complexo viário Miraldo Gomes, conhecido como viaduto da Cidade Nova, no Cruzamento da Avenida Transnordestina com a Avenida do Contorno.
Colégio de ensino secundário em Feira de Santana, Bahia
Sede do Fluminense de Feira, o clube local mais popular da cidade em Feira de Santana, Bahia
Estádio Municipal Joia da Princesa em Feira de Santana, Bahia
Xique-xique eh um tipo de cacto comum na região, em Feira de Santana, Bahia
Matriz de Sant'ana em Feira de Santana, Bahia
Igreja do Senhor dos Passos em Feira de Santana, Bahia
Faculdade UNEF considerada umas das melhores faculdade particulares do estado da Bahia e está entre as 50 melhores faculdades particulares do país, em Feira de Santana, Bahia
Parte do Terminal Central, o maior da cidade, localizado na Avenida Olímpio Vital, em Feira de Santana, Bahia
Parque da Lagoa em Feira de Santana, Bahia

Parque de Diversão que fica no Shopping em Feira de Santana, Bahia
Ônibus urbano em Feira de Santana, Bahia
Franquia da McDonald's em Feira de Santana, Bahia
Monumento do Rotary Internacional na Avenida José Falcão em Feira de Santana, Bahia
O Museu Casa do Sertão fica nas dependências da UEFS em Feira de Santana, Bahia 
Mural rodoviário, obras artísticas que remetem à cultura feirense, desenhadas nas paredes da rodoviária municipal em Feira de Santana, Bahia
Feirante em Feira de Santana, Bahia
Monumento na praça da matriz em Feira de Santana, Bahia
Todas essas lembranças mostram como Feira de Santana, de 181 anos, tem prazer em preservar a memória. Não só preservar, como eternizá-las. Em Feira o que não faltam são monumentos que rememoram ao passado, obras que rasgam o chão, antes ocupados por feirantes, hoje por feirenses e gente de toda parte do Brasil e até de olhos bem puxados, falando o que a gente nem entende.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO

fonte / fotos = IBGE / Thymonthy Becker / Wikipédia / jornalfolhadoestado.com / Divulgação / Portal da Prefeitura Municipal / viajeaqui,abril.com.br / 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minas são muitas, Todas são gerais